Menu
Busca quinta, 23 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
Gov - Estado que Cresce (set21)
Esportes

Em meio à crise, Adalberto Baptista deixa direção do São Paulo

26 julho 2013 - 10h02Via Terra
O São Paulo anunciou, no final da tarde desta quinta-feira (25), a saída de Adalberto Baptista da diretoria do clube. Baptista era diretor de futebol profissional e de base e pediu o desligamento ao entregar uma carta ao presidente Juvenal Juvêncio anunciando a decisão em caráter "pessoal e irrevogável". A decisão se dá em meio à crise no clube, que soma 11 jogos sem vencer, com oito derrotas consecutivas.

"Reconheço as dificuldades do momento atual, mas reafirmo minha mais absoluta confiança no sentido de que o elenco atual do São Paulo e sua Comissão Técnica reúnem todas as condições para superarem os obstáculos e ainda proporcionarem grandes alegrias à nossa coletividade. Reafirmo aqui meu compromisso de estar sempre ao lado do Presidente Juvenal Juvêncio e do São Paulo Futebol Clube em tudo aquilo que puder colaborar, agora como torcedor", diz trecho da carta enviada.

De forma interina, o vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes vai assumir a função no futebol profissional, enquanto que na base a função ficará com Marcos Tadeu, antecessor de Adalberto no cargo. Na tarde desta quinta, Baptista compareceu ao CT da Barra Funda para entregar a carta e ainda chegou a conversar com Juvenal Juvêncio e dar risada ao lado do presidente, enquanto reservas treinavam contra o time Super-20 em um dos gramados.

Adalberto Baptista era diretor de futebol do São Paulo desde maio de 2011. Em seu período à frente do cargo, o time conquistou um título - a Copa Sul-Americana de 2012. Antes, comandava o marketing do clube paulistano, função na qual foi muito elogiado em seu tempo. Adalberto era apontado como potencial sucessor de Juvenal Juvêncio na presidência em 2014. Foi o responsável pelas negociações com o banco BMG por patrocínio e pela volta do atacante Luís Fabiano, um dos fatores citados em sua mensagem de despedida do cargo.

A decisão de Adalberto Baptista abre espaço para uma mudança na administração do futebol são-paulino. O clube é obrigado a ter um dirigente voluntário (portanto não-remunerado) para ocupar a direção de futebol, mas não exclui a possibilidade da contratação de um profissional para gerenciar a equipe. A atual diretoria não se manifestou nesse sentindo, limitando-se a, em nota oficial, a agradecer a Adalberto pelos serviços prestados.

Polêmicas e desafetos
A saída de Adalberto Baptista do cargo se dá em momento de alta contestação por parte de torcedores e conselheiros. Braço direito de Juvenal Juvêncio, o ex-diretor foi alvo de seguidas polêmicas nos últimos meses, a maior delas ainda em abril: em momento delicado da temporada, demitiu o mentor do Reffis, Luis Rosan, e viajou para Portugal para disputar a Porsche Cup enquanto o clube foi à Bolívia ser derrotado por 2 a 1 pelo Strongest.

Na ocasião, foi muito criticado pela ausência em momento tão importante do ano – após o jogo, o São Paulo jogou sob pressão precisando vencer o Atlético-MG na última rodada da fase de grupos para ir às oitavas de final, feito alcançado. A eliminação na competição continental e a inoperância no mercado durante a pausa para a Copa das Confederações pioraram as coisas para Adalberto Baptista.

As polêmicas mais recentes surgiram com o goleiro, capitão e maior ídolo recente do São Paulo, Rogério Ceni. Com a crise ainda em princípio, Adalberto deu uma entrevista após a primeira derrota para o Corinthians na final da Recopa na qual criticou o camisa 1, que estaria “em vias de se aposentar” e apontou uma lesão no pé direito como causa de “algumas deficiências” como a reposição de bola e saída de gol.

O próprio Rogério Ceni havia aberto o canal de críticas ao afirmar que o clube havia “parado no tempo”. Adalberto precisou se reunir ao elenco para pôr panos quentes na polêmica e, a partir daí, foi cada vez mais contestado. Nessa mesma entrevista, negou o risco de rebaixamento e colocou o time como um dos favoritos ao título brasileiro. Nesta quinta, pediu demissão após a derrota para o Inter que colocou a equipe à beira da zona da degola.

Emerson Leão, demitido do São Paulo pela última vez em junho de 2012, tem Adalberto Baptista como desafeto declarado. Em recente entrevista à Radio Jovem Pan, chamou o ex-diretor de mentiroso e afirmou que “não entende nada de futebol”.
Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Dardistas de MS são convocados para os Sul-Americanos Sub-18 e Sub-23 de Atletismo
Esportes
Marta passa Pelé na artilharia da Seleção
Esportes
Atletas da capital vão representar MS em Campeonato Jiu-Jitsu
Esportes
Yeltsin Jaques "fez história na Paralimpíadas de Tóquio", diz Rose Modesto
Esportes
Yeltsin Jacques é recepcionado pelo Corpo de Bombeiros no Aeroporto nesta terça-feira
Esportes
Tóquio 2020: Cerimônia de encerramento encanta com a beleza da diversidade
Esportes
Anvisa paralisa jogo Brasil x Argentina e jogadores poderão ser deportados
Esportes
Campeonato Brasileiro de Handebol acontece de 03 a 07 de setembro em MS
Esportes
MS recebe Campeonato Brasileiro de Handebol neste fim de semana e feriado
Esportes
Primeiro ouro de parataekwondo da história vai para brasileiro

Mais Lidas

Geral
Vídeo: "Peixe de bosteiro", morador de rua engana população de Paranaíba
Polícia
Menino de 2 anos mata prima atropelada após dar partida em carro
Polícia
Funcionários da Energisa ficam sob mira de arma ao tentar podar árvores na Vila Olinda
Polícia
Operação “Dark Money” investiga desvio de R$ 23 milhões no esquema de corrupção em Maracaju