Menu
Busca terça, 13 de abril de 2021
(67) 99647-9098
Governo Balada - topo - abril21
Geral

Estado tem 52,4 mil pessoas diretamente prejudicadas pela chuva

09 março 2011 - 08h09
Dados da Defesa Civil apontam que há em Mato Grosso do Sul pelo menos 52.456 pessoas prejudicadas diretamente pela chuva da última semana. A situação mais crítica é em Paranaíba, distante 422 quilômetros de Campo Grande, que está sem abastecimento de água potável. A população afetada pela chuva mora em municípios cortados por rios cujo nível de água subiu tanto que inundou vias e residências ribeirinhas. Em alguns houve destruição de pontes e desmoronamento de casas. Em Aquidauana, por exemplo, o nível normal do rio de mesmo nome é 3,50 metros, mas chegou a 10,40 metros, o maior aumento de volume de água entre os municípios mais prejudicados. Na sexta-feira (4), o município ficou praticamente isolado. Nas duas pontes que dão acesso à cidade só passavam automóveis altos, como caminhonetes e caminhões. O Exército montou uma passarela para passagem de pedestres. Conforme números da Defesa Civil, do total de 226 famílias em abrigos no Estado, 60 são de Aquidauana. Oitenta e oito famílias do município estão em casas de parentes e/ou de amigos e 573 foram diretamente afetadas. A administração municipal já decretou estado de emergência, assim como as de Anastácio, Coxim e Paranaíba. A prefeitura de Dois Irmãos do Buriti ainda estuda a situação. No município, a ponte de madeira sobre o rio Aquidauana, em Piraputanga, foi levada pela enxurrada, assim como a ponte sobre o rio Jatobá, na região de Rochedo. Paranaíba- No município que faz divisa com Minas Gerais e Goiás 43 mil pessoas estão diretamente prejudicadas, segundo dados da Defesa Civil. Toda a população está sem abastecimento de água potável porque as chuvas danificaram e inundaram a estação de tratamento. Conforme informações do decreto de emergência assinado pelo prefeito José Garcia de Freitas, o excesso de chuva danificou pontes nas áreas urbana e rural, inundou diversas ruas, causou rachaduras em diversas casas e provocou desmoronamento de duas e ainda suspendeu temporariamente o transporte escolar na zona rural. Houve transbordamento dos rios iSantana, Barreiro, Córrego Fazendinha e Córrego Cachoeira. Vinte famílias estão desabrigadas. Coxim- A situação é também bastante crítica em Coxim, onde o rio Taquari subiu de 3,20 metros para 5,60 metros. Setenta famílias estão desabrigadas e 300 desalojadas. De acordo com a Defesa Civil, 7 mil pessoas foram afetadas pela enchente. Fonte: CG News
APP JD1_android

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Atividade física no combate a Covid-19 será tema de audiência na Câmara
Geral
Sem vacinas, motoristas ameaçam parar transporte público na Capital
Geral
Detran transfere atendimentos para Central de Exames na Capital
Geral
Covid: Campeã mundial de basquete, Ruth morre aos 52 anos
Geral
Corpo de bombeiros doa cestas básicas à famílias atendidas pela SAS
Geral
Covid: Câmara decreta luto e cancela sessão após vereadores perderem familiares
Geral
PGE inicia 1 fase de seleção de acadêmicos para estágio remunerado
Geral
Procon MS tem mudanças, e reclamações podem ser feitas até por cartas
Geral
Filho mata pai a facadas por não querer cortar o cabelo
Geral
Dor e silêncio, a despedida de Jackeline que morreu na Mato Grosso

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio