Menu
Busca sexta, 18 de junho de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - Junho21
Geral

Mulher que caiu em buraco vai receber R$ 8 mil

Sete anos depois, o condomínio e a prefeitura de Campo Grande terão de indenizar a mulher

21 novembro 2018 - 10h39Da redação

Uma pedestre que caiu em um buraco na calçada em frente a um condomínio e sofreu uma fratura, vai ser indenizada pela prefeitura e pelo condomínio. Ela deve receber R$ 8 mil por danos morais e R$ 490,00 por danos materiais. O fato ocorreu no dia 8 de março de 2011 e a sentença saiu esse mês, proferida na 4ª Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos da Capital.

De acordo com informações do Tribunal de Justiça, a mulher caminhava na calçada, onde a iluminação era precária e em frente ao condomínio caiu em um buraco sofrendo fraturas no tornozelo e pé esquerdos. No hospital, a vítima passou por cirurgias e teve de permanecer em repouso pelo período de nove meses, recebendo auxílio doença pelo INSS.

A pedestre alegou que teve gastos com a colocação de pinos de platina, no valor de R$ 490,00. E que houve omissão dos réus na manutenção, conservação e fiscalização das condições do passeio público. Pediu a condenação por danos morais e lucros cessantes pelo período em que ficou sem trabalhar, além de indenização por danos materiais, estéticos e morais. 

Contestação

O condomínio alegou que a causa do acidente teria sido a má iluminação pública do local, responsabilidade do município. 

Já o município alegou que a vítima teria recebido o auxílio-doença sendo esse superior à remuneração do cargo que ocupa. E pediu pela improcedência dos pedidos.

Decisão

Para o juiz Marcelo Andrade Campos Silva, a omissão é específica quando o estado ou, no caso, o município, tem a obrigação de evitar o dano e fiscalizar o correto funcionamento dos serviços públicos, garantindo a manutenção.

A autora comprovou que o benefício do INSS era inferior ao seu salário e também deve ser indenizada no prejuízo material alegado com a aquisição de pinos. Porém, o magistrado julgou  improcedente o pedido de danos estéticos.

O juiz entendeu que houve omissão do município e julgou procedente o pedido de danos morais.

Vai di Vinho

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Sectur abre inscrições para Curso de Mosaico
Geral
Jovem de 27 anos morre após complicações da Covid-19
Geral
Cultura lamenta morte de Lincoln Gouveia
Geral
Atenção: Licenciamento de veículos com placas 3 e 4 vence neste mês
Geral
Cantor de reggae, Lincoln Gouveia é encontrado morto
Geral
Motorista não vê cavalo solto na pista e atropela animal na MS-134
Geral
Capital retoma vacinação de pessoas com 49 anos e D2 da Coronavac nesta sexta
Geral
103 relógios da Energisa já podem ser periciados
Geral
Capital pode ter memorial de vítimas da covid com nome de apóstolo
Geral
Tiago Leifert substitui Faustão nas tardes de domingo da Globo

Mais Lidas

Polícia
Tio engravida sobrinha de 13 anos e tia tenta fazer aborto, mas criança nasce
Geral
Ciclista morre ao ser atropelado voltando do serviço
Geral
Agente penitenciário é mais uma vítima da Covid-19 na capital
Polícia
Pastor preso por estupro de adolescentes, já foi detido por violência doméstica