Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Aguas - super banner
Esportes

Lusa vê tentativa de influência de advogados às vésperas de Pleno do STJD

27 dezembro 2013 - 11h16Via Uol
Punida em primeira instância com a perda de quatro pontos no Brasileirão e consequente rebaixamento à Série B, a Portuguesa será julgada nesta sexta-feira pelo Pleno do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Às vésperas da decisão na esfera esportiva, um grupo composto por nove advogados que prestam serviços a diferentes clubes publicou nessa quinta-feira um manifesto em respaldo ao STJD, e contra manifestações que atacam a primeira decisão do tribunal. Para a Lusa, tentativa de influência no julgamento, que é minimizada pela diretoria do clube.

"Falo como advogado, não como vice-jurídico da Portuguesa: a nota diz que o STJD é autônomo e independente. Isso não existe. O Código Brasileiro de Justiça Desportiva é uma legislação disciplinar. O STJD não é autônomo e independente, tanto é que sequer é da Justiça. É um órgão administrativo da CBF", diz Orlando Cordeiro de Barros, vice-presidente jurídico da Lusa.

Em um dos principais trechos do manifesto, os advogados citam a frase rebatida pelo vice da Portuguesa: "Manifestamos nosso apoio a toda decisão que, primando pela legalidade, confirme a autonomia e a independência das decisões do STJD do Futebol Brasileiro e de qualquer outro STJD, seja do Voleibol, Basquetebol, Handebol, Futsal ou de qualquer outra modalidade", escrevem os signatários – assinam a carta os advogados Paulo Reis, Carlos Francisco Portinho, Theotonio Chermont de Britto, Paulo Rubens, Daniel Reis, Anibal Rouxinol Segundo, Daniel Cravo, Rogério Pastl e Alexandre Borba. Eles afirmam que, por motivos profissionais, João Zanforlin e Mário Bittencourt, que defendem Portuguesa e Fluminense, respectivamente, não foram convidados para se envolver com o manifesto.

Para Orlando Cordeiro de Barros, a carta vista como tentativa de influência não surtirá efeito. O vice jurídico da Lusa acredita que a opinião pública não será afetada pelo pedido dos advogados. "A opinião pública se atem àquilo que se chama bom senso e lógica, não precisa ser nenhum doutrinador ou cientista de direito para saber disso. O povo tem discernimento do que lê e do que ouve. Se essa foi uma tentativa, ela é explicitamente interna", completa o dirigente.

A diretoria da Lusa não quis dar detalhes sobre qual será a estratégia de defesa que será adotada no Pleno, nesta sexta-feira. O advogado João Zanforlin, que representa o clube após a polêmica com Osvaldo Sestário, não atendeu aos telefonemas. Segundo juristas consultados pela reportagem, são remotas as chances de sucesso da Lusa no Pleno. Os mesmos, no entanto, veem com otimismo as possibilidades do clube uma vez que deixar a esfera esportiva e levar o caso à Justiça Comum.

O estatuto da Fifa impede punição à Portuguesa e à CBF caso o clube recorra à Justiça Comum, conforme publicado na Folha de S. Paulo. Teoricamente, a Lusa deveria esgotar todas as possibilidades no âmbito esportivo antes deste recurso. A entidade máxima do futebol, no entanto, deixa a decisão para cada país. Como no Brasil a Constituição Federal – em seu artigo 217 – prevê ação da Justiça Comum em questões relacionadas ao esporte após esgotamento de possibilidades, a Portuguesa está protegida e não sofrerá punição por isso.

Desde a primeira derrota no STJD, diretoria e torcida da Portuguesa se manifestaram de diferentes formas. O presidente Manuel da Lupa chegou a dizer que o advogado Osvaldo Sestário, que representava o clube no STJD e se envolveu na polêmica pela escalação de Heverton, teria admitido a culpa por supostamente não ter avisado à diretoria do clube que o atleta havia pegado mais uma partida de gancho após cumprir suspensão automática na 37ª rodada.

A torcida da Lusa tem realizado protestos e tenta intensificar a comoção popular pela permanência do clube na Série A do Brasileirão. Líderes da principal organizada da Portuguesa promoveram protestos no centro de São Paulo que chegaram a reunir 400 pessoas e pararam a avenida Paulista. No primeiro, a Polícia Militar teve de intervir e bloqueou duas pistas da via no sentido centro-bairro.  Não houve conflito entre PM e torcedores. Os manifestantes tiveram apoio de torcedores rivais, com camisas de Corinthians, São Paulo, Palmeiras e até do Juventus.

Nos protestos o grande alvo foi o Fluminense, que terminou o Brasileirão na 17ª posição, na zona de rebaixamento, e acabou como grande beneficiado da punição à Lusa. O clube carioca escapou da degola com a retirada de quatro pontos da Portuguesa.

Também derrotado em primeira instância por escalação irregular do lateral esquerdo André Santos, o Flamengo vai igualmente ao Pleno nesta sexta-feira. Vasco e Cruzeiro também encaram o tribunal. O Vasco terá julgado o pedido de impugnação da partida contra o Atlético-PR, que teve confronto entre torcidas dentro do estádio. O time carioca alega que o jogo não tinha condições de ser retomado por motivos de segurança e que o tempo de paralisação excedeu os 60 minutos previstos no regulamento.

Já o Cruzeiro irá ao banco dos réus por ter relacionado de maneira irregular o goleiro Elisson contra o Vasco, pela 36ª rodada. Apesar de ter sido absolvido no primeiro julgamento, mesmo que a decisão seja revertida no Pleno o time não perderá o título. A punição é de no máximo três pontos e o time mineiro ficou 11 à frente do Grêmio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Com uma novidade de Tite em convocação para início das Eliminatórias
Esportes
Em emendas parlamentares, esporte de MS recebe R$ 1,64 milhão
Esportes
Vídeo: Corinthians é recebido com protesto pela torcida no aeroporto
Esportes
Vídeo - Neymar é expulso por dar tapa em jogador que o chamou de "macaco"
Esportes
Projeto Amigos do Parque volta neste final de semana
Esportes
Moreninha lll ganhará pista de skate e quadra de areia
Esportes
Messi se reapresenta ao Barcelona após tentativa frustrada de saída
Esportes
São Paulo e Fluminense se enfrentam pelo Brasileirão neste domingo
Esportes
Brasileirão deste sábado tem Flamengo, Corinthians e Santos
Esportes
Goleiros titular e reserva do Flamengo testam positivo para covid

Mais Lidas

Geral
Pré-candidato na capital, Renato Branco morre em decorrência da Covid-19
Polícia
Imagens fortes: Assaltantes de banco morrem em troca de tiros com a polícia
Polícia
Em nota, polícia diz que prefeito de Rio Verde “não estava” bêbado
Geral
Mega-Sena acumula e deve pagar R$ 43 milhões na quarta-feira