Menu
Busca terça, 26 de março de 2019
(67) 99647-9098
TJMS março-19
Geral

Incêndio destrói ônibus que servia de moradia para família de artesão

15 agosto 2011 - 10h18Pedro Peralta

Em pouco mais de 10 minutos, o fogo destruiu um ônibus que era utilizado como casa e local de trabalho de um artesão. As chamas além de atingir todo o veículo, com pertences dentro, também ameaçou a residência de madeira onde o ônibus estava estacionado, no bairro Noroeste.

"Foi tudo muito rápido. Ficamos com medo do fogo chegar em nossa casa, mas também desesperados com a destruição do ônibus. Era a casa deles, tudo que tinham. Agora perderam tudo", diz, ainda chorando, a moradora da residência e nora do proprietário do ônibus, Fernanda Lourenço Cornélio, de 29 anos.

No veículo, moravam o artesão Claudinei da Silva, a esposa e a neta de 5 anos. Todos os pertences da família - móveis, eletrodomésticos e roupas – e materiais de trabalho do artesão estavam dentro do ônibus. Tudo foi destruído pelo incêndio.

Eles viajaram para trabalhar em Aquidauana na quinta-feira (11) e deixaram o veículo estacionando no local porque o motor estava estragado. Fernanda não sabe explicar como o fogo começou, nem a causa e diz que as portas estavam trancadas.

"Minha filha estava vendo TV quando sentiu um cheiro de queimado e desligou. Achamos que era um curto-circuito e olhamos pela casa, mas não encontramos nada. Então, vi fumaça saindo da porta do ônibus, fui tentar abrir, mas a maçaneta estava muito quente e desisti", conta.

Ela foi pedir ajuda aos vizinhos e acionou os bombeiros. Os populares tentaram apagar o fogo com extintores de incêndio de carros, até a chegada do resgate, mas Fernanda conta que o vento só aumentava as chamas.

O fogo chegou a poucos metros da residência e, de acordo com os bombeiros, as chamas podiam ser vistas da BR-262, logo na entrada do bairro. Duas viaturas e mais de 2 mil litros de água foram necessários para controlar o incêndio.

A causa do incêndio só será confirmada após perícia, mas o superaquecimento de algum aparelho eletrodoméstico é apontado como a principal causa, de acordo com os bomebiros."Pode ser que algum equipamento tenha sido esquecido ligado e super aqueceu. Esse calor que está fazendo pode ter contribuido", explica o tenente Duilio.

A moradora ressalta que na noite de ontem entrou no ônibus para fechar as portas e nenhum equipamento estava ligado. No entanto, ela diz que dentro do veículo é muito quente e acredita que isso possa ter ajudado no incidente.

Ajuda

O artesão sobrevive com o dinheiro que consegue fazendo gravações em objetos e alugando materiais para festa. Com o incêndio, Fernanda diz que o sogro não terá como trabalhar e onde morar, já que perdeu todos os seus pertences.

A família pede a ajuda da população, que possa fazer qualquer tipo de doação. "O que puderem ajudar é válido, porque perderam tudo", diz Fernanda.

Eles precisam, principalmente, de roupas de criança para a neta de 5 anos, móveis e eletrodomésticos. O artesão já foi avisado sobre o incêndio e está retornando para Campo Grande.

As doações podem ser feitas na residência, que fica na rua Frei Caneca, quadra 288, lote 19 – Jardim Noroeste. O telefone para contato é 9242-8943.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Flávio Muniz traz para Campo Grande a palestra "Fortuna Digital"
Geral
Caso Marielle tem novo delegado responsável
Geral
Decreto de Reinaldo garante proteção dos rios de Bonito e Jardim
Geral
Indígenas liberam ponte após negociação
Geral
Jornalistas promovem workshop “Inove sua imagem”, na capital
Geral
Segue aberto prazo para cadastro na Agehab
Geral
Lances para leilão no Detran encerram nesta segunda
Geral
Governo divulga resultado do 37º Curso de Formação da Agepen
Geral
Índios fecham ponte que liga Paraná ao Mato Grosso do Sul
Geral
Cantor sertanejo morre em acidente na BR-163

Mais Lidas

Geral
Cantor sertanejo morre em acidente na BR-163
Polícia
Imagem Forte - Homem é executado com mais de 20 disparos em Ponta Porã
Política
Vídeo - Deputado apanha de vereador e sai machucado
Polícia
Trabalhadores encontram corpo no rio Anhanduí