Menu
Busca terça, 21 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Em 2018, 84 pessoas morreram no trânsito da capital

O número é maior que o registrado em 2017, quando 70 pessoas perderam a vida

17 janeiro 2019 - 14h13Da redação com informações da assessoria

O levantamento divulgado pela Gestão de Gabinete Integrada de Trânsito (GGIT) mostra que, em 2018, 84 pessoas morreram em vítimas de acidente no trânsito de Campo Grande, ou seja, foram 14 mortes a mais que o registrado em 2017, quando foi registrado 70 mortes.

As informações ainda apontam que o número de acidentes registrados na capital caiu 21,28% no ano passado com relação ao ano anterior. Em 2018 ocorreram 8.904 acidentes de trânsito, enquanto em 2017 esse número chegou a 11.311.

O chefe da fiscalização de trânsito do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS), André Canuto, analisa o aumento no número de mortos e diminuição em número de acidentes e enfatiza que o excesso de velocidade é fator predominante para as mortes. “Apesar dessa queda significativa, observamos o número maior de letalidade nos acidentes, o que quer dizer que aumentamos a violência das batidas. Um dado que pode ser facilmente analisado por conta da falta dos equipamentos que controlam a velocidade dos condutores, já que estivemos o ano todo com radares inoperantes na cidade”, disse. 

A análise feita pelo comandante do Batalhão da Polícia Militar de Trânsito de Mato Grosso do Sul (BPMTran), tenente-coronel Franco Alan da Silva Amorim, não é diferente, ele recorda que quando os radares deixaram de funcionar em 2017, os equipamentos ainda estavam fixados nos locais, o que “deixava os motoristas receosos ao trafegar”. “No ano passado esses equipamentos começaram a ser retirados e na certeza da impunidade, os motoristas passaram a abusar da velocidade, o que aumentou o número de mortos”, explicou o comandante.

Os radares voltaram começaram a ser reinstalados em dezembro do ano passado. Com isso, os resultados já começam a surtir efeito, em uma clara demonstração de que a utilização dos equipamentos é de suma importância para a segurança viária local. Pelo menos é o que explica o diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno.

Janine revela que a primeira quinzena de 2019, comparada ao mesmo período do ano passado, já traz melhorias. Em uma breve comparação dos primeiros 16 dias do ano novo com relação ao ano passado, podemos destacar facilmente esses números. “Neste período, em 2018, foram registrados 184 acidentes com vítimas e duas mortes. Esse ano, o número de acidentes é 9,2% menor, com 167 vítimas e nenhuma morte”, comemorou o diretor-presidente por não tem nenhuma morte neste ano, até agora.

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Compadre Washigton está internado após assalto
Geral
Onze pessoas morrem e uma fica ferida em chacina
Geral
Motociclista morre em acidente na BR-163
Geral
Ativistas pelos direitos humanos e LGBT são homenageados na capital
Geral
Após investigação, diretor de presídio é dispensado em Dourados
Geral
Reservatório no Distrito Federal chega a 100% de capacidade
Geral
Universidade leva serviços gratuitos à comunidade no próximo dia 25
Geral
CapacitaSUAS avança em MS e estado reforça pioneirismo na Assistência Social
Geral
Mega-Sena pode pagar 7 milhões neste sábado
Geral
Novas medidas deixarão banda larga mais acessível, segundo Anatel

Mais Lidas

Polícia
Travesti é encontrada morta na madrugada deste domingo
Cidade
Inscrições para sorteio de apartamentos na capital encerram terça-feira
Polícia
Troca de tiros termina com homem morto e PM ferido
Educação
Estão abertas as Inscrições para o Encceja