Menu
Busca segunda, 10 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
TJMS agosto/20
Economia

Setor produtivo se une em busca de alternativas para desenvolvimento do CO

18 julho 2011 - 16h36Assessoria Casa Rural

O Centro-Oeste elevou em quatro pontos percentuais sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) nacional, passando 5,2% para 9,2% de 1990 a 2008. A maior contribuição veio da agropecuária, que no mesmo período passou de 7,5% para 19,8% do PIB do setor. A indústria de transformação de também teve crescimento considerável, passando de 1,7% para 4,5% do PIB específico do setor.

Os dados foram apresentados hoje pelo gerente-executivo de Política Econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Mário Sérgio Carraro Telles, durante o projeto Encontros Empresariais Centro-Oeste – Integrar e Desenvolver para debater temas ligados ao desenvolvimento e integração de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal. O evento acontece na Casa da Indústria, em Campo Grande, e tem a participação do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Eduardo Riedel.

Segundo dados de Telles, o Centro-Oeste concentra 4,5% do PIB industrial brasileiro, mas possui grande presença no setor agropecuário, sendo que o percentual do PIB específico do setor fica em 19,8%, enquanto o de serviços representa uma fatia de 10,6%. "A vocação da agropecuária é forte na região e grande parte do crescimento industrial é no segmento do agronegócios", enfatizou Telles, o primeiro a palestrar no evento.

O presidente da Famasul e do Conselho Deliberativo do Sebrae/MS, Eduardo Riedel, segue na mesma linha do representante da CNI e ressalta a importância do evento reunindo o setor produtivo do Centro-Oeste, com representantes da indústria, comércio e do agronegócio para tratar dos temas estratégicos para o desenvolvimento industrial da região.

"A reunião dos diferentes setores demonstra a visão estratégica das entidades representativas sobre a cadeia produtiva, no sentido de que não há incompatibilidade e que a complementaridade entre os setores é que movimenta o desenvolvimento da região", avalia Riedel.

Telles vai mais longe em relação ao potencial dos estados do Centro-Oeste: "Não é preciso vir indústrias de fora se forem criadas condições para que as indústrias locais cresçam e se tornem grandes", afirma. O CO tem seis entre as 20 microrregiões mais ricas do país, sendo elas Alto Araguaia, Parecis, Alto Teles Pires e Primavera do Leste em Mato Grosso, Catalão em Goiás e Brasília no Distrito Federal.

Entre os fatores que favoreceram os recentes avanços no desenvolvimento regional, o gerente apontou a recriação das superintendências regionais de desenvolvimento, o lançamento da Política Nacional de Desenvolvimento Regional, as políticas de transferência de renda do Governo Federal e o aumento do potencial de consumo das regiões menos desenvolvidas.

O encontro do setor produtivo do Centro-Oeste foi organizado pela Fiems e tem a participação da Famasul, Fecomércio e do Governo do Estado, por meio da secretária da Seprotur, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias.

Senar - agosto2020

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
MS: Exportações crescem 29,37% em 2020
Economia
Confira quem pode sacar o FGTS emergencial nesta segunda
Economia
Com totens indicativos, produtos de MS ganham destaque nas prateleiras
Economia
Caixa abre agências neste sábado para beneficiários do auxílio
Economia
Capital: Cesta básica teve alta em julho, diz Dieese
Economia
Associação Comercial não quer fechamento da capital por 14 dias
Economia
Ministério da Economia quer o fim da meia-entrada nos cinemas
Economia
Salário de servidores estaduais é pago nesta segunda
Economia
Receita prorroga suspensão das ações de cobrança até 31 de agosto
Economia
Estado paga servidores no dia 4

Mais Lidas

Internacional
Após explosão em Beirute, primeiro-ministro do Líbano renuncia
Saúde
Santa Casa realiza cirurgia rara e corrige anomalia de recém-nascido
Polícia
Homem joga carro contra carreta e mata os filhos para se vingar da ex
Geral
Viagem com cães e gatos para a Argentina é autorizada nesta segunda