Menu
Busca domingo, 24 de março de 2019
(67) 99647-9098
TJMS março-19
Geral

Com o fim da piracema, pesca está liberada nos rios de Mato Grosso do Sul a partir de hoje

01 março 2012 - 11h33Reprodução

A partir desta quinta-feira (1º) está liberada a pesca nos rios de Mato Grosso do Sul, já que a piracema chega ao fim. No entanto, há restrições. Antes de se preparar, os adeptos da atividade devem ficar por dentro das regras em alguns cursos d’água do estado e áreas de reserva de pesca.

Segundo a Polícia Militar Ambiental (PMA), a pesca é totalmente proibida em qualquer época no córrego Azul e nos rios Salobra, Formoso, da Prata, Nioaque e alguns trechos do Apa (entre a Cachoeira Grande e Cachoeirinha e entre o destacamento de Ingazeiro até a foz com o Rio Paraguai, em Porto Murtinho).

Em quatro rios, é permitido o pesque e solte: Perdido, Abobral, Vermelho e Negro (trecho entre a confluência com o córrego Lajeado, perto da cidade de Rio Negro, até o brejo existente no limite oeste da fazenda Fazendinha, em Aquidauana). Mesmo com o término da piracema, algumas práticas continuam proibidas. Segundo o major da PMA, Ednilson Queiroz, crimes como pescar com petrechos ou métodos proibidos, capturar peixes em quantidade superior à permitida ou em local proibido e capturar pescado com tamanho inferior ao permitido continuam sendo crimes.

Legislação
Há determinações específicas para pescadores amadores e profissionais relativas aos petrechos proibidos, cota para captura e transporte. Os amadores podem capturar até dez quilos mais um exemplar de qualquer peso, desde que não seja do tamanho inferior ao permitido, e cinco exemplares de piranha.

Dentre os petrechos proibidos, estão: cercado, pari ou qualquer aparelho fixo; do tipo elétrico, sonoro ou luminoso; fisga, gancho ou garateia, pelo processo de lambada; arpão, flecha, covo, espinhel ou tarrafão; substância tóxica ou explosiva; anzol de galho; qualquer aparelho de malha, como redes e tarrafas. Já os profissionais também estão proibidos de utilizar todos os petrechos listados para os amadores, com exceção dos anzóis de galho.

É permitida a utilização de tarrafa para captura de isca (altura máxima de 2m, malha entre 20 e 50 mm e linha de náilon com espessura máxima de 0,5 mm); oito anzóis de galho devidamente identificados, cinco bóias fixas (cavalinho), cinco joão-bobos (bóias), devidamente identificados. A cota para os profissionais é de 400 quilos de pescado por mês.

Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Mulheres assinam 72% dos artigos científicos publicados pelo Brasil
Geral
Preço e confiança faz com que medicamentos genéricos cresçam no mercado
Geral
Cerca de 150 mil eleitores já utilizam o aplicativo e-Título no estado
Geral
Grupo Pereira ocupa 6ª posição no ranking dos maiores supermercados
Justiça
Daniel Castro é reconduzido ao cargo de diretor da EJE-MS
Geral
Inscritos devem procurar o CCZ para agendar castração
Geral
Plano de mobilidade urbana prevê fim de pontos de alagamentos
Geral
Governo entrega Unidades de Saúde em Bandeirantes
Geral
Alessandro Coelho assume o Sindicato Rural de Campo Grande
Geral
Raviera Motors lança novas BMW na capital

Mais Lidas

Polícia
Médico veterinário morre em acidente de moto
Política
Vídeo - Deputado apanha de vereador e sai machucado
Brasil
Conheça os desembargadores que julgarão Temer
Geral
Acidente na BR-262 deixa um morto e oito feridos