Menu
Busca segunda, 20 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Nelsinho lança hoje obras do Pólo Empresarial Sul nas Moreninhas

30 agosto 2010 - 01h16
O prefeito Nelson Trad Filho lança hoje (30), às 10h30 - no Trevo Três Barras, localizado no anel rodoviário na BR 040 - as obras do Pólo Empresarial Sul Wilmar Lewandowsky. Projeto que transformará a vida de milhares de pessoas por meio do desenvolvimento econômico e social, o núcleo industrial está em fase de implantação na região urbana do Córrego Bandeira, próximo às Moreninhas, uma das maiores concentrações populacionais da Capital. “O início das obras marca uma nova era no desenvolvimento de Campo Grande”, garante o prefeito Nelson Trad Filho. O projeto do Pólo Empresarial Sul foi lançado em julho de 2009 e sua execução avança neste ano. A ação é o cumprimento de mais uma das 15 metas assumidas pelo prefeito perante a população. Com seu lançamento, a Capital passa a contar com cinco pólos empresariais, nos quais foram investidos mais de R$ 804 milhões e promovida a geração de mais de 11.200 empregos diretos. Gente e Renda A previsão é que o Pólo Empresarial Sul gere cerca de 15 mil empregos diretos e indiretos por meio da implantação de empresas diversas. Com área total de 52 hectares, o local tem posição estratégica. Situado às margens do anel rodoviário, nas proximidades da saída para Três Barras, funcionará como eixo fundamental para a interligação dos sistemas rodoviário e ferroviário de Campo Grande com as BRs 163, 262 e 060. A proximidade com as Moreninhas facilitará o desenvolvimento econômico do conglomerado de bairros e ainda fornecerá qualidade de vida a milhares de trabalhadores com acesso ao local de trabalho a menos de 2 km de casa. “A região tem um dos maiores contingentes de trabalhadores e grande potencial econômico. Sempre recebemos pedidos de criar mais um pólo na região das Moreninhas e a partir de agora conseguiremos preencher esta lacuna”, lembrou o prefeito. Moradia As famílias da região ainda serão beneficiadas com novas unidades habitacionais que vão ser construídas pela Emha (Empresa Municipal de Habitação). Serão disponibilizados 800 lotes individuais de 10m x 20m. A cessão da área para as novas casas faz parte da contrapartida exigida pela Prefeitura Municipal no acordo de utilização do local para a implantação do Pólo, chamado operação urbana consorciada. Prevista no Plano Diretor de Campo Grande, a operação urbana consorciada tem objetivo de envolver iniciativa privada e poder público em prol da execução de projetos de interesse social. Infraestrutura e Investimentos A implantação do Pólo Industrial Sul contará com investimentos das empresas que irão se instalar no local. Serão construídos vias, ciclovias e acessos, drenagem e pavimentação asfáltica, redes de água e esgoto e energia elétrica. A Sedesc (secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, de Ciência e Tecnologia e do Agronegócio) coordena os estudos para definir o perfil da atividade industrial que vai ser desenvolvida no novo pólo. O ponto de partido dos estudos é que as indústrias trabalhem com responsabilidade sócio-ambiental, já que a área é próxima a um dos mananciais da cidade (o Lageado). A área dispõe de licença prévia para construção já aprovada pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano). O total de 52 hectares poderá ser dividido entre 66 lotes de 5 mil m² ou 165 lotes de 2 mil m². O projeto do loteamento a ser desenvolvido no Pólo Industrial tem prazo de aprovação estimado em 30 dias. A previsão é que a área onde será construído o Pólo, bem como o terreno onde serão edificadas as casas da Emha, estejam disponíveis à população dentro do prazo de oito meses. Realizando sonhos Ainda não é possível estimar os tremendos lucros que serão gerados para Campo Grande com o funcionamento do Pólo Industrial Sul, mas a comunidade do entorno já afirma que a implantação representa a realização de um sonho. A região do córrego Bandeira é a maior beneficiada. Formada pelos bairros Carlota, Doutor Albuquerque, Jardim Paulista, Maria Aparecida Pedrossian, Moreninhas, Rita Vieira, São Lourenço, Tiradentes, TV Morena, Universitário e Vilas Boas, somam juntas mais de 100 mil habitantes. Só o complexo Moreninhas, formado por 10 bairros, tem 70 mil habitantes. “Lutamos para que a região tenha seu próprio Pólo Industrial há mais de 15 anos porque sabemos o quanto trabalhar em um setor especializado faz diferença para o crescimento econômico e qualidade de vida das famílias. Somos muito gratos à administração do prefeito Nelson Trad Filho que possibilitou que este sonho se tornasse realidade”, diz o presidente do conselho da Região Urbana do Bandeira, Jurandir Domingues de Oliveira. Para ele, os benefícios para o trabalhador das Moreninhas serão imensos e diversos. “Hoje em dia contabilizamos mais de 30 mil pessoas que se deslocam todos os dias das Moreninhas para a região central e outros bairros para trabalhar. Isso representa um gasto de 20% a 30% do salário somente em transporte urbano e alimentação, o que é absurdo”. Para Jurandir, a implantação do Pólo Industrial Sul vai, inclusive, diminuir o número de acidentes no trânsito na BR 163 e Avenida Gury Marques. “A distância percorrida do trabalho até em casa será muito menor, permitindo o deslocamento até a pé ou de bicicleta. Com certeza o Pólo vai mudar a vida de muita gente para melhor e até unir mais as famílias”. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, de Ciência e Tecnologia e do Agronegócio, Natal Meira Barros, ainda cita outro ponto importante no advento do núcleo industrial: a qualificação do trabalhador. “Indústrias especializadas atraem salários com valores altos, o que eleva o nível de renda, fazendo crescer investimentos na região, oferta de emprego e, conseqüentemente, qualidade de vida para a população do entorno do Pólo. Com o aumento do consumo de alimentos, itens do vestuário e outros bens, a economia se mantém viva e forte”. Meio ambiente preservado Para que o desenvolvimento não afete o meio ambiente do entorno do Pólo Industrial Sul, a Prefeitura de Campo Grande vai construir o Parque Linear do Córrego Lageado, um dos principais mananciais de abastecimento da região do Anhanduizinho. O córrego margeia a Avenida Guaicurus, indo dos bairros Lageado a Alves Pereira. Estão previstas a pavimentação e drenagem do Lageado, com investimentos estimados em R$ 47.160.341,21, sendo aproximadamente R$ 42 milhões de recursos do Governo Federal. A população terá acesso aos benefícios de obras do entorno do córrego, como pistas de caminhada e área de lazer, bem como a mata ciliar preservada. O acesso à região também será facilitado. A Prefeitura Municipal prevê construir novo acesso às Moreninhas. Os investimentos giram em torno de R$ 61.302.740,33, sendo aproximadamente R$ 57 milhões de recursos Governo Federal. O entorno do Pólo Industrial Sul também ganhará melhorias e nova organização com a construção de pequenos e grandes anéis e rotatórias de acesso.
Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Reservatório no Distrito Federal chega a 100% de capacidade
Geral
Universidade leva serviços gratuitos à comunidade no próximo dia 25
Geral
CapacitaSUAS avança em MS e estado reforça pioneirismo na Assistência Social
Geral
Mega-Sena pode pagar 7 milhões neste sábado
Geral
Novas medidas deixarão banda larga mais acessível, segundo Anatel
Geral
Vídeo - Após mulher trocar senha do wi-fi, vizinhos apedrajam casa
Geral
Feijoada do FAC terá renda revertida em agasalhos
Geral
Caminhão da Serasa chega a Campo Grande na próxima semana
Geral
UFMS pode paralisar em setembro, diz Marcelo Turine
Geral
Casas Bahia é autuada por publicidade enganosa

Mais Lidas

Polícia
Travesti é encontrada morta na madrugada deste domingo
Cidade
Inscrições para sorteio de apartamentos na capital encerram terça-feira
Brasil
Menores vítimas de violência sexual costumam mostrar sinais
Geral
Universidade leva serviços gratuitos à comunidade no próximo dia 25