Menu
Busca domingo, 07 de março de 2021
(67) 99647-9098
Geral

Lei coloca Mato Grosso do Sul na lista de estados sem fumódromos

05 outubro 2012 - 11h15Reprodução

Desde esta quinta-feira (04) Mato Grosso do Sul começa a fazer parte da lista dos estados livres de fumódromos. O estado ganha esta classificação após a publicação da Lei nº 4.256 no Diário Oficial desta quinta-feira, que revoga o Art. 3 º da Lei nº 3.576, que determinava a disposição de salas e recintos destinados exclusivamente aos fumantes, com ventilação e adequados às medidas de prevenção a incêndios.

Atualmente, sete estados fazem parte do grupo que já conta com a lei antifumo: Rondônia, São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas, Roraima, Paraíba e Paraná. Para a coordenadora da Gerência Técnica de Prevenção e Controle do Tabagismo da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES / MS), Tina Carvalho, a retirada dos fumódromos representa um grande passo na conscientização da população do estado, porém é necessário que as medidas de controle continuem constantes. “Reduzimos a níveis toleráveis em relação ao consumo de tabaco em Mato Grosso do Sul. Mas as medidas de conscientização devem continuar. Conseguimos este resultado graças à constante vigilância e conscientização que a população vem realizando. Este mesmo compromisso deve ser intensificado cada vez mais nos municípios do interior, para que este índice não seja algo passageiro”, destacou a coordenadora.

O tabagismo causa cerca de 50 doenças diferentes, principalmente as cardiovasculares como hipertensão, infarto, angina e derrame. Ele é responsável por mortes por câncer de pulmão, de boca, laringe, esôfago, estômago, pâncreas, rim e bexiga e pelas doenças respiratórias obstrutivas como a bronquite crônica e enfisema pulmonar.

A fumaça do cigarro é a principal forma de contágio. Ela possui 4.720 substâncias tóxicas diferentes, incluindo a nicotina, que é a causadora do vício e é cancerígena. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil já registrou uma discreta redução de fumantes entre 2010 e 2011 e passou de 15,1% para 14,8%. Em 2006, o País tinha 16,2% de fumantes. Para o Ministério da Saúde, medidas como a proibição dos fumódromos, o aumento de preços do cigarro e a proibição do uso de aditivos devem, juntas, ter um impacto significativo na redução do tabagismo nos próximos anos.

Via Notícias MS

APP JD1_apple

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Vigilância interdita Rat Cold Beer por aglomeração em toque de recolher
Geral
Mega-sena acumula e próximo sorteio será de R$ 27 milhões
Geral
Última chance; inscrições para apartamentos do Jardim Canguru terminam amanhã
Geral
Covid faz mais uma vítima, o médico Carlos Garcia Queiroz
Geral
Major Helena é a 1ª mulher a comandar Academia de Bombeiros de MS
Geral
Com R$ 6,5 milhões, Energisa amplia subestação em Bandeirantes
Geral
Prefeitura vai ampliar leitos de UTI e retornar com desinfecções públicas
Geral
Macrorregião da capital esgota capacidade de leitos
Geral
CDL viabiliza “previsibilidade” junto a Marquinhos
Geral
Empresário André Vieira morre após complicação causada por remédio

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio