Menu
Busca segunda, 06 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Educação

Unicef aponta que mais de 95% das crianças brasileiras frequentam a escola

Estudo realizado revela também que houve uma queda de 71% da mortalidade infantil em crianças brasileiras desde a década de 90

12 novembro 2019 - 11h53Vitória Ribeiro, com informações Agência Brasil

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lançou nesta terça-feira (12) um estudo que mostra os impactos da Convenção sobre os Direitos da Criança na população brasileira. O levantamento aponta que 95,3% das crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos frequentam regularmente a escola.

Houve uma queda de 71% da mortalidade infantil em crianças brasileiras desde a década de 90, índice bem acima da meta estipulada pela Unicef, que era de 33%. No entanto, o estudo mostra que a violência se tornou um problema abrangente para os jovens, principalmente os que pertencem a minorias étnicas ou grupos vulneráveis.

A falta de uma rotina de exercícios físicos para crianças e jovens também é um fator importante na questão do excesso de peso da população jovem brasileira. Entre adolescentes, 17,1% estão com sobrepeso, e 8,4% são considerados obesos.

O índice de atendimento de água em território nacional é de 83,3%, mas o acesso nos estados do Acre, Pará, Rondônia e Amapá chega a 50% da população. O índice de atendimento de redes de esgoto é ainda mais alarmante: apenas 51,9% dos brasileiros têm esgoto tratado e acesso ao escoamento, o que afeta diretamente a saúde dos jovens.

O Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes (Pnevsca), que reúne iniciativas como o Disque 100, e o Plano de Ações Integradas e Referenciais de Enfrentamento à Violência Sexual, Infanto-Juvenil no Território Brasileiro (Pair) foram considerados como ações positivas no enfrentamento à violência contra crianças e jovens, de acordo com o estudo.

Mas o cenário ainda é considerado crítico. Segundo dados do Disque 100, negligência (72,7%) e violência psicológica (48,8%), física (40,6%) e sexual (22,4%) foram os tipos de violação contra crianças e adolescentes mais frequentes.

De acordo com o Unicef, a chamada “crise climática” e o aumento da incidência de doenças mentais em jovens são pautas importantes para os próximos anos. O relatório aponta, ainda, que há uma crescente queda na imunização infantil, o que pode acarretar em surtos de doenças consideradas sob controle ou totalmente erradicadas, como é o caso do sarampo.

A publicação do estudo marca os 30 anos da ratificação do tratado do Unicef, que também foi assinado por outros 195 países e é considerado o tratado internacional de maior abrangência do mundo.

Totem_Alcool Gel

Deixe seu Comentário

Leia Também

Educação
Universidades e institutos terão cerca de R$ 200 milhões do MEC
Educação
Renato Feder é escolhido ministro da Educação, mas falta oficializar
Educação
MEC define protocolo sanitário para volta às aulas
Educação
Sem prever retorno, MEC divulga normas para volta às aulas presenciais
Educação
Estudantes de direito elaboram “cartilha jurídica” sobre a pandemia
Educação
Estudantes optam por fazer o Enem em maio de 2021
Educação
Sesi dá dicas de entretenimento educativo para alunos que estão em casa
Educação
Consulta sobre nova data para o Enem termina hoje
Educação
Sesi auxilia pais a lidar com as emoções dos filhos na pandemia
Educação
Enquete que vai definir nova data do Enem termina nesta terça

Mais Lidas

Saúde
Entenda porque exercícios físicos na quarentena talvez não seja tão bom assim
Polícia
Dezenas de presos fogem de cadeia na madrugada
Polícia
Fugindo de "tribunal do crime", homem invade casa e se tranca no banheiro
Geral
Vídeo: batida entre motos nas Moreninhas deixa jovem gravemente ferido