Menu
Busca quarta, 18 de setembro de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Contran publica mudança para transporte de criança em carro com cinto de 2 pontos

06 setembro 2010 - 10h38
O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) publicou nesta segunda-feira alterações nas regras para o transporte de crianças em veículos que possuem apenas o cinto abdominal ou de dois pontos no banco traseiro. Nesses carros, o transporte de menores de 10 anos poderá ser feito no banco dianteiro, com o uso do dispositivo de retenção adequado para a idade da criança --o bebê-conforto para crianças de até um ano, a cadeirinha para crianças entre um e 4 anos ou o assento de elevação para crianças entre 4 e 7 anos. Ainda segundo a publicação, crianças de 4 a 7 anos e meio de idade também poderão ser transportadas no banco traseiro utilizando o cinto de segurança de dois pontos sem o assento de elevação. De acordo com o Contran, as alterações foram baseadas na atual indisponibilidade de equipamentos para transporte de crianças em veículos fabricados com o cinto de segurança de dois pontos. As mudanças entram em vigor a partir de hoje e a resolução não exige que os equipamentos utilizados no transporte de crianças tenham o selo do Inmetro. Em veículos equipados com cinto de três pontos, as regras continuam as mesmas --todas as crianças devem usar os diferentes modelos de dispositivos de retenção no banco de trás. No caso de a quantidade de crianças com idade inferior a 10 anos exceder a capacidade de lotação do banco traseiro, é permitido o transporte da criança de maior estatura no banco dianteiro, desde que utilizando o dispositivo de retenção. Carros que possuem somente banco dianteiro também poderão fazer o transporte de crianças de até 10 anos de idade, desde que com o dispositivo de retenção adequado para a idade. Para o transporte de crianças no banco dianteiro de veículos com airbag, o dispositivo de retenção não poderá ter bandejas ou acessórios equivalentes e o banco deverá ser ajustado na última posição de recuo --exceto no caso de indicação específica do fabricante do carro. No caso de motocicletas, motonetas e ciclomotores, o Código de Trânsito Brasileiro estabelece que só poderão ser transportadas crianças a partir de 7 anos de idade e que possuam condições de cuidar de sua própria segurança. Quem descumprir as normas referentes ao transporte de criança está sujeito a penalidade prevista no artigo 168 do Código de Trânsito Brasileiro, que considera a infração gravíssima e prevê multa de R$ 191,54, além de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação e da retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada. Fonte: Folha de SP

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
História de Suzane Von Richthofen será contada em dois filmes
Geral
Eleição para composição do CRO/MS termina nesta tarde
Geral
Aumentou desigualdade de rendimentos entre as famílias, aponta pesquisa
Geral
PDV resultará em redução anual de R$ 8 mi, com despesa de pessoal
Geral
Anatel realiza operação de combate à pirataria de equipamentos de telecomunicações
Geral
Diretor da Emha esclarecerá dúvidas ao vivo nesta quarta, no JD1
Geral
Reinaldo estará em Rio Verde com “Governo Presente”
Geral
Aeroporto da capital opera sem atrasos e cancelamentos nesta manhã
Geral
Árvore cai e Espírito Santo está interrompida
Geral
Bolsonaro aprova lei que obriga agressor doméstico a ressarcir Estado

Mais Lidas

Geral
Supermercado Real, no São Conrado, é autuado por vender produtos vencidos
Brasil
Vídeo – Torcedor do Athletico tem a mão dilacerada ao manusear rojão
Internacional
Vídeo - De cueca, homem cai de prédio ao fugir da casa da amante
Oportunidade
TIM abre vagas para jovem aprendiz na capital