Menu
Busca segunda, 03 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Internacional

Continente africano é o próximo epicentro do coronavírus, apontam cientistas

O continente se prepara para passar pelo pico da pandemia

25 julho 2020 - 17h54Sarah Chaves, com informações da Agência Brasil

O continente africano registra quase 800 mil casos de contágio por coronavírus chegando a 17 mil mortes, com os números crescentes, o continente se prepara para enfrentar o pico da pandemia.

Os cientistas apontam que, depois das Américas, atual epicentro da pandemia e onde a propagação da doença ainda não deu sinais de estabilidade, a África será o próximo epicentro do coronavírus.

Segundo análise do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Cris-Fiocruz), os dados do continente estão menos assustadores do que em outros lugares, com cerca de um terço do número de casos e um quinto do número de mortes do Brasil, por exemplo.

Apesar de a pandemia ter demorado um pouco mais para atingir toda a região, grande parte dos países africanos viram os casos de covid-19 duplicarem no último mês e as curvas de contágio e de mortes continuam subindo.

O pesquisador do Cris-Fiocruz Augusto Paulo Silva, responsável pela colaboração com o continente africano e com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), explica que, como no Brasil, a epidemia na África começou pelos grandes centros urbanos que possuem mais conexões internacionais.

“É por conta das comunicações internacionais. A mesma lógica que tivemos no Brasil, a porta de entrada ser São Paulo e Rio de Janeiro, na África as partes mais conectadas são África do Sul e Egito, então é por ali que entrou, para depois começar a ir para outras partes do continente”.

De acordo com ele, as medidas de reforço na atenção primária à saúde pública têm ajudado o continente a evitar uma catástrofe, com ações como testes, rastreio de contatos e isolamento de casos. Porém, ele alerta que os países estão começando a retomar as atividades, antes da chegada do pico da pandemia.

“A quarentena nos países já acabou, fizeram dois ou três meses de quarentena, mas como tem muito setor informal, não conseguiram manter o isolamento direito por tanto tempo. Já estão a voltar. E está a chegar o pico. Mas a África do Sul, o Egito, estão abrindo com muito mais cuidado porque têm muito mais casos.”

A África do Sul está na casa dos 410 mil casos de covid-19 e 6 mil mortes, mais da metade dos casos e quase um terço das mortes no continente. O Egito está na faixa de 90 mil casos e 4,5 mil mortes.

Estratégia unificada

Segundo a Fiocruz, a Diretoria Regional da OMS para a África e parceiros lançaram o Acelerador de Acesso a Ferramentas Covid-19 (ACT) para que a região possa desenvolver, produzir e ter acesso equitativo aos testes diagnósticos, tratamentos e vacinas para covid-19.

A OMS Afro também pediu ajuda humanitária internacional para que os testes e tratamentos cheguem a toda a África, lembrando que a África Subsaariana abriga 26% dos refugiados do mundo, além de ter regiões do continente envolvidas em conflitos.

 

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Vídeo - Sogra faz 'barraco' em casamento ao discordar dos votos da noiva
Internacional
“Bala de prata” contra Covid-19, pode nunca existir, diz OMS
Internacional
Trump afirma que vai proibir o aplicativo TikTok de operar nos EUA
Internacional
Morador de rua pede comida e recebe arroz com ração de cachorro
Internacional
Vídeo: quarentena gera revolta e Paraguai tem noite de terror
Internacional
Nasa lança sonda á Marte para estudar vida passada
Internacional
Jogador compra Lamborghini com auxílio do coronavírus
Internacional
Ator é morto a tiros por vizinho
Internacional
China lança sua primeira sonda espacial em direção a Marte
Internacional
Polícia retira mais de 400 corpos de casas e ruas na Bolívia

Mais Lidas

Geral
Thiago Bueno foi encontrado e está bem, confirma esposa
Geral
Três jovens mortos em acidente na BR-277 seguiam para grupo de oração
Dois deles eram casados e tinham deixado a filha deles, uma bebê, na casa da avó materna
Saúde
Delcídio recebe alta seis dias após segunda internação
Polícia
Homem mata amigo após confundi-lo com javali durante caça