Menu
Busca segunda, 20 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Feriado de Páscoa requer atenção redobrada nas estradas

Educação, fiscalização e calendário de campanhas e ações podem contribuir com diminuição de acidentes e óbitos no trânsito

20 abril 2019 - 17h25Rayani Santa Cruz, com informações da assessoria

Com a chegada da Páscoa, muitos brasileiros saem para viagens e passeios em família. Neste período, porém, são recorrentes os flagrantes de condutores que extrapolam o consumo de bebidas alcoólicas, realizam ultrapassagens incorretas ou deixam de utilizar equipamentos de segurança, o que intensifica os riscos de acidentes e mortes no trânsito. No ano passado, entre 29 de março e 1º de abril, a Polícia Rodoviária Federal registrou leve queda em óbitos nas rodovias federais do país: de 83, em 2017; o número caiu para 70, em 2018.

Excesso de velocidade e ultrapassagem irregular foram, assim como nos últimos feriados, as condutas mais registradas pela PRF. Foram 59.673 imagens capturadas pelos radares fotográficos por velocidade acima do limite – somadas às 68 mil autuações deste tipo em 2017, a média é de 63,8 mil nos últimos dois anos.

Ainda no feriado da Semana Santa do último ano, também foram multados 760 condutores por associação de álcool e direção e 460 por falta do uso de cadeirinha.

A especialista em educação digital e diretora da Procondutor, empresa especializada em formação e capacitação de condutores, Claudia de Moraes, defende o uso de equipamentos de segurança para crianças e animais. "Os itens obrigatórios para crianças e pets são tão imprescindíveis para a segurança deles quanto o uso do cinto é para os adultos", afirma.

Para ela, a fiscalização deve ser aliada a outros dois fatores. "Além do aumento da fiscalização, a educação é o melhor caminho para a diminuição de acidentes. No entanto, paralelamente a ela, é fundamental que haja um calendário de campanhas e ações efetivas em relação a esses temas", sugere Claudia.

O Brasil é o quinto país no ranking com mais mortes de trânsito no mundo, totalizando 47 mil por ano, o equivalente a um óbito a cada 12 minutos. "A primeira ação para uma mudança de cenário é a educação, que, inclusive, deve ser prioridade. Isso faria com que os condutores respeitassem mais as leis de forma consciente, ao invés de acharem que o único prejuízo ao cometerem imprudências é somente no próprio bolso", conclui Claudia.

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Motociclista morre em acidente na BR-163
Geral
Ativistas pelos direitos humanos e LGBT são homenageados na capital
Geral
Após investigação, diretor de presídio é dispensado em Dourados
Geral
Reservatório no Distrito Federal chega a 100% de capacidade
Geral
Universidade leva serviços gratuitos à comunidade no próximo dia 25
Geral
CapacitaSUAS avança em MS e estado reforça pioneirismo na Assistência Social
Geral
Mega-Sena pode pagar 7 milhões neste sábado
Geral
Novas medidas deixarão banda larga mais acessível, segundo Anatel
Geral
Vídeo - Após mulher trocar senha do wi-fi, vizinhos apedrajam casa
Geral
Feijoada do FAC terá renda revertida em agasalhos

Mais Lidas

Polícia
Travesti é encontrada morta na madrugada deste domingo
Cidade
Inscrições para sorteio de apartamentos na capital encerram terça-feira
Brasil
Menores vítimas de violência sexual costumam mostrar sinais
Geral
Universidade leva serviços gratuitos à comunidade no próximo dia 25