Menu
Busca quarta, 15 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
Geral

Hospital Regional vai dobrar atendimento neonatal

30 agosto 2010 - 01h29
A ala de pediatria e ginecologia do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HR) está sendo totalmente reformada. Com a ampliação o HR vai dobrar o número de leitos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal, que passará de 20 para 40, sendo 10 leitos destinados às mães integradas ao método Canguru. Os quartos são equipados com poltronas reclináveis para amamentação e camas para permanência da mãe no hospital. Na UTI neonatal permanecem bebês com peso entre 500 gramas e 2,5 quilos. O setor materno- infantil atende mulheres com gestação de alto risco e realiza em média 150 partos por mês. Em 2009 o Hospital Regional realizou 1,5 mil partos. Os bebês saem do hospital já registrados no cartório que funciona dentro do HR. No local também são realizados os testes do pezinho - para detectar cinco doenças entre elas hipotireoidismo e fibrose cística- e da orelhinha, que faz a triagem para verificação do desenvolvimento auditivo. As obras de reforma e ampliação do segundo andar do hospital, onde ficará concentrado o setor materno-infantil, devem ser concluídas em outubro deste ano. Para a reforma geral da unidade de saúde, que inclui além da UTI neonatal o banco de leite, ampliação do setor de hemodiálise, do pronto socorro e UTI adulto, a administração estadual vai investir R$ 10 milhões. Mãe canguru Como o animal que dá nome ao método a mãe mantém o bebê prematuro junto ao corpo para que ele receba calor e leite materno, para que possa se desenvolver normalmente. A aplicação exige forma diferenciada de manipulação da criança e ainda o controle de ruído para que o ambiente externo seja semelhante ao meio intrauterino. “Tentamos minimizar o choque para o bebê”, explica a médica Mirian Jorge Azevedo. O sistema inclui a participação de toda a família e a mãe fica com a criança todo o tempo em que ela permanecer no hospital. Os profissionais da equipe multidisciplinar -formada por oftalmologista, pneumologista, cardiologista, gastroenterologista, nutricionista, fisioterapeuta e psicólogo- que fazem o acompanhamento dos bebês orientam os pais em como proceder durante a adaptação do filho prematuro. Fonte: notícias.ms
Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Prefeitura multa Consórcio Guaicurus em R$ 12 milhões
Geral
Carnaval no Rio pode acontecer só em junho
Geral
Governo amplia prazo de redução de jornada e suspensões de contratos
Geral
Orro quer proibir atos públicos para evitar aglomerações
Geral
Aos 27 anos, Adalberto perde a luta contra o coronavírus
Geral
Saque de auxílio emergencial é liberado para beneficiários do 3º lote
Geral
Mãe pede leite, remédio ou dinheiro para salvar bebê com anomalia
Geral
Funsat encaminha mulheres vítimas de violência ao mercado de trabalho
Geral
Licenciamento de veículos pode ser emitido online
Geral
Blogueira de MS afirma estar com Covid-19 e faz “recebidos” de vitaminas

Mais Lidas

Polícia
“Encontraram o monstro”, diz primo de Carla sobre assassino
Polícia
Ex-patroa é denunciada por abandono de incapaz que resultou em morte
Saúde
MP solicita inspeção em frigoríficos no interior
Polícia
Comerciante foi morta porque reconheceu voz de ex-funcionário, diz investigação