Menu
Busca segunda, 06 de fevereiro de 2023
(67) 99647-9098
Geral

Dia Mundial do Café: Produto está amargo para o bolso dos brasileiros

Valor da saca quase triplicou em dois anos

14 abril 2022 - 12h50Sarah Chaves
Sebrae Materia

No Dia Mundial do café , produto não está no melhor momento e preço já atinge média de R$ 14 nos mercados e em dois anos, o valor da saca de 60kg subiu quase o triplo no mercado.

É o que mostra o gráfico do  Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA), em conjunto com a  Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ((ESALQ), em 2020, o valor da saca de 60kg era de R$ 574 e em fevereiro de 2022 registrou R$ 1,485, em relação ao café arábica líder do mercado correspondendo a mais de 60% da produção de café mundial.

Já o café robusta, vem tendo sua alta neste último mês. Ele tende a ser mais amargo e marcante. Os cafés tradicionais mais consumidos no Brasil, em sua grande maioria, são uma mistura (blend) destas duas espécies.

A estudante Brenda Assis, que não deixa de tomar café todos os dias conta que há dois anos era muito mais barato e a partir de 2021 percebeu um aumento maior. “Antes era cerca de R$ 4 reais, bem mais em conta”.

Já a jornalista Gabrielly Scaramuzzi, diz que em casa um pacote dura um mês ou menos, e na última compra, se deparou com o produto por R$ 16.

Ainda conforme relatório do PIB do Agronegócio publico em março de 2022 pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), No decorrer de 2021, a produção agroindustrial vinha se recuperando frente ao ano anterior até o final do primeiro semestre; essa aceleração não se manteve e houve piora dos resultados ao longo do segundo semestre. No fechamento do ano, houve queda de produção de café, entre outros produtos.

No caso agrícola, a alta do PIB decorreu especialmente da elevação dos preços reais, em especial dos grãos, cana e café. Isso porque, o PIB foi pressionado negativamente pelas quebras de produção em diferentes culturas devido às condições climáticas desfavoráveis

O grão de café ficou 155% mais caro ao longo de 2021. Segundo dados divulgados na primeira semana de abril pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). Nas prateleiras, para o consumidor, o preço do café subiu, em média, 52% no período.

A Abic também divulgou os dados de consumo interno do café. Foram 21,5 milhões de sacas entre novembro de 2020 e outubro de 2021, alta de 1,71% em relação ao período anterior, considerando dados de novembro de 2019 a outubro de 2020. Este volume representa 45,3% da safra de 2021, que foi de 47,7 milhões de sacas, segundo a Conab.

Segundo o presidente da Abic, Ricardo Silveira, a guerra da Ucrânia, que elevou os preços das commodities no mundo, não deve impactar o preço dos insumos no curto prazo, já que os produtores estão abastecidos, com estoque. A expectativa, segundo ele, é de que até setembro, os preços de fertilizantes voltem ao normal.

 

Sebrae Materia

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
JD1TV: "Alô, Boate Kiss", cantor ironiza tragédia durante show pirotécnico
Geral
Melhores do ano CG: especialista alerta para golpe no Instagram
Geral
Energisa irá investir mais de R$ 23 milhões no Programa de Eficiência Energética
Geral
"Estamos caminhando para uma guerra mais ampla", diz Secretário-geral da ONU
Geral
JD1TV: Motorista fica ferida após carro cair em 'cratera' no meio da rua em MS
Geral
Comerciantes do Camelódromo pedem por sinalizações e quebra-molas à Câmara
Geral
Yanomamis denunciam o assassinato de três indígenas por garimpeiros ilegais
Geral
JD1TV: Entregador é flagrado abrindo e comendo marmita no centro da Capital
Geral
Riedel dá início às entregas de habilitações pelo CNH MS Social
Geral
BBB 23: Paredão tem Gabriel, Tina e Cézar Black na berlinda

Mais Lidas

Polícia
JD1TV: Corpo é queimado em meio ao lixo no Santa Emília
Polícia
Queimado no Santa Emília foi "embrulhado" em sofá para ser carbonizado
Polícia
Jovem é esfaqueado e tem vísceras expostas no Itamaracá
Polícia
Esfaqueamento no Jardim Itamaracá foi motivado por ventilador roubado