Menu
Busca segunda, 19 de outubro de 2020
(67) 99647-9098
Sebrae/mulher
Geral

Obras do Minha Casa podem ser concluídas em dois anos e meio

Medida elaborada pelo MDR ainda precisa ser sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro

21 novembro 2019 - 08h32Sarah Chaves, com informações do Estadão

As obras do Minha Casa Minha Vida podem ser concluídas em até dois anos e meio se a Medida Provisória (MP) apresentada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR),for aceita pelo Congresso e assinada pelo presidente Jair Bolsonaro.

 De acordo com a Medida Provisória (MP), as construtoras devem finalizar as obras pendentes, e caso não aceitem, as empresas terão que devolver os recursos que já receberão da União, com juros e correção monetária.

O texto da MP está agora no Ministério da Economia, onde se discute a liberação de R$ 280 milhões para o término das obras, sendo R$ 150 milhões em recursos novos, destinados a 44.426 moradias em 1.895 municípios de 25 Estados. A medida trata da modalidade do programa para cidades de até 50 mil habitantes e famílias com renda de até R$ 1,6 mil por mês.

As obras dessa modalidade do programa estão paralisadas desde 2018, porque expirou o prazo para conclusão previsto em lei. O texto determina que empresas ou agentes financeiros responsáveis por obras atrasadas devem se manifestar em até dois meses, a partir da assinatura da Medida Provisória (MP), para demonstrar interesse em entregar as unidades habitacionais. Caso contrário, o governo deve inscrever os inadimplentes na dívida ativa da União.

Segundo nota assinada no começo de novembro por técnicos do MDR, a ideia é distribuir gradativamente os recursos: R$ 100 milhões em 2020; R$ 100 milhões em 2021; e R$ 80 milhões em 2022, liberados após a entrega da unidade.

Em documento ao secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, o número 2 do MDR, Mauro Biancamano Guimarães, afirma que um novo aporte será necessário para terminar as obras, mesmo contando com os recursos do chamado restos a pagar, que são despesas registradas no Orçamento, mas transferidas de um ano para outro.

A MP precisa ser assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada no Diário Oficial, para se tornar decreto. O texto enviado em 13 de novembro, ainda poderá ser alterado no Congresso, com sugestões de deputados e senadores.

pax nacional

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Energisa rebate Procon e fala em reclamações improcedentes
Geral
Pesquisa mostra falta de cerveja nas prateleiras dos supermercados
Geral
Proprietária de frigorífico tem a mão presa em moedor de carne
Geral
Vídeo - Homem é filmado por vizinhos fazendo "cavalinho de pau", no bairro Sayonara
Geral
Procon já recebeu mais 15 mil reclamações este ano; Energisa lidera ranking
Geral
Jade Magalhães confirma término do noivado com Luan Santana
Geral
Com Covid-19, sambista Jorge Aragão está na UTI
Geral
Versão online do cartão do SUS está disponível no MS Digital; veja como usar
Geral
UEMS vai ofertar mais de 400 vagas para cursos de graduação a distância
Geral
Professor envia foto nu para grupo de alunos do fundamental

Mais Lidas

Geral
Energisa rebate Procon e fala em reclamações improcedentes
Internacional
Jovem é presa tentando entrar com dinamite em presídio onde estão membros do PCC
Política
Ibope - Gestão de Marquinhos tem 52% de aprovação e 16% de rejeição
Política
Projeto do marco legal das startups é encaminhado ao Congresso