Menu
Busca domingo, 16 de fevereiro de 2020
(67) 99647-9098
tj ms topo
Geral

CRMV-MS encontra macaco-prego em clínica e interdita o local

Outras irregularidades também foram decisivas para o fechamento da clínica em Ponta Porã

11 setembro 2019 - 15h39Mauro Silva, com informações da assessoria

Uma clínica veterinária foi autuada e interditada durante fiscalização do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso do Sul (CRMV-MS), Vigilância Sanitária e do Procon-MS. O estabelecimento não estava registrado junto ao conselho de classe, não possuía alvará sanitário, nem ambiental para atendimento. A interdição aconteceu na terça-feira em Ponta Porã – a 313 km de Campo Grande.

A gerente técnica do CRMV-MS, Ana Carolina Siqueira Gonçalves, afirmou que o proprietário da clínica, que é médico veterinário, é reincidente e está desde 2017 sem registro junto ao Conselho.

Já o Procon identificou medicamentos vencidos desde 2014 era utilizados no tratamento dos animais. Com o agravamento das irregularidades já elencadas no estabelecimento, foi encontrado um  macaco-prego em situações precárias de higiene, compartilhando ambiente com animais de outras espécies, como coelhos e felinos, e sem comprovação de registro nos órgãos competentes.

Ana Carolina entrou em contato com a coordenadora da Comissão Estadual de Animais Silvestres (CEAS) do CRMV-MS, a médica veterinária Paula Helena Santa Rita para iniciar os trâmites e recolhimento do animal silvestre do local. “Se o animal fosse legalizado ele estaria com um chip e cadastrado no Sisfauna, pois todo estabelecimento que mantém animais silvestres precisa estar credenciado junto ao IMASUL e ao IBAMA”, salienta a coordenadora da CEAS.

Foi solicitado a Policia Militar Ambiental (PMA) o resgate do primata para que fosse encaminhado ao CRAS de Campo Grande. “De pronto recebemos o suporte da PMA que mobilizou equipe do Batalhão de Dourados para poder levar o macaco-prego para o CRAS da Capital”, disse a gerente técnica do CRMV-MS.

De acordo com as informações do CRMV-MS, não é possível legalizar animais silvestres que foram comprados e retirados da natureza de forma ilegal. A multa para quem mantiver animais desse tipo, que não são legalizados, varia de R$ 1.625,70 a R$ 16.250,00 por animal. O indivíduo também pode ser preso com pena de seis meses a um ano, segundo o artigo 29 da Lei nº 9.605.

Outra ação tomada foi o acionamento do CCZ de Ponta Porã, pois como houve a interdição da clínica, todos os animais que estavam no local tiveram que ser removidos para receberam os tratamentos adequados, inclusive o macaco-prego.

Também foi solicitado a Policia Militar Ambiental (PMA) o resgate do primata para que fosse encaminhado ao CRAS de Campo Grande. “De pronto recebemos o suporte da PMA que mobilizou equipe do Batalhão de Dourados para poder levar o macaco-prego para o CRAS da Capital”, disse a gerente técnica do CRMV-MS.

Para o presidente do CRMV-MS, Rodrigo Piva a ação conjunta foi bem-sucedida e o Conselho cumpriu seu papel ao defender a sociedade de profissionais que não se enquadram nas normas para prestar serviço de qualidade.

Como resultado dessa ação o médico veterinário, juntamente com a clínica, foi atuado pelo CRMV-MS, respondendo administrativamente e disciplinarmente junto à instituição. Também foi atuado pelo Procon pelo uso de medicamentos vencidos, além de ter sido atuado e multado pela PMA, respondendo por crime ambiental, com pena prevista de seis meses a um ano de detenção, em caso de condenação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Sem acertos, Mega-sena acumula para R$ 170 mi
Geral
Heineken faz recall de garrafas que podem soltar lascas de vidro
Geral
Procon-MS realiza pesquisa para comparar preços de combustíveis
Geral
Vídeo - Colégio Militar de Campo Grande faz alerta sobre desafio da rasteira
Geral
Mega-Sena acumula e vai sortear R$ 120 milhões neste sábado
Geral
Estado e Município apostam na Nota Fiscal Premiada
Geral
Siqueira "justifica" crítica à PM
Geral
Em busca de informações sobre Bioceânica, asiáticos se reúnem com Marquinhos
Geral
Reinaldo e Toffoli falam sobre necessidade de forças federais na fronteira
Geral
Prefeitura covoca 34 candidatos aprovados em processo seletivo

Mais Lidas

Geral
Sem acertos, Mega-sena acumula para R$ 170 mi
Polícia
Homem com ciúmes corta pescoço da namorada com machete
Educação
Último dia para fazer a carteirinha de estudante digital
Polícia
Família procura por adolescente desaparecida há cinco dias