Menu
Busca terça, 04 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Economia

Valor do leite sofre reajuste de 18% em MS durante a pandemia

O preço do litro do leite de saquinho saiu dos R$ 2,69 cobrados no início de março para R$ 3,19 no fim do mês de junho

08 julho 2020 - 14h52Sarah Chaves, com informações da assessoria

A indústria laticínia de Mato Grosso do Sul sofreu impactos com a pandemia de coronavírus, que causou o fechamento das fronteiras para prevenir a proliferação do vírus entre os países e com a alta do valor do dólar frente ao real, o resultado foi uma redução significativa nas importações brasileiras de leite.

Em decorrência disso, os valores cobrados pelo litro do leite em todo o Brasil sofreram um reajuste e, no Estado, essa majoração chegou a 18%, conforme levantamento realizado pelo  Sindicato das Indústrias Laticínias de Mato Grosso do Sul (Silems) junto aos principais laticínios do Estado.

O aumento do litro do leite de saquinho, popularmente conhecido como “barriga mole”, chegou a 18%, saindo dos R$ 2,69 cobrados no início da pandemia mundial do novo coronavírus ainda em março para R$ 3,19 no fim do mês de junho.

Os derivados do leite também tiveram aumento, que chegou em até 22%, como no caso da mussarela, que saltou de R$ 22,00 para R$ 27,00 o quilo. “Com a pandemia, vivemos um momento de incertezas nos meses iniciais, com uma queda muito grande na demanda por leite devido ao fechamento das escolas, que costumavam ser grandes consumidoras por causa da merenda das crianças, e dos bares e restaurantes, que também consomem muitos derivados”, detalhou a presidente do Silems, Milene Nantes.

Milene Nantes explica que, como ainda não era esperada a diminuição das importações, a preocupação era em minimizar os prejuízos com a queda no consumo. “No entanto, com a reabertura do comércio e de bares e restaurantes, o consumo voltou a subir e a demanda pelo leite, que teve a produção reduzida, aumentou”, revelou.

De acordo com a empresária, o segmento ainda vive um período de entressafra, o que faz com que a oferta do leite seja ainda menor. “Todos os anos, no período seca, é comum um aumento nos preços do leite em Mato Grosso do Sul. Esse aumento é sazonal e acontece todos os anos devido ao período de estiagem, em que a quantidade de chuvas é menor, reduzindo as pastagens, que servem de alimento para o gado. Com menos alimento, o gado tende a produzir menos leite. Geralmente registramos um aumento de 5% a 10%, mas como estamos vivendo um ano atípico, esse reajuste foi um pouco maior este ano”, finalizou.

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Ministério da Economia quer o fim da meia-entrada nos cinemas
Economia
Salário de servidores estaduais é pago nesta segunda
Economia
Receita prorroga suspensão das ações de cobrança até 31 de agosto
Economia
Estado paga servidores no dia 4
Economia
Há 8 anos, vencedores de concessão aguardam prefeitura finalizar Terminal de Cargas
Economia
BRF afirma que China suspendeu exportações de frango de Dourados
Economia
Banco Central anuncia lançamento da cédula de R$ 200
Economia
Congresso aprova votação urgente de lei que deve baratear o gás em até 40%
Economia
Abertura de novas empresas caiu 25% em abril
Economia
Brasil registra perda de 10,9 mil vagas de empregos formais em junho

Mais Lidas

Geral
Vídeo: PMA recolhe 5 animais silvestres na capital
Geral
Reincidente, e com vacinas vencidas, PetGarden é autuada pelo Procon
Justiça
Para não "estimular" mais crimes, Justiça mantém condenação por furto de bicicleta
Polícia
Vítima da depressão, homem usa cinto para se enforcar no Taquarussu