Menu
Busca quinta, 25 de fevereiro de 2021
(67) 99647-9098
Governo - campanha estado que cresce - Topo
Esportes

Copa das Confederações 2013 terá 15 mil agentes privados de segurança

12 novembro 2012 - 11h01EBC

A Copa das Confederações terá 15 mil agentes privados de segurança. Os profissionais cuidarão do conforto e da resolução de conflitos nos seis estádios que abrigarão o torneio. Eles trabalharão em conjunto com as forças públicas, que são as responsáveis pelos casos de polícia.

O gerente-geral de Segurança do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014, José Hilário Medeiros, explicou o modelo usado nas competições durante a I Conferência Internacional de Segurança para Grandes Eventos. Segundo ele, o Brasil vai atuar com o modelo Steward, muito usado na Europa.

“Esses agentes vão trabalhar dentro do perímetro do estádio na questão do conforto do torcedor e na resolução pacífica de conflitos. O que for ação de polícia é exclusivamente responsabilidade dos órgãos de segurança pública”, disse.

Como funcionará
Na entrada das arenas, o torcedor passará por um aparelho detector de metais, igual ao já utilizado nos aeroportos brasileiros, e haverá uma checagem visual dos ingressos. Em seguida, haverá a passagem pelas catracas com a detecção da validade dos bilhetes e com inspeção das pessoas, para saber se não está entrando nenhum torcedor com histórico de violência, processo feito com tecnologia digital. Esse trabalho será feito pelos stewards, que também são capacitados a dar informações às pessoas, direcioná-las aos assentos, acionar serviços de emergência em saúde e a polícia.

Para Medeiros, o Brasil já conta com mão de obra suficiente e capacitada para atender às necessidades dos grandes eventos. “Nós temos mão de obra qualificada e são quase 600 mil agentes de vigilância no País. O que faremos é um curso de extensão de 50 horas, fiscalizado e regulamentado pela Polícia Federal e executado pelas empresas de segurança”.

O representante do COL explica que os agentes de segurança também trabalharão para recepcionar as delegações de jogadores e de representantes e parceiros da Fifa nos aeroportos, hotéis e centros de treinamento. Por isso, o trabalho envolverá outras cidades além das sedes da Copa do Mundo. Serão 30 mil agentes privados durante a competição de 2014. “Nós temos as 12 sedes do Mundial, mas não quer dizer que as seleções façam a preparação nessas cidades. Quando uma equipe chega, a mídia vai acompanhá-la, há o apelo da população. Então, é preciso uma atuação também nesses locais”.

Curso de formação
A Polícia Federal exigirá um curso de extensão de 50 horas a todos os agentes de segurança privados. O formato da capacitação já foi definido pela instituição, junto ao Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo e outros órgãos de governo. O objetivo é transformar a conduta dos profissionais, com um foco de atuação voltado ao tratamento com o público.

“A Polícia Federal está exigindo um curso de extensão de segurança para grandes eventos a todos os vigilantes, profissionais de segurança privada, que forem trabalhar nos estádios na Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas. É um curso que foca mais no tratamento com o público, com disciplinas de direitos humanos, que é uma nova forma de conduta e atuação dos vigilantes que queremos ter no Brasil”, explicou o coordenador geral de segurança privada da PF, Clyton Eustáquio Xavier, durante a I Conferência Internacional de Segurança para Grandes Eventos que está sendo realizada em Brasília.

O treinamento terá disciplinas com enfoque em controle de acesso aos locais dos eventos, gerenciamento de público, gestão de multidões, direitos humanos e resolução de situações de emergência. Segundo Xavier, há 588 mil vigilantes privados, regulares, atuando no País, que passam, anualmente, por um controle da Polícia Federal sobre as suas condições físicas, psicológicas e antecedentes criminais.

Para ele, o modelo de segurança da Fifa ajudará a deixar um legado para o país. “Atualmente a segurança nos estádios é realizada pelas polícias militares, se depois, os promotores dos eventos, as entidades, confederações, quiserem contratar empresas de segurança privada para atuar dentro dos estádios, fica o legado. Terão que contratar empresas regulares, cujos funcionários tenham essa formação a mais”.

Histórico
A Copa das Confederações é um dos principais torneios organizados pela Fifa. Disputado de quatro em quatro anos, o evento serve como preparação para a Copa do Mundo. É obrigatoriamente realizada no ano que antecede a Copa do Mundo e é promovida pelo mesmo país-sede. Trata-se de um teste prático da capacidade do país em sediar um evento desse porte. A primeira edição foi disputada na Arábia Saudita, em 1992.

Via Brasil.gov

Peniel - amigos da pizza

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Horário do jogo decisivo entre Palmeiras e Grêmio pela Copa do Brasil é alterado pela CBF
Esportes
Colorados seguem reclamando de arbitragem em jogo contra o Flamengo
Esportes
Flamengo vence o Inter e assume a liderança a uma rodada do fim do Brasileirão
Esportes
Covid: Aos 71 anos, morre mãe de Ronaldinho Gaúcho
Esportes
São Paulo e Palmeiras duelam em jogo atrasado nesta sexta
Esportes
Santos e Corinthians se enfrentam nesta quarta
Esportes
Dois jogos encerram hoje a 36ª rodada do Brasileirão
Esportes
Flamengo enfrenta Corinthians no Maracanã em busca da ponta da tabela
Esportes
Três jogos abrem neste sábado a 36ª rodada do Brasileirão
Esportes
“Chora Porcú”, sarro em palmeirenses vira faixa em viaduto

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio