Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS outubro20
Geral

Zeca promete ‘acabar’ com impostos cobrados dos micros e pequenos empresários

01 julho 2010 - 09h54Celso Bejarano

O ex-governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio do Santos, o Zeca do PT, disse hoje à tarde, após a convenção do partido, que um de seus “primeiros atos”, em caso de vitória sobre o governador André Puccinelli, candidato à reeleição do PMDB, será o de “acabar” com os impostos estaduais cobrados dos micro e pequenos empresários.

“Vamos extinguir com a ditadura fiscal imposta aqui nos dias de hoje”, disse ele em coletiva de imprensa, no auditório do hotel Jandaia, área central de Campo Grande. O candidato não detalhou o número de favorecidos com o projeto prometido.

Disse, contudo, que os micros e pequenos empresários são vítimas do que ele chamou de “bitributação”. Isto é, o segmento estaria pagando um imposto sobre uma mercadoria a duas fontes.

Outra medida aplicada por Zeca, se eleito, segundo ele, tem a ver com um projeto criado no início de seu governo, em 1999, batizado de Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul).

Esse fundo é arrecadado por meio de impostos captados de negócios que envolvem o transporte de grãos e animais, e o recurso aplicado em melhorias das estradas, por exemplo.

O candidato petista disse que quer “rever” o projeto para não cometer “injustiça com o contribuinte”. Ele disse “desconfiar” que o tributo estaria sendo mal aproveitado.

Campanha

Ainda na coletiva de imprensa, Zeca do PT disse que não teme a candidatura de Puccinelli, que conquistou uma aliança composta por 14 partidos; já o petista acertou hoje coligação com sete partidos. “vamos vencer as eleições nas ruas, no corpo o corpo, não temo quem tem mais dinheiro. E mais: em 1998, quando vencemos, tínhamos seis alianças, e se levarmos em conta essa comparação estamos melhor agora”, disse ele.

Zeca do PT disse que sua campanha deva custar em torno de R$ 10 milhões, dinheiro que, segundo ele deve ser arrecadado por meio de doação feita pelo partido estadual e nacional e também de pessoas que estariam interessadas em ajudá-lo.

“Tem grandes fazendeiros, grandes empresários, descontentes, a fim de nos ajudar”, disse ele. Já o candidato do PMDB, André Puccinelli, prevê um gasto maior. Ele disse nesta semana que sua campanha deva consumir entre R$ 20 milhões e R$ 30 milhões.

 

CertFica

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Justiça manda candidata provar que sabe ler
Geral
Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 45 milhões
Geral
'Lua Azul' dos smurfs poderá ser vista em três dias
Geral
Adelaido da CDL tem alta e está livre do coronavírus
Geral
Sofrimento em dobro: Jovem descobre que é "corna" e ainda apanha do namorado
Geral
Procon MS aponta diferença de 662% nos preços das flores para o Dia de Finados
Geral
Ponto facultativo é adiado e agências do INSS abrem normalmente nesta quarta
Geral
Jorge Aragão recebe alta após 12 dias internado com Covid-19
Geral
Ex-atriz pornô faz simpatia de R$ 2 mil para casar com Gusttavo Lima
Geral
Câmara cancela sessão após morte do pai de Salineiro

Mais Lidas

Política
Candidatos participam de debate na Fetems
Cidade
Assembleia homenageia Dudu do Bifão e pai do vereador Salineiro
Justiça
Cinco cidades de MS receberão apoio das Forças Armadas
Geral
Justiça manda candidata provar que sabe ler