Menu
Busca sábado, 16 de outubro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS outubro21
Esportes

Jovem nega estar protegendo alguém ao confessar tragédia na Bolívia

25 fevereiro 2013 - 10h25Reprodução

O menor H.A.M., que assumiu em entrevista ao Fantástico ser o autor do disparo do sinalizador que atingiu e matou um jovem de 14 anos em jogo na Bolívia, afirmou que irá se entregar na próxima segunda-feira à Vara da Infância e da Juventude de Guarulhos por vontade própria. Ele também disse que não estaria protegendo os outros torcedores com esta atitude. "Não estou protegendo ninguém. Só quero assumir o meu erro".

O jovem admite estar arrependido e declarou ainda querer se desculpar com os doze brasileiros que estão presos na Bolívia desde a última quarta-feira. "Também não é certo outra pessoa pagar por uma coisa que não fez", disse. A mãe do adolescente também participou da decisão e o pressionou para que assumisse a responsabilidade pela morte de Kevin Espada. "Ele sabe, ele me conhece e eu o entregaria", afirmou, emocionada.

H.A.M. declarou ter comprado o sinalizador naval na rua de comércio popular 25 de Março e que o acidente teria acontecido porque o artefato não foi acionado na primeira tentativa. "Eu fui apenas comemorar o gol. Tirei de uma sacola, puxei a cordinha da primeira vez, mas não aconteceu nada. Na segunda vez, ele disparou em direção a torcida boliviana. Para mim, só ia acender", disse.

Depois do disparo, durante o restante do jogo entre Corinthians e San Jose válido pela Copa Liberadores, em Oruro, o jovem afirmou não desconfiar de que algum torcedor rival havia ficado ferido. "No intervalo, perguntei para os policiais se tinha machucado alguém, mas eles disseram que estava tudo bem".

O adolescente contou ainda que só tomou conhecimento da morte do adolescente boliviano quando já estava no ônibus da torcida organizada do Corinthians no caminho de volta para o Brasil. "Na saída do jogo, fomos para fora esperar o ônibus e só ficamos sabendo que ele tinha morrido no ônibus".

Ainda no estádio, quando os corintianos foram provisoriamente presos, H.A.M. preferiu ficar em silêncio e não se entregar à polícia local. "Fiquei sentado e os policiais começaram a prender o pessoal que estava lá e não vieram em mim. Não me entreguei porque fiquei com medo e não sabia o que fazer. Também pensei que eles iam ser liberados no final do jogo", argumentou.

Segundo o adolescente, ele teria assumido para integrantes da torcida organizada ser o autor do disparo do sinalizador e teria sido aconselhado a não assumir a responsabilidade. "Falaram que era melhor não me entregar porque estávamos na Bolivia e eu estava na responsabilidade deles".

Durante a entrevista, o jovem falou ainda qual era sua intenção ao levar o sinalizador, de uso proibido, ao estádio. "Eu quis buscar um espaço, quis fazer uma festa para o Corinthians. Eu amo o Corinthians", afirmou.

Via Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Paratleta de MS conquista ouro em disputa nacional em Brasília
Esportes
Eliminatórias: Brasil goleia Uruguai com brilho de Neymar e Raphinha
Esportes
Governo de MS anuncia investimento de mais de R$ 120 milhões no esporte
Esportes
Corinthians recebe Fluminense na 26ª rodada do Brasileiro
Esportes
Torcedores invadem CT e gravam Gabigol tomando banho com companheiro de Seleção
Esportes
Atletas de MS faturam 18 medalhas na Copa Regional de Taekwondo
Esportes
Derrotado pelo Santos, Felipão deixa comando técnico do Grêmio
Esportes
Copa 2022: Brasil enfrenta Colômbia pelas eliminatórias neste domingo
Esportes
Fundesporte convoca novos candidatos para entrevista do Bolsa Atleta e Técnico
Esportes
Campo Grande sedia Estadual de Judô neste sábado

Mais Lidas

Polícia
Jovem é encontrada morta ao lado da cama de hotel na fronteira
Cidade
Detran e Bombeiros recomendam que pessoas não saiam de casa
Polícia
Mãe é presa depois de consentir namoro da filha de 13 anos com rapaz de 20 anos
Clima
Vídeo: Tá chovendo ai? Tempestade com queda de granizo é registrada na capital