Menu
Busca quinta, 20 de junho de 2019
(67) 99647-9098
Esportes

Derrotado nos pênaltis, Brasil perde a Copa América para o Paraguai

18 julho 2011 - 09h29Futebol Portugal

Quatro pênaltis, todos perdidos. Exatos 17 anos depois de ser campeão do mundo exatamente nos pênaltis, o Brasil foi eliminado pelo Paraguai da Copa América, neste domingo à tarde, em La Plata. Depois de um empate em 0 a 0 em 120 minutos, em que o time brasileiro foi melhor praticamente o tempo todo, falou mais alto o nervosismo brasileiro. Elano, Thiago Silva, André Santos e Fred. Todos bateram toscamente - Villar só precisou defender a cobrança do zagueiro. Vitória paraguaia por 2 a 0.

Havia 16 anos que o Brasil não perdia uma decisão por pênaltis - em todas as competições oficiais que joga. A última havia sido em 1995, na final da Copa América daquele ano, para o Uruguai. Nas duas edições mais recente, o time havia vencido assim o Uruguai nas semifinais de 2004 e 2007 e a Argentina na final de 2004.

O adversário do Paraguai sairá do confronto entre Venezuela e Chile, que jogam logo mais em San Juan. A semifinal está marcada para a quarta-feira, às 21h45, em Mendoza, cidade com forte presença de chilenos. Na outra chave, o Peru pega o Uruguai.

O jogo

Depois de ficar ausente dos últimos treinos da seleção antes do jogo deste domingo, por conta de fadiga muscular na coxa direita, Thiago Silva virou dúvida no Brasil. A importância da partida, porém, falou mais alto e Mano Menezes pôde escalar força máxima. Já o Paraguai entrou em campo desfalcado de Roque Santa Cruz, que se machucou na última rodada da primeira fase. Valdez o substituiu.

Os paraguaios, porém, tinham o apoio da torcida, que, somada aos argentinos anti-Brasil, era maioria em La Plata. Jogavam, porém, como visitantes e a seleção brasileira é quem tocava a bola no campo de ataque. E foi numa troca de passes que nasceu a primeira boa chance do Brasil. Robinho, jogando centralizado, deu bom passe para Alexandre Pato na esquerda. O atacante procurou Ganso, mas foi travado por Da Silva. A bola sobrou com Neymar, que bateu de primeira da entrada da área. Escorregando na areia, mandou para longe.

Quando conseguiu acertar mais uma boa troca de passes com seus homens de frente, o Brasil voltou a levar perigo. Aos 26, Ganso tocou na área para Robinho, que teve espaço para chutar, mas foi solidário, passando a Neymar. O santista bateu à direita do gol.

A chance mais clara de gol no primeiro tempo, porém, nasceu da bola parada. André Santos cobrou falta da esquerda e Lúcio apareceu livre na frente do gol. Desviou de carrinho e Villar pegou a queima-roupa, na base do reflexo.

Se o primeiro tempo foi sonolento, no segundo a atuação brasileira empolgou. Logo com 3 minutos, o Brasil, que retornou para o intervalo sem alterações, voltou a levar perigo à defesa paraguaia. Mais uma vez a jogada nasceu de troca de passes. Pato deu a Neymar na área, pela esquerda. O santista cortou a marcação e bateu tirando de Villar. Alcaraz, atrás do goleiro, impediu o gol.

Ainda que não estivesse numa tarde inspirada, Neymar chamava a responsabilidade. Aos 10, ele carregou pelo meio e tocou para Ganso. A bola ainda passou pelos pés de Robinho antes de voltar ao atacante, que bateu da entrada da área, para fora.

Aparecendo ao ataque menos do que contra o Equador, Maicon recebeu de Ganso, limpou a jogada e tocou para Robinho, que bateu para fora, aos 17. Quatro minutos depois, Ganso pegou um rebote na entrada da área, chutou no canto esquerdo baixo do gol paraguaio e Villar fez ótima defesa. A bola ainda bateu no pé da trave e voltou nas costas do goleiro, indo depois para fora.

A seleção brasileira vivia seu melhor momento no jogo e, aos 27, criou mais uma boa oportunidade. Neymar bateu falta da direita, a bola passou por muita gente e chegou no peito de Pato. O atacante dominou e bateu, já na pequena área. Villar pegou com o pé, no susto.

Em busca do gol da vitória, Mano Menezes mexeu no ataque brasileiro. Tirou Neymar e colocou Fred. Com pouco tempo em campo, o jogador do Flu quase marcou, de cabeça, após escanteio batido da esquerda. Barreto tirou em cima da linha. Antes, Pato também havia ficado mais uma vez perto de abrir o placar ao receber de Robinho na área e chutar em cima de Villar. No rebote, cabeceou para fora.

O Paraguai, que só havia dado um chute a gol, aos 5 do primeiro tempo, numa batida de Estigarribia de fora da área, à esquerda, resolveu se arriscar mais no fim do jogo. Barreto e Valdez tentaram, mas só um dos chutes chegou ao gol, para defesa fácil de Julio Cesar. A melhor chance poderia ter sido aos 48 minutos, quando Ramires foi desarmado e os paraguaios começaram a armar um contra-ataque de três contra um. O árbitro Sergio Pezzotta encerrou o jogo e salvou o Brasil.

Como teve muito mais posse de bola durante todo o jogo e Mano Menezes só fez uma alteração, o Brasil chegou cansado à prorrogação. Por isso, caiu muito de rendimento. Só Robinho ainda rendia, enquanto Fred, mais descansado, esperava uma bola na área.

Aos 11 minutos, após uma disputa de bola mais dura, os jogadores de Brasil e Paraguai deram início a um empurra-empurra. Lucas Leiva e Alcaraz, que foram os que chegaram mais violentamente na confusão, foram expulsos, deixando os dois times com dez jogadores em campo. (Clique aqui e veja o vídeo da confusão)

Com as entradas de Elano e Lucas, o Brasil melhorou em relação à primeira etapa. Apesar do maior interesse em definir o jogo antes dos pênaltis, não conseguiu criar nenhuma chance real de gol. O Paraguai, por sua vez, levou perigo em um chute sem pulo de Valdez. Julio Cesar ficou olhando a bola sair pela direita. Assim como no fim do jogo, o árbitro acabou a prorrogação quando os paraguaios armavam contra-ataque.

Elano foi o primeiro a bater. Displicente, chutou muito por cima do travessão. Barreto também não foi bem, chutando à direita. Julio Cesar estava na bola. Thiago Silva bateu mal e Villar pegou na esquerda. Estigarribia encheu o pé no meio do gol e abriu o placar na quarta batida. André Santos também tentou o meio, mas repetiu Elano e mandou na arquibancada. Riveros bateu com tranquilidade e fez 2 a 0. Fred mandou para fora, pela direita, e selou a humilhante eliminação brasileira no pênalti.

BRASIL - 0 (0) - Julio Cesar; Maicon, Lúcio, Thiago Silva e André Santos; Lucas Leiva, Ramires, Paulo Henrique Ganso e Robinho; Neymar (Fred) e Alexandre Pato (Elano). Técnico - Mano Menezes

PARAGUAI - 2 (2) - Villar; Darío Verón, Alcaraz, Paulo da Silva; Aureliano Torres (Marecos); Enrique Vera (Barreto), Riveros, Estigarribia e Cáceres; Lucas Barrios (Pérez) e Haedo Valdez. Técnico - Gerardo Martino

Árbitro - Sergio Pezzotta (Argentina); Cartões amarelos - Vera, Berreto, Estigarribia, Marecos, André Santos e Maicon; Cartões vermelhos - Alcaraz e Lucas Leiva; Local - Estádio Ciudad de La Plata, em La Plata (Argentina).

Com informações do jornal O Estado de São Paulo.

Prefeitura prestação de contas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Brasil enfrenta Venezuela hoje, em Salvador, pela Copa América
Esportes
Brasil supera a Itália e garante vaga na próxima fase da Copa
Esportes
Ex-presidente da UEFA é preso em investigação de suborno
Esportes
Seleção brasileira joga contra a Itália
Esportes
Sem escolha, para continuar na Copa Brasil precisa vencer a Itália
Esportes
Atletas de taekwondo de MS competem nos EUA
Esportes
Lutador de MS é medalhe de bronze em campeonato no EUA
Esportes
Brasil e Bolívia abrem a Copa América
Esportes
Marta será titular e reforça a seleção
Esportes
Última rodada do Brasileirão começa nesta quarta-feira

Mais Lidas

Cidade
Confira a lista de habilitados para sorteio de unidades habitacionais na capital
Cidade
Campo-grandenses se unem e ajudam família que caiu em golpe da falsa encomenda
Polícia
Pai mata filho de 7 anos após convencê-lo de que brincariam juntos
Polícia
Vídeo: Homem é executado por pistoleiros em oficina