Menu
Busca sexta, 05 de março de 2021
(67) 99647-9098
Economia

Produtor calcula perda de 20% da soja

06 janeiro 2012 - 13h27João Garrigó

Os produtores rurais da região sul do estado estão preocupados com a falta de chuva e já calculam uma quebra de 20% na produção de soja. A  preocupação se deve porque em dezembro as chuvas ficaram abaixo da média histórica. No Mato Grosso do Sul chove, em média, 4.816 milímetros no último mês do ano. Contudo, em 2011 choveu 41,7% menos do que a média.

O produtor rural do município de Naviraí, Donizete Pereira Melo, conta que enfrentou 38 dias de uma seca que começou no dia 20 de novembro e só terminou no dia 28 de dezembro, quando choveu, aproximadamente, 50 milímetros. “Deu uma recuperada, mas tem que vir chuva logo. Se não chover mais a situação vai ficar pior”.

Donizete revela que já fazia três anos que não tinha problemas com a falta de chuva. Mas, neste ano, acredita que a produção vai dar apenas para pagar as contas. Caso a chuva piore, seu Donizete vai ter que recorrer ao seguro, que é insuficiente para cobrir prejuízos. No ano passado, ele fechou a colheita com uma média de 59,74 sacas para cada um dos seus 205 hectares.

A agrônoma da Copasul (Cooperativa Agrícola Sul-Matogrosense), Thais Rubira, explica que até o momento a previsão é de que a perda chegue a 20%. Segundo ela, as chuvas não foram concentradas. Em uma mesma propriedade acontecia de chover em um talhão (pedaço de terreno) e não cair uma gota de água no outro. Desta maneira, a quantidade de água no solo não era suficiente para abastecer a necessidade do plantio. Além disso, ainda é preciso levar em conta que as temperaturas estão mais altas do que o normal, o que também prejudica a produção.

A região sul, nos municípios de Naviraí, Itaquiraí , Jateí e Juti, tem uma plantação de 84.153 hectares. A estimativa inicial era de colher 54 sacas por hectare, proporcionando uma produção de 4,3 milhões de sacas, em um total de R$ 176 milhões. Porém, com a falta de chuva, a Copasul acredita que os produtores devem colher 45 sacas por hectare, em um total de 3,6 milhões de sacas. Em Naviraí a saca está valendo R$ 41. Desta forma, a comercialização cairia de R$ 176 milhões para R$ 147 milhões. Grosso modo, é possível dizer que o prejuízo pode ficar perto de R$ 29 milhões.

O pesquisador do setor de soja da Fundação MS, Carlos Pitol, explica que nas regiões de Dourados e Maracajú a lavoura está boa e com um potencial auto. Por isso, mesmo que tenha chovido menos que a média e a necessidade da cultura, o prejuízo deve ficar entre 5% e 10%. Segundo ele, em Naviraí o prejuízo é maior porque o terreno é mais arenoso.

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) estima que a área cultivada de soja entre 2011 e 2012 em todo o País seja de 24,35 milhões de hectares,o que corresponde a um crescimento de 0,7% ou 169,2 mil hectares sobre a área semeada na safra passada. No Mato Grosso do Sul a previsão é de que a área cresça 52,8 mil hectares, chegando a 1,8 milhão.

Peniel - amigos da pizza

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Crise: PIB recua 4,1% em 2020 com 3ª pior queda da história
Economia
Painéis solares vão garantir energia elétrica a 5 mil no Pantanal
Economia
Salário de fevereiro já está na conta dos servidores públicos
Economia
Primeira parcela do novo auxílio será paga neste mês, diz Arthur Lira
Economia
Governo do Estado paga servidores nesta segunda-feira
Economia
Governo congela pauta da gasolina por 15 dias e prevê economia de R$ 0,15
Economia
Governo Federal obriga postos a detalharem preço dos combustíveis
Economia
Para acabar com ICMS, Reinaldo quer fundo de compensação
Economia
Para Longen, 2021 será o ano de retomada da economia
Economia
Petrobras anuncia 4º aumento de gasolina no ano; diesel tem 3ª alta

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio