Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Geral

Confronto de polícia e mineiros na África do Sul mata 36, diz sindicato

17 agosto 2012 - 10h26AP Photo

Pelo menos 36 pessoas morreram na quinta-feira depois que a polícia da África do Sul abriu fogo contra mineiros em greve na mina de platina Marikana, no noroeste da África do Sul, afirmou nesta sexta-feira (17) o secretário-geral do influente sindicato de mineiros NUM.

"O número que temos de ontem (quinta-feira) é de 36 mortos", disse o líder sindical Frans Baleni a uma rádio local.

O comissário de polícia Riah Phiyega disse que a polícia atirou para se defender. Ele afirmou que há 34 mortos, 78 feridos e 259 presos.

Pouco antes, o ministro da Polícia, Nathi Mthethwa, havia admitido que havia "mais de 30 mortos" e muitos feridos.

Mthethwa disse à "Talk Radio 702" que também há muitos feridos na mina, a 100 quilômetros de Johanesburgo, onde os agentes abriram fogo contra mineiros armados com machetes e paus.

O número de mortos não é definitivo e pode aumentar, segundo a imprensa local.

"A polícia fez tudo o que pôde, mas os mineiros disseram que não deixariam o local e que estavam dispostos a lutar", comentou o ministro sobre um incidente que causou comoção na África do Sul e evocou a violência do "apartheid".

Em comunicado oficial, o presidente sul-africano, Jacob Zuma, se disse "comovido e consternado por esta violência sem sentido".

"Acreditamos que há espaço suficiente em nossa ordem democrática para resolver qualquer disputa mediante o diálogo, sem violência e sem descumprir a lei", acrescentou Zuma.

Os distúrbios na mina começaram na sexta passada e, antes da tragédia desta quinta, já haviam morrido dez pessoas em incidentes violentos entre os próprios manifestantes e em confrontos dos mineiros com as forças de segurança.

O conflito começou pela disputa entre dois sindicatos rivais, a majoritária Associação de Trabalhadores da Mineração e Construção (AMCU) e a União Nacional de Mineiros (NUM), iniciada há uma semana, logo após a declaração de uma greve.

A polícia providenciou desde então um amplo dispositivo para conter os manifestantes, que a imprensa sul-africana calculou em cerca de três mil pessoas.

Via G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Presidente do Comercial, Valter Mangini, morre de coronavírus
Geral
Bombeiros intensificam combate as chamas em reservas do MS
Geral
Motociclista pula da moto em chamas após bater em caminhão
Geral
Leilão do Detran-MS tem mais de 1 mil motocicletas e 157 carros disponíveis
Geral
Governo da início ao processo de licitação para restauração do Centro Cultural José Octávio Guizzo
Geral
Vídeo: Fogo no Nabileque consome até ponte
Geral
Motorista morre ao cair em barranco próximo a ponte do grego
Geral
Empresário morre após perder controle do carro na MS-276 e colidir contra uma árvore
Geral
Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 60 milhões
Geral
Está de volta a castração de felinos pelo CCZ

Mais Lidas

Educação
Prouni: Inscrições para bolsas remanescentes terminam quarta-feira
Polícia
Ginecologista que assediava pacientes durante consultas é indiciado pela polícia
Polícia
Homem é esfaqueado nas costas durante briga na antiga rodoviária
Saúde
Campo Grande passa dos 30 mil casos de coronavírus