Menu
Busca sexta, 07 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Esportes

Olimpíadas: atletas brasileiros têm espaço exclusivo para treinamento em Londres

01 agosto 2012 - 13h52Reprodução

Pela primeira vez, boa parte dos atletas brasileiros tem uma superestrutura para treinamento exclusiva na cidade dos Jogos Olímpicos. No Crystal Palace, localizado no sul de Londres, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) tenta reproduzir as condições que as superpotências do esporte dão aos seus atletas. O local tem academia, ginásio com várias quadras de esporte, piscinas de natação e saltos ornamentais, quadras de vôlei de praia e pista de atletismo.

Ao todo, são 120 mil metros quadrados exclusivos para a delegação brasileira. O espaço começou a ser avaliado pelo COB dois anos antes do início das competições. “Criou-se um ambiente inédito dentro da nossa preparação que, na verdade, é o que se faz dentro dos principais países que têm a questão do esporte levada de uma maneira muito mais profissional”, disse o coordenador do comitê no Crystal Palace, Edgar Hubner.

Segundo Hubner, o grande diferencial é poder abrigar no centro esportivo, junto com os atletas, profissionais que não têm acesso à Vila Olímpica pelo número restrito de credenciais, como médicos, fisioterapeutas e equipes adicionais da comissão técnica. Tudo isso a 45 minutos do Parque Olímpico de Londres. “É a facilidade de não ter que fazer grandes deslocamentos e ter todos os serviços dentro do mesmo ambiente, permitindo a eles otimizar o tempo de treinamento.”

Para a goleira Chana, da seleção brasileira de handebol, que ganhou as duas primeiras partidas que disputou, ter um ginásio exclusivo faz toda a diferença. “Os outros países têm que treinar 45 minutos. A gente tem a vantagem de poder treinar uma hora, uma hora e meia. Esses minutos extras são os que decidem no final. Os campeões do esporte sempre falam dessas horas extras treinadas e a gente somou muitas horas aqui.”

O local tem um atrativo a mais. Uma chef brasileira prepara as refeições servidas no refeitório do Crystal Palace. Segundo a nutricionista Renata Parra, que ajudou a montar o cardápio, o desafio é montar um ambiente “caseiro”. “Dando uma comida caseira, brasileira, a gente consegue deixá-los mais juntos de casa e eles não sofrem tanto quanto quando vão pra competições em outros países em que não conseguem os alimentos a que eles estão acostumados a comer em casa”.

Os primeiros atletas a chegar no centro esportivo foram os da natação, ainda no dia 16 de julho. De acordo com o início das provas de cada modalidade, competidores brasileiros deixam o local e outros chegam. O Crystal Palace ficará à disposição da delegação brasileira até o fim dos Jogos Olímpicos.

Via Agência Brasil

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Liga dos Campeões da Europa retorna com jeito de Copa do Mundo
Esportes
Timão e Palmeiras abrem final do Paulista com 0x0
Esportes
Covid-19: final em Minas é suspensa Uberlândia identificar 13 infectados
Esportes
Campo-grandense Éderson, chora ao agradecer apoio da mãe na carreira
Esportes
Corinthians e Palmeiras abrem disputa da final do Paulistão nesta quarta
Esportes
Campo-grandense vira “herói” da classificação corintiana para final
Esportes
Jorge Jesus será anunciado oficialmente no Benfica nesta segunda
Esportes
Comentarista de futebol emite comentário racista contra jogador do Santos
Esportes
Clube perde único patrocinador após contratar Bruno
Esportes
Jogos entre quarta e quinta definem semifinalistas do Paulistão

Mais Lidas

Saúde
Coronavírus mata mais 23 pessoas em MS, sendo 12 na capital
Polícia
Dezenas de fuzis, pistolas e carregadores foram apreendidos pela PRF
Cidade
Após demissões e terceirização, sindicato protesta contra Energisa
Geral
Colisão entre moto e caminhonete mata casal na Lúdio Martins Coelho