Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS setembro20
Esportes

Muricy planeja São Paulo compacto contra problema 'impossível' de resolver

27 setembro 2013 - 11h18Via Terra
Muricy Ramalho conseguiu alguns feitos desde que assumiu o comando do São Paulo, há cerca de 20 dias: tirou a equipe da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, melhorou o ambiente no clube e aumentou a confiança dos atletas. Para consolidar a reação, terá de driblar um problema que não possui solução imediata: a falta de condição física. A saída, segundo o treinador, é deixar o time mais compacto.

O problema ficou evidente no empate por 1 a 1 com a Universidad de Chile, na noite de quinta-feira (26), pela partida de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. O time começou bem e sufocou o rival, mas perdeu força ainda antes do intervalo, levou o empate e não conseguiu se impor na etapa final. “Estamos sentindo muito isso. No domingo, contra o Goiás, também foi nítido”, apontou Muricy, em referência à derrota por 1 a 0, em jogo do Brasileiro.

A saída é balancear o uso dos jogadores, poupando os mais cansados para evitar lesão. Em campo, Muricy tenta construir uma equipe compacta. “A parte física não dá para melhorar. Temos que melhorar o posicionamento, aí você corre menos, o time fica bem junto e desgasta menos”, explicou o treinador, que poupou de críticas seus antecessores Ney Franco e Paulo Autuori. Os dois sofreram com problemas físicos no time, e essa questão não poderá ser resolvida ainda em 2013.

Paulo Autuori citou o assunto ao assumir o São Paulo, após a chegada de Ney Franco. Na chegada, trocou o preparador físico José Mario Campeiz por Gilvan Santos. Campeiz voltou ao clube apenas dois meses depois para compor a comissão técnica de Muricy. “Não adianta, o professor que está aí não tem como fazer milagre. Isso (problema) vem de tempos atrás e não dá para fazer milagres”, afirmou.

A condição são-paulina foi sem dúvida piorada pelos torneios internacionais que disputou na Alemanha, Portugal e Japão. O período em viagem atrasou jogos do Brasileiro, e, na volta, o time teve de encarar maratona de confrontos. A situação é preocupante. “A gente tem que ter calma, analisar e conversar com os médicos, porque a parte física é fundamental nessa reta final do Brasileiro”, complementou Muricy Ramalho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Covid-19: com seis infectados, Flamengo encara Barcelona-EQU nesta terça
Esportes
Com uma novidade de Tite em convocação para início das Eliminatórias
Esportes
Em emendas parlamentares, esporte de MS recebe R$ 1,64 milhão
Esportes
Vídeo: Corinthians é recebido com protesto pela torcida no aeroporto
Esportes
Vídeo - Neymar é expulso por dar tapa em jogador que o chamou de "macaco"
Esportes
Projeto Amigos do Parque volta neste final de semana
Esportes
Moreninha lll ganhará pista de skate e quadra de areia
Esportes
Messi se reapresenta ao Barcelona após tentativa frustrada de saída
Esportes
São Paulo e Fluminense se enfrentam pelo Brasileirão neste domingo
Esportes
Brasileirão deste sábado tem Flamengo, Corinthians e Santos

Mais Lidas

Economia
Vídeo mostra protesto em Pedro Juan
Entrevista
Presidente do TRE, João Maria Lós, às 17h no JD1
Polícia
PMA de Miranda autua engenheiro em R$ 50 mil por degradação
Polícia
Motociclista morre depois de cortar a garganta com arame em fazenda