Menu
Busca domingo, 07 de março de 2021
(67) 99647-9098
Geral

CPI que investiga irregularidades da Energisa deve retornar em fevereiro

Apuração é esperada por consumidores que expõem abusos nas medições da concessionária

26 janeiro 2021 - 09h46Gabrielly Gonzalez

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Energisa, que investiga possíveis irregularidades no sistema de medição de energia elétrica em Mato Grosso do Sul, deve retornar os trabalhos a partir do dia 02 de fevereiro. Os prazos tinham sido adiados em razão da pandemia do novo coronavírus.

Presidente da CPI, deputado estadual Felipe Orro, esclareceu que teve adiamento porque os trabalhos ficaram comprometidos com a pandemia, já que as sessões da Comissão são acompanhadas por representantes do Ministério Público, Defensoria Pública, OAB, Procon, além do contato direto com os consumidores e seus familiares.

“Estamos na fase de retirada dos relógios medidores do consumo de energia e isso acaba infringindo o protocolo de medidas para a prevenção ao contágio desta doença que deixa novamente a Saúde do Estado em colapso”, explicou Felipe. 

A CPI foi intimada no mês de maio de 2020, sobre a liminar em mandado de segurança impetrado pela Energisa, que suspendeu a perícia de 200 medidores de consumo na USP de São Carlos. A concessionária alegou que o laboratório da Universidade não teria acreditação do Inmetro para realizar o trabalho de aferição.  

Ainda no mês de maio, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa entrou com dois recursos visando manter a perícia dos 200 relógios medidores na USP. Em um dos recursos, encaminhado ao presidente do Tribunal de Justiça, foi solicitada a suspensão da liminar para dar prosseguimento à perícia nos medidores. 

“Estamos aguardando essa manifestação para que o julgamento seja marcado e, enfim, possamos saber que caminho será tomado na realização da perícia desses 200 relógios. São medidores de consumidores que registraram queixa no Procon sobre aumento injustificado e precisamos desta prova técnica para direcionar as investigações”, disse o presidente da CPI. 

“O que não podemos – nem nós, nem os consumidores – é ficar com essa dúvida permanente, já que às reclamações de consumo elevado sem justificativa são muitas”, explicou Felipe Orro. 

Até o momento foram recolhidos 97 relógios medidores de consumo esperando por perícia na USP São Carlos. A CPI da Energisa continua com seus trabalhos remotos e reforça que qualquer cidadão pode fazer denúncias, sugestões ou reclamações através do telefone (67) 3389-6509, ou no e-mail [email protected] O sigilo é garantido caso o denunciante solicitar.

A reportagem do JD1 Notícias entrou em contato com a Energisa, mas até o fechamento desta matéria não houve posicionamento da concessionária. 

APP JD1_android

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Covid faz mais uma vítima, o médico Carlos Garcia Queiroz
Geral
Major Helena é a 1ª mulher a comandar Academia de Bombeiros de MS
Geral
Com R$ 6,5 milhões, Energisa amplia subestação em Bandeirantes
Geral
Prefeitura vai ampliar leitos de UTI e retornar com desinfecções públicas
Geral
Macrorregião da capital esgota capacidade de leitos
Geral
CDL viabiliza “previsibilidade” junto a Marquinhos
Geral
Empresário André Vieira morre após complicação causada por remédio
Geral
Hemosul abre o dia todo neste sábado para doações de sangue
Geral
Covid: Veja quem é o público alvo e onde podem se vacinar neste sábado
Geral
Atriz é chamada de "escrava do comunismo" por usar duas máscaras; assista

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio