Menu
Busca quarta, 22 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Abrasel-MS repudia fala de futuro ministro do novo governo

Osmar Terra, futuro ministro da Cidadania quer impor restrições à venda de bebidas alcoólicas no país

22 dezembro 2018 - 07h00Da redação

Depois que o futuro ministro da Cidadania, ex-deputado federal Osmar Terra (MDB), disse em entrevista ao jornal O Globo que estuda limitar a venda de bebidas alcoólicas em lugares mais violentos do Brasil, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de MS (Abrasel-MS), emitiu nota de repúdio em relação a possibilidade e disse que as medidas seriam antidemocráticas.

Terra, afirmou para O Globo que a ideia está sendo estudada junto ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL) e justificou que o plano é mapear áreas mais violentas para restringir vendas após determinados horários e até mesmo fechar bares após ás 23h. Ele citou o exemplo da cidade paulista de Diadema, que segundo ele, reduziu o número de homicídios depois da imposição. O futuro ministro afirmou que os altos números de mortes no trânsito são devido o uso de álcool.

Para Juliano Wertheimer , presidente da associação “não será proibindo a venda ou exposição de bebidas, impondo toques de recolher, ou outras medidas autoritárias que se resolverá problemas de segurança ou de violência no trânsito”.

Veja a nota na íntegra:

Diante das declarações do futuro ministro da Cidadania, Osmar Terra, que deseja impor restrições à venda de bebidas alcoólicas, entre outras medidas antidemocráticas, a Abrasel MS - Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, em consonância com a entidade nacional, vem a público repudiar tais intenções.

Não será proibindo a venda ou exposição de bebidas, impondo toques de recolher, ou outras medidas autoritárias que se resolverá problemas de segurança ou de violência no trânsito.

Os estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas são responsáveis pela geração de milhares de postos de empregos e pagam altos impostos aos Governos.

Nas leis brasileiras já existem dispositivos, que se aplicados corretamente, ajudam na resolução desse problema. Não pode o governo querer se eximir de suas responsabilidades, por meio de medidas que não são aplicáveis em um país democrático.

A Abrasel MS espera que o governo que assumirá em 1° de janeiro não leve a termo tais declarações, sob pena de criar novos problemas, como o desemprego, diminuição da arrecadação, além da possibilidade do estímulo da venda clandestina de bebidas, criando um grave problema social.

Educação, saúde e segurança pública de qualidade são os caminhos corretos, cidadãos e democráticos para enfrentar a violência e a criminalidade.

Juliano Wertheimer 
Presidente 

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Bosque dos Ipês terá exposição de animais marinhos de dez metros
Geral
Após pane em sistema do Detran, atendimento é normalizado
Geral
Parque dos Poderes será interditado no domingo para TAF
Geral
Facebook apaga fake news e contas de extrema-direita
Geral
Raviera lança BMW Z4 hoje na capital
Geral
Agnaldo Timóteo é internado após sofrer um AVC
Geral
Concessionárias poderão ser proibidas de cortar serviços nas sextas-feiras
Geral
Com design de Scalise, Grous Bar será inaugurado quinta-feira
Geral
“Toda manifestação é democrática”, diz Coronel David
Geral
Com falha no sistema, serviços do Detran-MS estão interrompidos

Mais Lidas

Internacional
Peão de MS vence rodeio nos EUA
Polícia
Com quatro tiros na cabeça, adolescente morre em escola
Economia
No “Dia Livre de Impostos”, capital terá cerveja com metade do preço
Polícia
Operação no camelódromo termina com um preso e motos apreendidas