Menu
Busca segunda, 25 de janeiro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS Janeiro/21 juizado de transito
Geral

Após quase um ano, estuprador é condenado a uma década de prisão por ataque à aluna da UFMS

08 março 2012 - 11h40

O tatuador Robson Vander Lan, de 29 anos, responsável por uma série de estupros em Campo Grande, foi condenado a dez anos de prisão pelo ataque a uma universitária no campus da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). O estupro, ocorrido em 11 de abril do ano passado, levou à sua prisão, revelando outras cinco vítimas.

Na época, a estudante sofreu violência sexual em um matagal próximo à ponte que liga o teatro Glauce Rocha ao bloco dos cursos de Química, Economia e Administração da Universidade. A vítima conseguiu escapar, correndo nua em busca de socorro. O caso provocou protesto dos estudantes, que fecharam a avenida Costa e Silva e exigiram mais segurança. A jovem pede indenização de R$ 250 mil na Justiça. Robson foi condenado por estupro e roubo com emprego de arma. Além de ter sido reconhecido pela vítima e confessado o crime, análise de material genético comprovou que foi ele o autor da violência sexual contra a jovem. Por sua vez, a defesa do estuprador alegou que a relação sexual foi consentida.

Contudo, para o juiz Paulo Afonso de Oliveira, em substituição legal na 2ª Vara Criminal, o diálogo travado com o estuprador foi uma tentativa da vítima de escapar de uma violência ainda maior. A defesa também questionou o crime de roubo, pois os pertences da jovem foram deixados no local pelo estuprador. Porém, antes da violência sexual, ele roubou a bolsa da jovem, um celular e R$ 10.

No depoimento, Robson admitiu que só deixou os objetos porque a vítima fugiu e então ele “deixou tudo para trás”. A pena pelo estupro foi de 8 anos e do roubo de 2 anos. A condenação deve ser cumprida em regime fechado. Robson tem uma extensa lista de crimes contra mulheres, além de furtos e roubos. Ele foi condenado por esfaquear uma namorada grávida até a morte.
 
Desde 2010, cometeu uma série de estupros. Após ser preso, relatou - com calma, frieza e por vezes rindo - que primeiro, queria roubar, mas depois, por impulso, violentava as vítimas. Ele disse que as escolhia por um único critério: que a vítima estivesse em um local de pouca visibilidade. Depois, mudou de conduta: escondeu o rosto para fugir das fotografias durante audiência na Justiça sobre outro caso.

senar janeiro21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Influencer morre aos 26 anos após complicações em cirurgia de lipo
Geral
Vídeo: Deck de recanto ecológico fica submerso pelo rio Olho D'água em MS
Geral
Ex adjunto da SAS tem alta após ser internado com complicações da Covid-19
Geral
Apostadores da Mega-Sena concorrem a prêmio de R$ 22 mi neste sábado
Geral
Onça resgatada em incêndio na Serra do Amolar é devolvida ao Pantanal
Geral
Energisa e Marinha inauguram centro para capacitação de militares
Geral
Vídeo: Gato 'bate' em criança para ela não subir na janela
Geral
Estudante brasileira de 16 anos descobre asteroide durante pesquisa
Geral
AO VIVO: Posse do novo presidente do TJ, Carlos Contar
Geral
Prefeitura convoca motoristas aprovados em processo seletivo de 2019

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio