Menu
Busca quarta, 03 de junho de 2020
(67) 99647-9098
Geral

Criança tem parte do pênis amputado em cirurgia de fimose

Pai realiza vaquinha online para custear tratamento futuro do filho

16 outubro 2019 - 16h57Sarah Chaves, com informações do O Tempo

O  estudante de engenharia agronômica, Alberthy Rocha, 24 anos, denunciou à Polícia Civil que o seu filho, de três anos, teve parte do pênis decepada durante uma cirurgia de fimose realizada no Hospital Municipal Dr. Carlos Marx, em Malacacheta, em Minas Gerais (MG).

O médico responsável pela cirurgia morreu devido a um infarto dois dias depois de operar a criança, provavelmente, ao saber do resultado da cirurgia, segundo possibilidade levantada pela Polícia Civil. A instituição abriu inquérito para investigar o caso.

O pai da criança conversou com o jornal O TEMPO nesta quarta-feira (16) e disse que o filho precisou passar pela cirurgia por recomendação médica. Ao chegar ao hospital para buscar o garoto, Rocha percebeu que a cama dele estava ensanguentada.

"Então, eu retirei o curativo e vi que o pênis do meu menino estava muito machucado. Chamei o médico que realizou o procedimento, mas quem me atendeu foi um plantonista, que não quis se envolver porque ele não havia participado da cirurgia. Consegui falar com o cirurgião só mais tarde, e ele me disse que aquela situação era normal e que, depois de dez dias, a cirurgia iria desinchar e meu filho ficaria bem", relata.

Rocha conta que o hospital não quis lhe entregar o prontuário do garoto e que ouviu dos funcionários que o médico que realizou a cirurgia era experiente. Entretanto, percebeu que as enfermeiras ficaram assustadas com o estado de saúde da criança. A cirurgia começou às 7h30 e terminou às 13h30. O que normalmente demoraria apenas uma hora.

Amputação constatada

Rocha conta que, ao chegar em casa, a criança continuou a reclamar de dores. Por isso, levou o garoto no dia seguinte a um hospital privado em Teófilo Otoni, na mesma região. "Ao chegar lá, o médico avaliou meu filho e disse que, de fato, parte do pênis dele havia sido amputado. Desesperei na hora", diz o estudante.

O especialista medicou a criança com um antibiótico para evitar infecção e realizou a reconstrução do coto. Enquanto estava no hospital acompanhando o filho, Rocha diz ter recebido a notícia de que o médico que tinha realizado a cirurgia havia falecido, informação que foi confirmada pela prefeitura da cidade.

O estudante diz que, agora, exatamente um mês após a realização do procedimento, o garoto está bem.

Vaquinha

Com objetivo de bancar o tratamento futuro da criança, Rocha criou uma vaquinha online. "Tenho que agradecer porque apareceram pessoas boas no meu caminho, porque o poder público só funciona sob pressão, a prefeitura quis tirar o corpo fora", aponta.

Segundo ele, a prefeitura arcou com as despesas médicas, mas não reembolsou gastos como deslocamento, alimentação e permanência em Teófilo Otoni.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Dia Livre de Impostos ocorre em Campo Grande nesta quinta-feira
Geral
Auxílio: Caixa libera saques e transferências para nascidos em março
Geral
Mapa do Feminicídio é lançado nesta segunda e mostra dados alarmantes
Geral
Detran volta a aplicar exames práticos e teóricos no interior do MS
Geral
Governo de MS cria comitê para planejar retomada pós pandemia
Geral
Dois ganhadores da Nota MS Premiada levarão R$ 50 mil, cada
Geral
Mães menores de idade já podem pedir auxílio emergencial
Geral
Caixa libera saques e transferências da 2ª parcela para nascidos em fevereiro
Geral
Familiares de vítima do coronavírus lamentam enterro sem despedida na capital
Geral
Balada não seguiu normas de segurança, mostra vídeo de leitor

Mais Lidas

Polícia
Por R$ 5 mil, casal é preso com 1,2 tonelada de maconha
Saúde
Três UPA's atendem com 15 pediatras nesta manhã de quarta-feira
Oportunidade
Funtrab tem vaga para açougueiro, confeiteiro, churrasqueiro e outras
Agronegócio
Riedel participa de videoconferência sobre agronegócio internacional