Menu
Busca quarta, 13 de novembro de 2019
(67) 99647-9098
Governo - Festival America do Sul
Economia

Saque de R$ 30 bi do FGTS é "dose extra de otimismo" para o comércio

Estimativas apontam que a maior parte dos recursos liberados a partir da próxima sexta-feira (13) deve ser utilizada para o pagamento de dívidas

09 setembro 2019 - 12h15Priscilla Porangaba, com informações do R7

Na sexta-feira (13), começa a liberação do saque de até R$ 500 do Fundo de Garantia do Tempo e Serviço (FGTS ).

O primeiro lote estará disponível para os nascidos em janeiro, fevereiro, março ou abril. Os que nasceram em maio, junho, julho ou agosto realizarão o saque a partir de 27 de setembro e os aniversariantes de setembro, outubro, novembro ou dezembro estão liberados no dia 9 de outubro.

A expectativa do governo para esse ano é que sejam liberados R$ 30 bilhões e, em 2020, mais R$ 12 bilhões do FGTS e do PIS/Pasep. O saque limite de R$ 500 valerá para contas ativas e inativas do FGTS.

Fabio Gallo, professor de finanças da FGV EAESP, diz acreditar que esse dinheiro pode dar uma "animada" na economia. "Não vai fazer a economia rodar nesse momento. Não vai tirar da situação atual, vai dar uma 'animadinha', mas nada acima disso", comentou.

Com o aumento do número de pessoas endividadas, o professor acredita que o valor retirado seja utilizado para pagamento de dívidas. "Potencialmente, esse dinheiro seja usado fortemente para o pagamento de dívida, o que também é bom para a economia. Não é uma notícia ruim", analisou Gallo.

Expectativa do comércio

João Sanzovo Neto, presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras ), declarou que com a economia na "corda bamba", a instituição pensou em revisar a expectativa inicial de 3% de crescimento nas vendas de 2019 para um valor inferior. "Após sabermos da liberação do FGTS e também do PIS/Pasep, resolvemos manter a projeção do começo do ano, em 3%", falou.

Sanzovo Neto comentou que a liberação "representa uma dose extra de otimismo" para os próximos meses. De acordo com Neto, a redução na taxa básica de juros, antecipação do 13º dos aposentados e, ainda, a Semana do Brasil, foram outras medidas que incentiveram o "otimismo" no setor.

O economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC ), Fabio Bentes, ressaltou que em 2017 o FGTS ajudou o varejo a se recuperar. "Em 2017, o FGTS ajudou o varejo a se recuperar, lembrando que 2016 foi o ano de recessão. Na segunda metade de 2017, alguns setores já apresentavam um resultado bem melhor."

Bentes diz acreditar que R$ 9,6 bilhões serão destinados ao varejo, no qual R$ 3,3 bilhões devem ser gastos no segmento de vestuário.

 

Athus Ingles

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Assembleia aprova pacote fiscal de Reinaldo
Economia
Caixa reduz taxa de juros do cheque especial
Economia
Exportação de industrializados alcança US$ 3 bi no MS
Economia
Dólar fecha a R$ 4,142
Economia
Com até 90% de descontos, Refis Natalino começa nesta segunda
Economia
Manutenção nas vias garante economia aos cofres públicos
Economia
Fundo reduzirá tributo de álcool
Economia
Comércio de Corumbá tem prejuízo de quase R$ 5 milhões
Economia
Nascidos em abril e maio podem sacar FGTS a partir desta sexta-deira
Economia
MS terá aproximadamente R$ 122 milhões do pré-sal

Mais Lidas

Polícia
Corpo cheio de fezes é encontrado em casa abandonada
Polícia
Homem morre após ser prensado por rolo compactador
Polícia
Idoso é preso após passar a mão nas partes íntimas de diarista
Polícia
Homem tem 80% do corpo queimado e morre a caminho do hospital