Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Esportes

De trânsito a desânimo, estrangeiros criticam Copa no Brasil

30 maio 2014 - 10h30Via Terra
Um Brasil mais organizado para a Copa do Mundo e com um povo mais alegre e ansioso para os jogos. Isso é o que jornalistas estrangeiros que chegaram ao país para cobrir os jogos esperavam. Na Granja Comary, em Teresópolis, região serrana do Rio de Janeiro, onde a Seleção está treinando, os sotaques são diferentes, mas as críticas ao Mundial são um ponto em comum. E quem compara a organização dessa Copa com a da África do Sul diz que, até agora, o Brasil está atrás.

“Estamos aqui há quatro dias e é muito difícil nos locomover pelo Rio. Há muitos carros nas ruas e a sinalização dos lugares é ruim. Nas Olimpíadas de Atenas havia uma faixa especial nas ruas para os veículos das pessoas que estavam trabalhando no evento passarem”, reclama o repórter Jorge Martinez, da Teletica, TV da Costa Rica, que disse que sua equipe levou 5h30 para fazer um roteiro que incluiu Copacabana, Maracanã e Barra da Tijuca, nas zonas Sul, Norte e Oeste da cidade.

Segundo Martinez, na África do Sul a sinalização das ruas era melhor. “Mas vamos ver se até os jogos começarem as coisas vão mudar”, diz.

Para o belga Samindra Kunti, que trabalha para o Mail & Guardian, jornal da África do Sul, o Brasil perdeu a oportunidade de investir em infraestrutura. “Vim ao Brasil no ano passado e quando cheguei ao aeroporto do Galeão, no Rio, há quatro dias, percebi que de lá para cá nada mudou. A fila para imigração era enorme, as malas demoraram. Se houvesse mais voos programados para o horário, seria um desastre. O Brasil poderia ter melhorado no que se refere a aeroportos e estradas”, afirma Kunti.

Repórter do jornal mexicano El Mexicano, Ricardo Jimenez reclama que não há ninguém para recepcionar os estrangeiros no aeroporto nem em português nem em outra língua e que sequer recebeu um mapa do Rio com as linhas de transporte público. “Na África do Sul o transporte era melhor, as instalações também”, disse Jimenez.  O mexicano se disse impressionado principalmente com a falta de entusiasmo dos brasileiros com a Copa. “Falta calor e ânimo. Ouvi muitas pessoas dizerem 'Copa não, queremos mais educação'. Viemos com a expectativa de ver o povo alegre. Futebol é Brasil e Brasil é alegria”, afirma.

O jornalista Paul Loewenthal, que trabalha para um site da Inglaterra, disse estar impressionado com os altos preços praticados no país, como de hospedagem, e decepcionado com a distância que os jornalistas são obrigados a ficar dos jogadores da Seleção. Contudo, como já veio ao país outras vezes, inclusive para o Carnaval na Bahia, ele está otimista em relação ao resultado da organização do Brasil no final. “Conheço o Brasil e sei que vai ser desorganizado, mas que, no final, tudo vai dar certo”, afirma Loewenthal.
Terra Benta

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Águia Negra enfrenta o líder do grupo e busca sua primeira vitória no Brasileiro
Esportes
Grêmio, Inter e Athletico-PR podem se classificar hoje para às oitavas da Libertadores
Esportes
Moreninhas terá Torneio de Pênaltis com prêmios em dinheiro
Esportes
Covid-19: com seis infectados, Flamengo encara Barcelona-EQU nesta terça
Esportes
Com uma novidade de Tite em convocação para início das Eliminatórias
Esportes
Em emendas parlamentares, esporte de MS recebe R$ 1,64 milhão
Esportes
Vídeo: Corinthians é recebido com protesto pela torcida no aeroporto
Esportes
Vídeo - Neymar é expulso por dar tapa em jogador que o chamou de "macaco"
Esportes
Projeto Amigos do Parque volta neste final de semana
Esportes
Moreninha lll ganhará pista de skate e quadra de areia

Mais Lidas

Cidade
Vídeo - Famílias perdem tudo em incêndio Noroeste; saiba como ajudar
Cidade
Ação une irmãs do MT e MS em prol de animais do Pantanal
Justiça
Acusado de matar a tia com 24 facadas é condenado a 8 anos de prisão
Polícia
PMA autua pecuarista em R$ 10 mil por animais silvestres em cativeiro