Menu
Busca sexta, 22 de janeiro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS Janeiro/21 juizado de transito
Economia

Produtores estão otimistas para a safra 2011/2012 de soja em MS

09 outubro 2011 - 13h07Divulgação

Os agricultores sul-mato-grossenses estão otimistas em relação a próxima safra de soja no estado. Segundo a primeira estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), na quinta-feira (6), a produção do grão no estado no ciclo 2011/2012 deve crescer 5,5%, passando de 5,1 milhões de toneladas para 5,4 milhões de toneladas.

Na propriedade do agricultor Antonio Valdomiro Perruzi, em Dourados, as máquinas já estão trabalhando para semear os 600 hectares que serão cultivados com soja. Ele diz que as chuvas dos últimos dias na região garantiram a umidade necessária para o início do plantio.

"A chuva veio em uma hora boa. Para começar um bom plantio e a expectativa é boa. Tem sempre que estar confiante que vai dar tudo certo", diz o produtor rural.

Em 2011, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) antecipou o o período do plantio em 20 dias no zoneamento agrícola da cultura. Antes, o cultivo era recomendado somente a partir de 21 de outubro.

Plantar mais cedo, conforme o agrometeorologista Claudio Lazarotto, é uma alternativa que muitos produtores encontram para fugir das adversidades climáticas. Entretanto, ele diz que nos próximos meses o tempo não deve atrapalhar o desenvolvimento das lavouras do estado.

"Não temos previsto a ocorrência para está safra dos fenômenos El Ninõ e La Ninã. Então deve ser um ano de normalidade, com irregularidades de chuvas no começo de outubro, estabilização de chuvas para germinação em novembro e com muita frequência veranicos a partir da metade de dezembro", explica.

Mas os produtores não estão otimistas para a próxima safra somente em razão das condições climáticas. Os agricultores também devem obter uma boa remuneração pela produção. O valor deve chegar, segundo estimativa do analista de mercado Gilberto Darci Bernarde, a R$ 44, bem acima do custo médio de produção que deve ficar em torno dos R$ 27, por saca de 60 quilos.

Ele explica que o cenário é favorável, mas que o produtor rural deve se precaver, ficando atento ao comportamento do mercado diante da crise na Europa.

"Se não houver uma solução a curto ou médio prazo muito provavelmente vai ocorrer uma desvalorização do preço das commodities. Então, o recomendável é que o produtor se resguarde. Ele precisa saber qual o seu nível de endividamento e já fixar um preço neste momento para a sua produção", recomenda.

senar janeiro21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Repasses a municípios de MS cresceram 10% em 2020
Economia
Governo autoriza cessão da Gruta do Lago Azul ao município de Bonito
Economia
Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
Economia
Nascidos em setembro podem sacar parcela do auxílio nesta quarta
Economia
Pagamento do calendário 2021 do Bolsa Família começa nesta segunda
Economia
Caixa libera saque do auxílio emergencial para nascidos em agosto
Economia
Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 17 milhões
Economia
Depois de 17 anos, Paulo Ponzini volta à Presidência do Corecon-MS
Economia
Número de pessoas inadimplentes cai no fim de 2020
Economia
A partir desta quinta, gás de cozinha vai ficar 6% mais caro

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio