Menu
Busca sábado, 15 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
Economia

Vendas no varejo brasileiro crescem 0,7% em novembro, diz IBGE

16 janeiro 2014 - 10h10Via G1
As vendas do comércio varejista brasileiro cresceram 0,7% em novembro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa foi a nona alta mensal seguida do indicador, que ganhou força quando comparada à taxa de outubro, de 0,3% (dado revisado). A receita nominal do setor cresceu 1,1% na comparação com o mês anterior, também acima da taxa de outubro, que fora de 0,8%.

Na comparação com novembro do ano anterior, o volume de vendas cresceu 7%, enquanto a receita teve alta de 13,8% no mesmo período. No ano, as vendas cresceram 4,3%, e a receita, 12%. E em 12 meses, 4,4% e 11,9%, respectivamente.

Segundo o IBGE, as vendas de veículos e motos, partes e peças tiveram o maior crescimento em relação a outubro, ao registrar uma alta de 2,5%.

Outras oito atividades do varejo mostraram avanço: artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,6%); tecidos, vestuário e calçados (1,5%); móveis e eletrodomésticos (1,5%); Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,1%) e combustíveis e lubrificantes (1,1%).

Também cresceram, mas a uma taxa menor que a das outras atividades, outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,7%); livros, jornais, revistas e papelarias (0,6%) e material de construção (0,5%). A única queda foi partiu de equipamentos de escritório, informática e comunicação (-2,1%).

Em relação a novembro de 2012, o volume de vendas em hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo cresceu 5,7% e segue como o principal impacto sobre o varejo total.

"A despeito do aumento do poder de compra da população, a atividade continua abaixo da média, refletindo os preços do setor que, nos últimos doze meses, cresceram acima da inflação. Os acumulados foram de 1,9% no ano e de 2,3% para os últimos 12 meses", disse o IBGE, em nota.

Na sequência, por ordem de importância, aparecem móveis e eletrodomésticos, cujo crescimento foi de 9,1% e combustíveis e lubrificantes, com alta de 8,7%.  Outros artigos de uso pessoal e doméstico, que engloba lojas de departamentos, ótica, joalheria, artigos esportivos, brinquedos etc., exerceram a quarta maior contribuição, com avanço de 7,8% no volume de vendas.

Crescimento no Norte
Frente a 2012, vinte e seis unidades da federação tiveram aumento, principalmente Rondônia (16,9%), Acre (13,7%); Maranhão (13,4%), Paraíba (12,0%) e Paraná (10,0%). A única queda foi em Roraima (-1,3%).
Girafa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Caixa antecipa 2ª parcela do auxílio emergencial; veja o calendário
Economia
Saque do auxílio emergencial está disponível para novo grupo
Economia
Beneficiários nascidos em setembro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Beneficiários nascidos em julho podem sacar auxílio emergencial
Cidade
Véspera do Dia das Mães lota centro da Capital
Economia
Beneficiários nascidos em junho podem sacar auxílio emergencial nesta sexta
Economia
Nascidos em maio podem sacar auxílio emergencial
Economia
Beneficiários nascidos em abril podem sacar auxílio emergencial
Economia
Trabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial
Economia
Beneficiários nascidos em fevereiro podem sacar auxílio emergencial

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio