Menu
Busca sábado, 15 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
Economia

Produção industrial tem queda de 0,5% em março, mostra IBGE

07 maio 2014 - 10h57Via G1
A produção da indústria nacional registrou queda de 0,5% em março, na comparação com janeiro, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (07) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em fevereiro, frente ao mês anterior, a atividade fabril não mostrou variação, de acordo com dado revisado da pesquisa.

Em relação a março de 2013, a produção da indústria recuou 0,9%. Em fevereiro, considerando esse mesmo tipo de comparação, o indicador havia registrado crescimento de 4,4%. No primeiro trimestre de 2014, a atividade fabril acumulou alta de 0,4% e, em 12 meses, de 2,1%.

Em março, a maior parte dos setores pesquisados mostrou queda na produção, com destaque para veículos automotores, reboques e carrocerias (-2,9%) e máquinas e equipamentos (-5,3%). Também exerceram influências negativas o desempenho da produção da fabricação de produtos alimentícios (-1,2%), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-3,6%) e metalurgia (-1,2%).

Na contramão, impediram que a atividade fabril global caísse ainda mais os produtores de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (5,4%) e as indústrias extrativas (2,4%).

Entre as categorias econômicas, a produção de bens de capital recuou 3,6% e a de bens de consumo duráveis, 2,5%. O segmento de bens de consumo semi e não-duráveis não variou, e a atividade de bens intermediários teve leve alta de 0,1%.

Comparação com o ano passado

Quando comparada ao mesmo período de 2013, a atividade industrial mostrou queda de 0,9%, com as maiores influências negativas partindo de veículos automotores, reboques e carrocerias (-13,6%).

Também mostraram quedas a fabricação de máquinas e equipamentos (-7,8%), produtos de metal (-8,2%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-8,3%), outros produtos químicos (-2,9%), móveis (-11,6%), produtos têxteis (-5,8%) e outros equipamentos de transporte (-5,8%).

Na contramão, houve resultados positivos partindo de indústrias extrativas (8,0%), produtos alimentícios (5,0%), coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (4,3%), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (9,6%), bebidas (6,3%) e metalurgia (2,1%).
Genetica 1

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Caixa antecipa 2ª parcela do auxílio emergencial; veja o calendário
Economia
Saque do auxílio emergencial está disponível para novo grupo
Economia
Beneficiários nascidos em setembro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Beneficiários nascidos em julho podem sacar auxílio emergencial
Cidade
Véspera do Dia das Mães lota centro da Capital
Economia
Beneficiários nascidos em junho podem sacar auxílio emergencial nesta sexta
Economia
Nascidos em maio podem sacar auxílio emergencial
Economia
Beneficiários nascidos em abril podem sacar auxílio emergencial
Economia
Trabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial
Economia
Beneficiários nascidos em fevereiro podem sacar auxílio emergencial

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio