Menu
Busca domingo, 31 de maio de 2020
(67) 99647-9098
Geral

Com o fim da piracema, pesca está liberada nos rios de Mato Grosso do Sul a partir de hoje

01 março 2012 - 11h33Reprodução

A partir desta quinta-feira (1º) está liberada a pesca nos rios de Mato Grosso do Sul, já que a piracema chega ao fim. No entanto, há restrições. Antes de se preparar, os adeptos da atividade devem ficar por dentro das regras em alguns cursos d’água do estado e áreas de reserva de pesca.

Segundo a Polícia Militar Ambiental (PMA), a pesca é totalmente proibida em qualquer época no córrego Azul e nos rios Salobra, Formoso, da Prata, Nioaque e alguns trechos do Apa (entre a Cachoeira Grande e Cachoeirinha e entre o destacamento de Ingazeiro até a foz com o Rio Paraguai, em Porto Murtinho).

Em quatro rios, é permitido o pesque e solte: Perdido, Abobral, Vermelho e Negro (trecho entre a confluência com o córrego Lajeado, perto da cidade de Rio Negro, até o brejo existente no limite oeste da fazenda Fazendinha, em Aquidauana). Mesmo com o término da piracema, algumas práticas continuam proibidas. Segundo o major da PMA, Ednilson Queiroz, crimes como pescar com petrechos ou métodos proibidos, capturar peixes em quantidade superior à permitida ou em local proibido e capturar pescado com tamanho inferior ao permitido continuam sendo crimes.

Legislação
Há determinações específicas para pescadores amadores e profissionais relativas aos petrechos proibidos, cota para captura e transporte. Os amadores podem capturar até dez quilos mais um exemplar de qualquer peso, desde que não seja do tamanho inferior ao permitido, e cinco exemplares de piranha.

Dentre os petrechos proibidos, estão: cercado, pari ou qualquer aparelho fixo; do tipo elétrico, sonoro ou luminoso; fisga, gancho ou garateia, pelo processo de lambada; arpão, flecha, covo, espinhel ou tarrafão; substância tóxica ou explosiva; anzol de galho; qualquer aparelho de malha, como redes e tarrafas. Já os profissionais também estão proibidos de utilizar todos os petrechos listados para os amadores, com exceção dos anzóis de galho.

É permitida a utilização de tarrafa para captura de isca (altura máxima de 2m, malha entre 20 e 50 mm e linha de náilon com espessura máxima de 0,5 mm); oito anzóis de galho devidamente identificados, cinco bóias fixas (cavalinho), cinco joão-bobos (bóias), devidamente identificados. A cota para os profissionais é de 400 quilos de pescado por mês.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Balada não seguiu normas de segurança, mostra vídeo de leitor
Geral
Riedel sinaliza que objetivo agora é a Lei Kandir
Geral
Sorteio da Nota MS Premiada ocorre neste sábado
Geral
Igreja Universal poderá ter data comemorativa em MS
Geral
Universidades poderão produzir equipamentos de combate ao coronavírus
Geral
Dólar sobe com escalada de tensões entre China e Estados Unidos
Geral
Estado paga servidores no dia 4 e capital dia 5
Geral
Turma da Mônica lança máscaras com personagens e faz doações a cada venda
Geral
Caixa paga parcela dos novos aprovados no auxílio emergencial nesta sexta
Geral
Vídeo - Atriz da Globo é acusada de roubo em farmácia e desabafa no Instagram

Mais Lidas

Polícia
Por ciúmes do ex-namorado, mulher surta e esfaqueia vizinha
Polícia
Homem é preso com 122 kg de maconha escondida em veículo
Geral
Balada não seguiu normas de segurança, mostra vídeo de leitor
Polícia
Motociclista colide com carreta e acaba tendo perna e moto destruídas