Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
Geral

Após quase um ano, estuprador é condenado a uma década de prisão por ataque à aluna da UFMS

08 março 2012 - 11h40

O tatuador Robson Vander Lan, de 29 anos, responsável por uma série de estupros em Campo Grande, foi condenado a dez anos de prisão pelo ataque a uma universitária no campus da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). O estupro, ocorrido em 11 de abril do ano passado, levou à sua prisão, revelando outras cinco vítimas.

Na época, a estudante sofreu violência sexual em um matagal próximo à ponte que liga o teatro Glauce Rocha ao bloco dos cursos de Química, Economia e Administração da Universidade. A vítima conseguiu escapar, correndo nua em busca de socorro. O caso provocou protesto dos estudantes, que fecharam a avenida Costa e Silva e exigiram mais segurança. A jovem pede indenização de R$ 250 mil na Justiça. Robson foi condenado por estupro e roubo com emprego de arma. Além de ter sido reconhecido pela vítima e confessado o crime, análise de material genético comprovou que foi ele o autor da violência sexual contra a jovem. Por sua vez, a defesa do estuprador alegou que a relação sexual foi consentida.

Contudo, para o juiz Paulo Afonso de Oliveira, em substituição legal na 2ª Vara Criminal, o diálogo travado com o estuprador foi uma tentativa da vítima de escapar de uma violência ainda maior. A defesa também questionou o crime de roubo, pois os pertences da jovem foram deixados no local pelo estuprador. Porém, antes da violência sexual, ele roubou a bolsa da jovem, um celular e R$ 10.

No depoimento, Robson admitiu que só deixou os objetos porque a vítima fugiu e então ele “deixou tudo para trás”. A pena pelo estupro foi de 8 anos e do roubo de 2 anos. A condenação deve ser cumprida em regime fechado. Robson tem uma extensa lista de crimes contra mulheres, além de furtos e roubos. Ele foi condenado por esfaquear uma namorada grávida até a morte.
 
Desde 2010, cometeu uma série de estupros. Após ser preso, relatou - com calma, frieza e por vezes rindo - que primeiro, queria roubar, mas depois, por impulso, violentava as vítimas. Ele disse que as escolhia por um único critério: que a vítima estivesse em um local de pouca visibilidade. Depois, mudou de conduta: escondeu o rosto para fugir das fotografias durante audiência na Justiça sobre outro caso.

PMCG Refis

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Jovem morre após ser atingido na cabeça por peça de 20kg
Acidente aconteceu em um armazém de grão na cidade de Rio Brilhante
Geral
Sindicato do Detran alerta: terceirização vai encarecer vistorias
Geral
Bolivianos bloqueiam fronteira e reivindicam ativação de hospital
Geral
Vídeo: Não era OVNI! Meteoro clareou céu da capital e interior
Geral
Em meio à pressão internacional, desmatamento na Amazônia dispara
Geral
Caixa libera mais um saque do auxílio de R$ 600; veja quem tem direito
Geral
Funtrab tem vaga para açougueiro, caseiro, marceneiro e outras
Geral
Vídeo: Meteoro, OVNI, o que rasgou o céu na região do Santa Maria?
Geral
AO VIVO - V12 e DJ Marcelo Natureza tocam as mais pedidas pelo público
Geral
Banda de pop/rock, V12 fará live nesta quinta-feira

Mais Lidas

Geral
Jovem morre após ser atingido na cabeça por peça de 20kg
Acidente aconteceu em um armazém de grão na cidade de Rio Brilhante
Política
Simone e Nelsinho avaliam como positiva escolha do novo ministro da Educação
Esportes
Botafogo de Ribeirão vê ilegalidade na volta do Campeonato Paulista
Geral
Sindicato do Detran alerta: terceirização vai encarecer vistorias