Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Esportes

Após título, jogadores admitem que série de protestos motivou a seleção

02 julho 2013 - 10h47Via Globo Esporte
Embora os jogadores brasileiros tenham tentado durante toda a Copa das Confederações manter uma certa distância do tom político dos protestos que tomaram conta do país em junho, após o título conquistado com uma vitória incontestável sobre os atuais campeões do mundo no Maracanã o discurso mudou. A política continuou de lado, mas a emoção de ouvir o hino nacional cantado sílaba por sílaba até o fim, mesmo depois que a melodia era encerrada - fato que se repetiu em todos os jogos do Brasil na competição -, ou mesmo de observar as imagens e notícias do que estava ocorrendo pelo país, mexeu com os jogadores da seleção brasileira.

O capitão, Thiago Silva, reconheceu que a postura aparentemente distante dos jogadores em relação aos protestos era uma necessidade que, não necessariamente, refletia o que se passava internamente. A seleção entrou em campo driblando a política, mas com o objetivo de dar alegria a um povo descontente com a situação do país.

- A gente sabia do momento que o Brasil estava vivendo neste mês e a gente estava envolvido, mas não podíamos nos pronunciar e esquecer do nosso objetivo que era a competição. Mas todos nós ficamos bastante comovidos com o que aconteceu, todas as manifestações e o que falamos entre nós é que a gente mostrasse dentro de campo, que deixássemos o torcedor mais satisfeito de alguma forma. E foi importante ter a torcida sempre ao nosso lado.

Daniel Alves, por sua vez, também mostrou que os jogadores da seleção não estavam alheios ao que acontecia no país. E deixou claro que esse sentimento foi levado para o gramado do Maracanã na final.

- Nosso povo precisava do nosso esforço, precisava que a gente demonstrasse pra eles que eles teriam esse momento de alegria. Somos o povo, representamos o povo.

Como já havia feito em entrevista antes da decisão da Copa das Confederações, o atleta do Barcelona novamente criticou a postura de parte da imprensa que, na sua opinião, não quer o bem da seleção.

- A gente não pede o apoio, a gente pede o respeito. O apoio a gente pede do nosso público, como sempre falo, a seleção brasileira é de todos. Quem se preocupa com a seleção tem de trazer coisas positivas. Quem traz coisas negativas não representa a seleção brasileira. É igual a galera que vai protestar e quer quebrar tudo, esses não representam o povo brasileiro, não representam o povo que quer melhorar o país. Da mesma forma que os que criticam a seleção brasileira não querem o bem da seleção, querem o bem de si mesmos porque é a única forma de trabalhar que eles têm. Mas tem de haver um mínimo de respeito.
Rota do Pantanal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Moreninhas terá Torneio de Pênaltis com prêmios em dinheiro
Esportes
Covid-19: com seis infectados, Flamengo encara Barcelona-EQU nesta terça
Esportes
Com uma novidade de Tite em convocação para início das Eliminatórias
Esportes
Em emendas parlamentares, esporte de MS recebe R$ 1,64 milhão
Esportes
Vídeo: Corinthians é recebido com protesto pela torcida no aeroporto
Esportes
Vídeo - Neymar é expulso por dar tapa em jogador que o chamou de "macaco"
Esportes
Projeto Amigos do Parque volta neste final de semana
Esportes
Moreninha lll ganhará pista de skate e quadra de areia
Esportes
Messi se reapresenta ao Barcelona após tentativa frustrada de saída
Esportes
São Paulo e Fluminense se enfrentam pelo Brasileirão neste domingo

Mais Lidas

Geral
Motociclista pula da moto em chamas após bater em caminhão
Polícia
Após bebedeira com o primo, homem entra em rio e morre afogado
Geral
Leilão do Detran-MS tem mais de 1 mil motocicletas e 157 carros disponíveis
Clima
Segunda será de tempo firme e temperatura máxima pode chegar a 33°C