Menu
Busca domingo, 24 de outubro de 2021
(67) 99647-9098
Gov 44 anos
Geral

Adolescentes de MS estão desaparecidas no Paraguai

Já faz quatro dias que Sarah Ferreira Cavalcante e Sara Medina Riquelme não são vistas

22 setembro 2021 - 08h20Gabrielly Gonzalez

Estudantes em Ponta Porã, cidade distante 323 quilômetros de Campo Grande, as brasileiras Sarah Ferreira Cavalcante e Sara Medina Riquelme, ambas de 14 anos, estão desaparecidas há quatro dias, em Pedro Juan Caballero, Paraguai. Uma das meninas mora no Brasil e estava em Pedro Juan para visitar um amigo.

“Os parentes das adolescentes não sabem o motivo do desaparecimento e denunciaram o caso à Direção de Polícia de Amambay e ao Ministério Público”, afirmou Leidy Cabañas, defensora da Infância e Adolescência de Pedro Juan Caballero, ao portal Ultima Hora.

As meninas foram vistas pela última vez em suas casa, na noite de sábado (17) e, desde então, não estariam atendendo as ligações em seus celulares. Qualquer informação sobre o paradeiro das adolescente pode ser divulgada por meio do telefone (0974) 627-084 , contato de Leidy Cabañas.

Unica - primavera

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Trabalho remoto foi mais recorrente para quem tinha curso superior
Geral
Morre Odilson Arruda Soares, ex-prefeito de Bonito
Geral
Ninguém acerta a Mega-Sena e próximo concurso deve pagar R$ 33 milhões
Geral
Capital teve poucos estragos, mas interior registrou danos
Geral
Barco que naufragou no Rio Paraguai não tinha autorização para transporte turístico
Geral
Corpo de Bombeiros divulga balanço das operações do mês de setembro
Geral
Durante uso drogas, casal vai parar dentro de córrego no Nova Jerusalém
Geral
Mega-Sena deve pagar neste sábado R$ 26,5 milhões
Geral
Vídeo - Energisa terá até helicóptero para possível vendaval
Geral
Vídeo - "Seremos eficientes", garante Marquinhos sobre vendaval

Mais Lidas

Vídeos
Tempestade atinge Bodoquena agora
Vídeos
Granizo em Dois Irmãos
Vídeos
Tempestade com granizo atinge Campo Grande agora
Vídeos
Vídeo: Fogo na fiação elétrica deixa funcionário da Energisa preso em uma 'chuva' de faísca