Menu
Busca terça, 04 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Geral

Primeiro medicamento contra leishmaniose em cães no Brasil é aprovado

Milteforan deve ser comercializado a partir de 2017

15 setembro 2016 - 11h49Da redação

O primeiro medicamento para tratamento de leishmaniose em cães no Brasil, chamado de Milteforan, foi aprovado na semana passada pelo Ministério da Agricultura. O órgão prevê que o remédio seja comercializado no país a partir do ano que vem.  A doença é considerada um dos maiores problemas de saúde pública enfrentados em Campo Grande, que, segundo o veterinário André Fonseca, tem um índice de infecção de um em cada dez cães da Capital.

O controle da doença ainda é cercada de polêmicas. Enquanto médicos veterinários defendem tratamento dos animais infectados, órgãos públicos defendem a eutanásia método mais eficaz para a diminuição na proliferação da doença. Em junho deste ano, após uma interpelação da ONG Abrigo dos Bichos, Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF 3)  a nulidade da Portaria interministerial dos ministérios da Saúde e Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Portaria n° 1.426/2008, que proíbe o tratamento de cães com Leishmaniose Visceral Canina por meio de produtos de uso humano. Pela falta de medicamentos veterinários disponíveis para o combate à doença, o tratamento acabava por se tornar ilegal. Na 3º Região, composta por São Paulo e Mato Grosso do Sul, agora o tratamento é permitido também com medicamentos de uso humano.

A partir de 2017, o tratamento será permitido em todo o país através do Milteforan, primeiro medicamento de uso veterinário para tratamento da doença aprovado no país. Ainda assim, em nota técnica emitida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o órgão ressalta que o tratamento de cães com leishmaniose não se configura como medida de saúde pública para controle da doença e que o tratamento "trata-se única e exclusivamente de uma escolha do proprietário do animal, de caráter individual". 

Doença

A leishmaniose é transmitida pelo mosquito-palha, atraído por lugares com matéria orgânica e sujeira e tem hábito noturno. As recomendações para evitar e doença é de manter sempre o quintal e o canil limpos, além de utilizar de uso de repelentes e de lugares telados, evitando assim, a picada do mosquito, tanto em humanos quanto em cães. Nos cães, os sintomas da leishmaniose são: emagrecimento, descamação e queda de pêlo, lesões ao redor dos olhos e lacrimejamento, lesões em pontas de orelhas, focinho e patas, ficar muito quieto (apatia) e crescimento exagerado das unhas.

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
É amanhã! Mistério da arara branca será revelado em live
Geral
Vídeo: PMA recolhe 5 animais silvestres na capital
Geral
Reincidente, e com vacinas vencidas, PetGarden é autuada pelo Procon
Geral
Motorista morre em acidente após bater em carreta na BR-463
Geral
Governo pode estender auxílio emergencial até o fim de 2020
Geral
Para 'acabar com o coronavírius' dono incendeia supermercado
Geral
Acidente na BR-060 deixa três crianças em estado grave
Geral
Prudente, Reinaldo “elogia” lockdown, mas respeita municípios
Geral
Sexy Hot anuncia filmes adaptados a pessoas com deficiência
Geral
Vídeo: palco de tentativas de suicídio, viaduto da Afonso Pena ganha bilhetes de “vida”

Mais Lidas

Justiça
"Fecha ou não fecha", Justiça dá três dias para Marquinhos se posicionar
Internacional
Área de explosão tinha galpões com produto químico, diz Governo Libanês
Justiça
TJ bate recorde em julho
Internacional
Sobe para 50 número de mortos por explosão em Beirute