Menu
Busca segunda, 18 de outubro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS outubro21
Geral

Abrasel-MS repudia fala de futuro ministro do novo governo

Osmar Terra, futuro ministro da Cidadania quer impor restrições à venda de bebidas alcoólicas no país

22 dezembro 2018 - 07h00Da redação

Depois que o futuro ministro da Cidadania, ex-deputado federal Osmar Terra (MDB), disse em entrevista ao jornal O Globo que estuda limitar a venda de bebidas alcoólicas em lugares mais violentos do Brasil, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de MS (Abrasel-MS), emitiu nota de repúdio em relação a possibilidade e disse que as medidas seriam antidemocráticas.

Terra, afirmou para O Globo que a ideia está sendo estudada junto ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL) e justificou que o plano é mapear áreas mais violentas para restringir vendas após determinados horários e até mesmo fechar bares após ás 23h. Ele citou o exemplo da cidade paulista de Diadema, que segundo ele, reduziu o número de homicídios depois da imposição. O futuro ministro afirmou que os altos números de mortes no trânsito são devido o uso de álcool.

Para Juliano Wertheimer , presidente da associação “não será proibindo a venda ou exposição de bebidas, impondo toques de recolher, ou outras medidas autoritárias que se resolverá problemas de segurança ou de violência no trânsito”.

Veja a nota na íntegra:

Diante das declarações do futuro ministro da Cidadania, Osmar Terra, que deseja impor restrições à venda de bebidas alcoólicas, entre outras medidas antidemocráticas, a Abrasel MS - Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, em consonância com a entidade nacional, vem a público repudiar tais intenções.

Não será proibindo a venda ou exposição de bebidas, impondo toques de recolher, ou outras medidas autoritárias que se resolverá problemas de segurança ou de violência no trânsito.

Os estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas são responsáveis pela geração de milhares de postos de empregos e pagam altos impostos aos Governos.

Nas leis brasileiras já existem dispositivos, que se aplicados corretamente, ajudam na resolução desse problema. Não pode o governo querer se eximir de suas responsabilidades, por meio de medidas que não são aplicáveis em um país democrático.

A Abrasel MS espera que o governo que assumirá em 1° de janeiro não leve a termo tais declarações, sob pena de criar novos problemas, como o desemprego, diminuição da arrecadação, além da possibilidade do estímulo da venda clandestina de bebidas, criando um grave problema social.

Educação, saúde e segurança pública de qualidade são os caminhos corretos, cidadãos e democráticos para enfrentar a violência e a criminalidade.

Juliano Wertheimer 
Presidente 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Prefeito Marquinhos Trad anuncia medidas para conter danos causados por tempestade
Geral
Corpo de Bombeiros localiza a última vítima do naufrágio no Rio Paraguai
Geral
Energisa aponta 5 mil quedas de energia em MS
Geral
Neste sábado central 156 prorroga atendimentos
Geral
Prefeitura aciona equipes para reparar danos causados pela tempestade
Geral
Dourados decreta estado de emergência
Geral
Com temporal Santa Casa fica sem energia
Geral
Árvores caem e causam queda de energia na capital; Energisa emite nota
Geral
AO VIVO: Árvore cai e bloqueia trânsito na Afonso Pena
Geral
Com câncer no útero, idosa precisa de ajuda para realizar cirurgia de urgência

Mais Lidas

Cidade
Naufrágio: Sobe para seis o número de corpos encontrados no rio Paraguai
Cidade
JD1 TV: O dia mais atribulado da história
Polícia
Vídeo: Assaltantes "levam bala" de vítima ao tentarem roubar carro
Cidade
"40% da cidade já foi recuperada", diz Marquinhos