Menu
Busca quinta, 13 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
Geral

Em prol da educação: dona do 'Diário de Classe' mobiliza manifestação na web

23 outubro 2012 - 11h24Reprodução

A estudante Isadora Faber, de 13 anos, criadora da página Diário de Classe no Facebook, convidou alunos, pais, professores e funcionários de escolas públicas de todo o País a enviarem, nesta segunda-feira, 22, emails com denúncias sobre o estado precário de suas instituições ao Ministério da Educação (MEC) e às secretarias municipais e estaduais. "Vamos mostrar a eles que não estamos satisfeitos com a situação da educação no Brasil e queremos mudanças", diz a estudante em um de seus posts.

Intitulada como o Dia do basta, a mobilização surgiu por sugestão de um dos 344 mil seguidores do Diário de Classe. Além da indicação dos problemas, Isadora pediu também que seus leitores enviassem sugestões de solução para as dificuldades que enfrentam. "Se é professor e acha que tá ganhando pouco, faz igual a professora que mostrou o contracheque, tira uma fotografia e manda. Alunos que vem os problemas da escola também pode fazer isso, tira uma foto dos problemas e manda. Isso é o mínimo que cada um de nós podemos fazer pela educação", disse a adolescente.

Segundo a estudante, esta segunda-feira seria um dia em que todos que atuam junto ao ministro Aloizio Mercadante teriam de trabalhar bastante. "Vamos mandar fotos de tudo que acharmos que está errado. Eles nunca mais vão poder dizer que não sabiam", afirma.

Contatado pela reportagem, o MEC disse não ter recebido denúncias por email nesta segunda-feira. A assessoria de imprensa da pasta afirmou que assim que recebidas, as denúncias serão acolhidas e analisadas como normalmente são. Os cidadãos podem contatar o Ministério pelo telefone 0800-616161 ou pelo formulário fale conosco existente no portal do MEC.

Diários de classe pelo Brasil
Tomando a estudante catarinense como exemplo, alunos de todo o Brasil têm criado páginas semelhantes ao Diário de Classe. Nelas, eles registram, por fotos e textos, uma série de dificuldades estruturais de suas escolas. Entre os problemas apontados estão carteiras quebradas, banheiros sem porta, salas de aula abandonadas, reformas inacabadas e a constante ausência de professores.

Atualmente, há dezenas de páginas semelhantes, com denúncias de instituições públicas espalhadas pelo Brasil.

Via Estadão

Girafa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Suzano terá mega fábrica em Rio Pardo
Geral
Mega-Sena sorteia hoje prêmio acumulado de R$ 27 milhões
Brasil
Cachorro arrasta corpo de recém-nascido carbonizado pela rua
Geral
Assembleia analisa projeto que prevê  intérpretes de libras em delegacias 
Geral
Estudo confirma presença de dinossauros em MS
Geral
Policial Militar salva bebê que se afogou com o leite materno
Geral
Visitas em presídios seguem suspensas até dia 26 de maio
Cidade
Aulas presenciais voltam dia 19 de julho em Campo Grande
Geral
JD1 e iPlace do Bosque dos Ipês sortearão kits com acessórios do iPhone
Geral
MS contrata banco por R$ 13,5 mi para emissão de cartões do 'Mais Social'

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio