Menu
Busca domingo, 05 de fevereiro de 2023
(67) 99647-9098
Internacional

Conflito na Ucrânia afeta segurança alimentar na África e no Oriente Médio

Um quarto das exportações mundiais de trigo destinados ao Oriente Médio e à África é proveniente da Rússia e da Ucrânia

17 março 2022 - 09h52Sarah Chaves, com informações da Agência Brasil
Sebrae Materia

O Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (Fida) das Nações Unidas advertiu que o impacto do conflito na Ucrânia já afeta o Oriente Médio e o Norte de África e continuará a se alastrar rapidamente.

O aumento dos preços dos alimentos e a escassez de culturas resultantes do conflito já se fazem sentir no Oriente Médio e no Norte da África e estão se estendendo aos países mais vulneráveis do mundo, incluindo o Chifre da África, onde as pessoas mais pobres estão em maior risco, disse a agência da Organização das Nações Unidas (ONU), sediada em Roma, em nota divulgada nesta quinta-feira.

"Um quarto das exportações mundiais de trigo é proveniente da Rússia e da Ucrânia" e "40% do trigo e do milho da Ucrânia são destinados ao Oriente Médio e à África, que já se debatem com problemas de fome, e onde a escassez de alimentos ou o aumento dos preços corre o risco de empurrar milhões de pessoas para a pobreza", afirma a agência.

A Rússia é também o maior produtor mundial de fertilizantes, e mesmo antes do conflito, os picos de preços no ano passado contribuíram para o aumento nos preços dos alimentos de cerca de 30%. 

"Estou profundamente preocupado que o conflito violento na Ucrânia, que já é uma catástrofe para os diretamente envolvidos, seja também uma tragédia para as pessoas mais pobres do mundo, que vivem nas zonas rurais, e que não podem absorver os aumentos de preços dos alimentos básicos e dos fertilizantes agrícolas que resultarão das perturbações no comércio global", afirmou o presidente da agência, Gilbert F. Houngbo.

"Já estamos assistindo a aumentos de preços e isso pode levar a uma escalada da fome e da pobreza, com graves consequências para a estabilidade global", acrescentou.

Houngbo observou que na Somália, onde se estima que 3,8 milhões de pessoas já se encontrem em grave insegurança alimentar, os custos de eletricidade e dos transportes dispararam devido ao aumento dos preços dos combustíveis.

No Egito, os preços do trigo e do óleo de girassol subiram devido à dependência do país em relação à Rússia e à Ucrânia para 85% do seu abastecimento de trigo e 73% do seu óleo de girassol.

No Líbano, 22% das famílias estão em insegurança alimentar, e a escassez de alimentos ou novos aumentos de preços irá exacerbar uma situação já desesperadora. 

Sebrae Materia

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Chile declara situação de emergência após incêndios matarem 13 pessoas
Internacional
"Já é suficiente", diz homem que tem 12 mulheres e 102 filhos
Internacional
Homem perde guarda da filha após deixar Alexa de "babá" enquanto ia ao bar
Internacional
Adolescente precisa tomar um litro de laxante após bola ficar presa em seu ânus
Internacional
Brasileira é presa na Indônesia com três quilos de cocaína
Internacional
Visto diplomático de Bolsonaro vence no final deste mês
Internacional
Padre diz que ouviu "Umbrella" de Rihanna no inferno
Internacional
Brasil e Argentina estudam criar moeda única para trocas comerciais
Internacional
Meta é multada em mais de R$ 30 mi por violar dados de usuário do WhatsApp
Internacional
Alec Baldwin é acusado de homicídio culposo por morte de diretora

Mais Lidas

Polícia
Mãe desaparece com filho de 6 anos e preocupa família na Capital
Interior
Raio mata 16 cabeças de gado e causa prejuízo de R$ 60 mil a pecuarista de MS
Polícia
Entregador de aplicativo é preso enquanto fazia entregas de "disk droga"
Polícia
Colisão entre carro e viatura do Batalhão do choque deixa feridos na Capital