Menu
Busca terça, 14 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Governo coronavirus 03
Geral

Confirmado hoje o fechamento da pediatria do Prontomed. Problema será superlotação em PS e hospitais

06 fevereiro 2012 - 14h50Reprodução

Anunciado na semana passada, o fechamento do setor de pediatria do Prontomed foi confirmado nesta segunda-feira (6), pelo diretor-presidente da junta administrativa da Santa Casa de Campo Grande, Issam Moussa, durante coletiva. A determinação entra em vigor em março e gerará um enorme problema: a pediatria do Pronto Socorro sobrecarregada.

Atualmente são nove pediatras que atuam no Prontomed, que atendem aproximadamente 26 consultas diárias. Com o fechamento do setor, a demanda será transferida para a emergência do hospital que já contabiliza diariamente 50 consultas pediátricas (trabalho feiro apenas por dois pediatras).

Além de sobrecarregar o Pronto Socorro, a medida tomada pela junta administrativa deve concentrar pacientes no Hospital da Criança e São Lucas. “Não estamos fechando as portas, estamos cortando gastos com pediatras”, explica o diretor-presidente.

O que permanece
A partir de março, a pediatria do Prontomed mantém apenas a internação. O atendimento de urgência e emergência que era realizado no setor passa todo para o Pronto Socorro da Santa Casa e vai ficar concentrado no SUS. “Ali no Pronto Socorro trabalham dois pediatras que vão continuar recebendo atendimento”, reforça Issam Moussa.

Com vinte anos de existência, a pediatria do Prontomed é o único setor no qual os médicos são profissionais celetistas, que seguem a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e não por produtividade e somam R$ 80 mil à folha de pagamento. A “economia”, defendida pela junta com o fechamento da unidade, será de mais de 50%.

Em um cálculo apresentado hoje durante a coletiva, se os celetistas seguissem a remuneração por produtividade, como as demais especialidades, a folha de pagamento ficaria em R$ 25 mil. Quando questionado sobre o porquê da decisão somente após anos de funcionamento, o diretor disse que  “cabe à antiga administração explicar. Quando nós assumimos nos comprometemos a fazer o que tinha de ser feito”.

Tentativa
Na tentativa de reverter a decisão, a Unimed e a Cassems entraram em contato para negociar com a administração do hospital. Uma reunião com a Cassems está prevista para a próxima quarta-feira (8). Com fechamento, a hora de plantão paga para enfermeiros e médicos vai subir de R$ 52 para R$ 80. A posição do Sinmed-MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul) é contrária ao que é oferecido. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Mãe pede leite, remédio ou dinheiro para salvar bebê com anomalia
Geral
Funsat encaminha mulheres vítimas de violência ao mercado de trabalho
Geral
Licenciamento de veículos pode ser emitido online
Geral
Blogueira de MS afirma estar com Covid-19 e faz “recebidos” de vitaminas
Geral
Após ser picado por naja, Pedro recebe alta e deve depor na terça
Geral
Caixa paga 1ª parcela do auxílio emergencial para aprovados em junho
Geral
Procon-MS encontra raio-X a R$ 11 em clínica e a R$ 110 na Ultramedical
Geral
Jovem morre após ser arremessada de veículo durante acidente
Geral
Bloqueio na Bolívia continua e fila de caminhões aumenta na Bioceânica
Geral
Emponderamento que chama? Mulher soca homem que a chamou de delícia

Mais Lidas

Polícia
Homem finge pedido de ajuda para chamar bombeiros de “merdas”
Geral
Mãe pede leite, remédio ou dinheiro para salvar bebê com anomalia
Polícia
Idoso é ameaçado ter cabeça decepada por inquilino
Clima
Deve chover à tarde e à noite nesta terça-feira na capital