Menu
Busca sábado, 23 de março de 2019
(67) 99647-9098
TJMS março-19
Entrevista

'Uma empresa cobiçada', diz Cyro Bocuzzi

18 dezembro 2011 - 05h07Roberto Medeiros

O vice-presidente da Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul) Cyro Vicente Bocuzzi, afirma que nos 73 municípios onde atua 830 mil residências tem o conforto de ter luz. Porém, o grande desafio enfrentado pela concessionária é atender a 600 moradias da população rural do Pantanal. Contudo, com novos investimentos e projetos levados ao governo federal, a empresa pretende reverter o quadro e contemplar a todos. Veja a íntegra:

Jornal de Domingo – A Enersul presta hoje, um serviço melhor do que há cinco anos atrás?

Cyro Bocuzzi – Sim sem dúvida. A empresa tem buscado desenvolver algumas ferramentas e temos investido muito em tecnologia nesses últimos anos. A Enersul hoje, entre as empresas de energia do Brasil, é uma das que possui mais automação na sua rede.

Nós temos um centro de operações, onde conseguimos comandar 93 subestações e elas são comandadas à distância. Isso dá uma agilidade e uma solução em caso de falta de energia. Temos 370 chaves comandadas pela central de operação, o que nos dá maior rapidez.

A Enersul comparada com as empresas do Brasil em termos de disponibilidade e continuidade dos serviços, é medida por meio de dois indicadores: um que mede a frequência com que os clientes são interrompidos e outro a duração dessa interrupção.

A Enersul tem o índice de duração durante o ano, somando todas as interrupções que ocorreram na rede e afetaram o cliente apresenta o tempo de 10 horas. Isso é melhor do que todas as empresas do norte, nordeste, sul e centro-oeste. Temos um desempenho comparado as empresas do sudeste.

Historicamente, a empresa de Mato Grosso do Sul em termos de disponibilidade dos serviços, ela tem um bom desempenho tanto quando há pouca falta de energia quanto em solucionar o serviço com rapidez quando ele é comprometido.

Somos melhores do que a média no Brasil, estamos bem acima. O melhor desempenho que a média do Brasil, isso é fruto do emprego em tecnologia. Aqui em MS temos índices melhores até do que cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Esse resultado é fruto de muito trabalho. Nosso estado tem muitos desafios além de ter grande extensão, praticamente o tamanho da Alemanha, só tem dois milhões de habitantes, isso mostra que há uma baixa densidade populacional. As distancias são grandes e as nossas redes são mais extensas do que de outras concessionárias. Porém a rede é mais exposta porque temos mais arborização, ventos e o estado é campeão de raios.

Jornal de Domingo – O maior problema se concentra no pantanal?

Cyro Bocuzzi – O pantanal é uma área que não está totalmente atendida. Esse é um dos desafios da empresa. A Enersul esticou as redes nos últimos anos, principalmente a partir de 2004 com o programa Luz Para Todos, onde multiplicamos por três, o tamanho das nossas redes.

Atendendo as áreas rurais e hoje o estado tem um alto nível de atendimento. Temos levado a energia a todos os clientes que pedem ligação. O pantanal é uma exceção porque lá não existem condições técnicas para atender e existe um projeto que estamos fazendo e já foi levado ao Ministério de Minas e Energia que é muito caro e impactaria demais a tarifa.

Então, a empresa tem trabalhado junto ao Ministério e Aneel para conseguir um recurso da união para podermos realizar esses atendimentos. São poucas propriedades cerca de 600 que não são atendidas no pantanal.

O senador Delcídio do Amaral é uma das pessoas que está a frente desse movimento e temos dado todas as informações para que possamos viabilizar a luz para todos. Temos 830 mil clientes atendidos, certamente que o estado inteiro está atendido. O desafio são as distâncias. O estado é o campeão de raios, fato que interfere muito no nosso serviço e é a área do Brasil e uma das áreas do mundo onde se caem mais raios. Temos um trabalho forte de manutenção, nas áreas onde há muitas árvores e ventos que derrubam e lançam objetos sobre as redes.

Temos grande foco no trabalho de manutenção. Muitas vezes, a população não percebe que estamos realizando manutenção porque fazemos boa parte dela com a rede ligada, fortalecemos a tecnologia na área de automação e também investimos na logística de atendimento. Há equipes estrategicamente a disposição, caso ocorra problemas possamos atender com agilidade para o cliente que pede uma ligação nova, modificação ou em caso de falta de energia temos condição de realizar um atendimento rápido.

Jornal de Domingo – Qualquer empresa busca hoje um padrão de excelência no atendimento, no que a Enersul se aprimorou nesta direção?

Cyro Bocuzzi – Tudo isso que estou falando é fato que contribui para uma satisfação e para o melhor atendimento ao cliente, mas naquilo que tange ao contato em 2009, fizemos um investimento de quase R$ 6 milhões e já proporcionamos mais de 500 empregos. Em Campo Grande montamos o call center da empresa que atende também a todas as empresas do grupo Rede Energia que é controladora e tem empresas em outros estados como Pará, Tocantins, Mato Grosso, algumas empresas no interior paulista, Minas Gerais e no Paraná.

Esse call center que tem em Campo Grande, ele atende além da Enersul, o excedente de chamadas existentes nos demais estados. É um call center ultramoderno, onde há treinamento e investimento na qualificação profissional e é o principal ponto de contato da empresa com os clientes. Além disso, temos lojas próprias em 73 municípios onde há nossa concessão. Então, sempre que o cliente precisar em qualquer localidade que ele estiver recebe atendimento da Enersul. Isso dá um total de 80 lojas, sendo que as 10 maiores estão nas cidades polos. Tem áreas que concentramos o efetivo em uma cidade para atender uma região.

As 10 áreas tem megalojas que são maiores. Além de 70 outras lojas e uma rede de 370 outros estabelecimentos que recebem as contas e prestam alguns serviços. Então, em qualquer localidade que se vá, buscamos facilitar o acesso do cliente aos serviços da empresa.

No call center a ligação é gratuita, então é possível pedir uma religação, ou segunda via da fatura ou o cidadão pode ir a uma dessas lojas e/ou até mesmo num agente credenciado.

Jornal de Domingo – Vocês não tem uma concorrência hoje. Isso não é ruim para seus clientes?

Cyro Bocuzzi - Não, nós não temos nenhuma concorrência e nenhuma empresa de energia no mundo tem uma concorrência. Imagina se três, ou quatro empresas, começassem a plantar postes nas ruas, os investimentos requeridos para isso são muito elevados e em qualquer lugar do mundo é sempre uma empresa atende cada lugar até porque é mais barato fazer dessa maneira.

A Enersul é uma empresa que presta serviço e apesar dela não ter concorrência, ela tem uma atuação muito forte. A concessionária tem regras para trabalhar que são as mesmas regras que se aplicam em muitas cidades brasileiras, presta um serviço público e uma responsabilidade social muito claramente definidas.

Também é periodicamente auditada a respeito da qualidade de serviços, formas de atendimento sob a observância das regras em que está submetida, existe todo um regramento a respeito disso, é nosso interesse manter uma gestão integrada com as demais empresas que prestam serviço. No estado buscamos bons relacionamentos tanto com as entidades representativas dos nossos clientes como também se antecipar aos investimentos necessários.

Para gerar energia, constrói-se uma subestação um ano e meio antes. Precisamos andar a frente para atender melhor a população. Precisamos saber dos projetos das novas indústrias, shopping centers porque antes de chegarem nós precisamos preparar para pode atender bem o nosso foco que é o cliente. E nós temos regras bastante rígidas e claras para trabalhar em cada área.

Jornal de Domingo – Sua empresa já teve outros donos, isso não significa que ela é uma peça estatística de grandes grupos?

Cyro Bocuzzi - Não, todas as empresas tem controladores, acionistas, clientes e vários interessados. No caso da Enersul, por um período ela foi pública, era do governo do estado depois foi privatizada e teve um primeiro controlador que foi adquirido por outro, mas isso é normal nos negócios onde empresas se associam e realizam parcerias para serem adquiridas, compradas ou vendidas.

A empresa é essencial para o atendimento da sociedade. Tem um papel social muito forte e tem um papel no conforto das pessoas, ela é decisiva. O serviço que prestamos é muito importante. Controlar a Enersul, que é uma empresa disputada por outros grupos, é cuidar de uma empresa cobiçada.

Jornal de Domingo – Quem são os interessados?

Cyro Bocuzzi – Eu não tenho essa informação, mas uma parte das ações da empresa foi colocada a venda. Não participo desse processo que foi colocado na semana passada e não tenho mais informações, certamente assim que as propostas estiverem na mesa isso será divulgado.

Não sei como será feita a compra.

A Enersul tem uma vantagem porque pertence ao grupo e pode adotar as melhores práticas criadas em outras empresas, fato que cria uma sinergia entre as concessionárias. O que também beneficia os clientes de todas as empresas do grupo.

Ter várias empresas no mesmo negócio traz uma robustez a operação, isso facilita o ganho de escala e a sinergia de poder prestar um serviço melhor com bons investimentos.

Jornal de Domingo – Ações da Enersul como a prevenção a dengue ou de facilitar a vida da Santa Casa maior hospital de MS significam ação social de uma empresa que tem monopólio?

Cyro Bocuzzi – A empresa tem que estar integrada e a nossa política de sustentabilidade é a de participar na comunidade onde atuamos. A dengue é um problema para o estado e a nossa conta chega em várias cidades e na casa de cada cidadão. Para nós é uma vantagem combater um problema de saúde, pois ele afeta toda a sociedade em que atuamos.

Não queremos ser uma empresa que só visa lucro. Queremos ter uma participação na sociedade porque temos um compromisso de longo prazo com ela. Queremos ser parte do desenvolvimento do estado. Queremos ser parte da saúde e do sucesso de MS. A política de responsabilidade social é muito clara temos uma série de cuidados ambientais, enfim, a empresa busca ser um agente ativo da sociedade.

Queremos ser parte atuante desta sociedade.

Jornal de Domingo – Quanto a Enersul tem investido por ano em MS?

Cyro Bocuzzi –A empresa é importante para o desenvolvimento do estado porque ela presta um serviço essencial. Tem investido cerca de R$ 150 milhões de reais por ano. Tem viés de tecnologia para prestar um bom serviço e se avaliarmos o lado, operacional, técnico e comercial tenho orgulho e é por isso que tem ganhado prêmios. Esse ano ganhou prêmio como a melhor concessionária das regiões norte e centro-oeste. A empresa concorreu com 60 empresas e apenas três ganharam e a Enersul é uma delas. Algo muito grande para nos orgulhar.

Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Entrevista
"Estamos na faixa máxima de avaliação", diz Ayache
Geral
Riedel fala de gestão empresarial em entrevista
Entrevista
Romão Milhan Jr assume associação do MP e fala em “transparência e valorização”
Entrevista
Em entrevista, Reinaldo defende novas medidas para a pesca
Entrevista
“É urgente buscar soluções”, afirma Paschoal Leandro
Entrevista
Inscrições para o Sisu abrem nesta terça-feira

Mais Lidas

Oportunidade
JBS tem 30 vagas em Campo Grande
Polícia
Adolescentes desaparecidas são encontradas em SP
Geral
Trabalhadores protestam contra reforma da Previdência
Opinião
Contemporaneidade ou pré-julgamento?