Menu
Busca domingo, 19 de janeiro de 2020
(67) 99647-9098
Perkal Topo - janeiro-20
Geral

Zeca promete ‘acabar’ com impostos cobrados dos micros e pequenos empresários

01 julho 2010 - 09h54Celso Bejarano

O ex-governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio do Santos, o Zeca do PT, disse hoje à tarde, após a convenção do partido, que um de seus “primeiros atos”, em caso de vitória sobre o governador André Puccinelli, candidato à reeleição do PMDB, será o de “acabar” com os impostos estaduais cobrados dos micro e pequenos empresários.

“Vamos extinguir com a ditadura fiscal imposta aqui nos dias de hoje”, disse ele em coletiva de imprensa, no auditório do hotel Jandaia, área central de Campo Grande. O candidato não detalhou o número de favorecidos com o projeto prometido.

Disse, contudo, que os micros e pequenos empresários são vítimas do que ele chamou de “bitributação”. Isto é, o segmento estaria pagando um imposto sobre uma mercadoria a duas fontes.

Outra medida aplicada por Zeca, se eleito, segundo ele, tem a ver com um projeto criado no início de seu governo, em 1999, batizado de Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul).

Esse fundo é arrecadado por meio de impostos captados de negócios que envolvem o transporte de grãos e animais, e o recurso aplicado em melhorias das estradas, por exemplo.

O candidato petista disse que quer “rever” o projeto para não cometer “injustiça com o contribuinte”. Ele disse “desconfiar” que o tributo estaria sendo mal aproveitado.

Campanha

Ainda na coletiva de imprensa, Zeca do PT disse que não teme a candidatura de Puccinelli, que conquistou uma aliança composta por 14 partidos; já o petista acertou hoje coligação com sete partidos. “vamos vencer as eleições nas ruas, no corpo o corpo, não temo quem tem mais dinheiro. E mais: em 1998, quando vencemos, tínhamos seis alianças, e se levarmos em conta essa comparação estamos melhor agora”, disse ele.

Zeca do PT disse que sua campanha deva custar em torno de R$ 10 milhões, dinheiro que, segundo ele deve ser arrecadado por meio de doação feita pelo partido estadual e nacional e também de pessoas que estariam interessadas em ajudá-lo.

“Tem grandes fazendeiros, grandes empresários, descontentes, a fim de nos ajudar”, disse ele. Já o candidato do PMDB, André Puccinelli, prevê um gasto maior. Ele disse nesta semana que sua campanha deva consumir entre R$ 20 milhões e R$ 30 milhões.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Vídeo - Hélices de helicóptero colidem com caminhão na BR
Geral
Morador se assusta com a visita noturna de um jacaré
Geral
Detran-MS fará leilão de 403 veículos no primeiro certame de 2020
Geral
Ajude: Enzo tem leucemia e 21 dias para comprar remédio de R$ 160 mil
Geral
Detran inicia primeiro leilão de 2020
Geral
Brasil registra mais de 200 ataques contra jornalistas em 2019, aponta relatório
Geral
Reinaldo lançará "pacotão de obras", resultado do Governo Presente
Geral
Dona de Alf quer justiça depois de sacrifício no CCZ, “sem autorização”
Geral
Valor de renovação de vistoria será reduzido em até 5 vezes
Geral
Colégio Adventista nega ter rejeitado aluno com síndrome

Mais Lidas

Polícia
Morte da florista Regiane choca capital no fim de semana
Polícia
Vídeo - Motorista discute no trânsito e arrasta motocicleta da vítima
Economia
Receita Federal recupera R$ 5,2 bilhões em dívidas de empresas
Polícia
Cerca de 100 presos participam de fuga em massa em Pedro Juan Caballero