Menu
Busca segunda, 06 de fevereiro de 2023
(67) 99647-9098
Internacional

"Mais uma vez, a humanidade é ameaçada por abuso perverso de poder", disse o Papa

Fala foi feita durante conferência da Igreja Católica na Eslováquia, país vizinho da Ucrânia

18 março 2022 - 15h31Pedro Molina
Sebrae Materia

O papa Francisco classificou nesta sexta-feira (18), durante uma conferência da Igreja Católica em Bratislava, capital da Eslováquia, a guerra na Ucrânia como um “abuso perverso de poder”, mas sem citar diretamente a Rússia.

"A tragédia da guerra, que está ocorrendo no coração da Europa, tem nos deixado atordoados", disse o papa.

"Mais uma vez, a humanidade é ameaçada por abuso perverso de poder e interesses sectários, que condenam pessoas indefesas a sofrer toda forma de violência brutal", complementou.

A Eslováquia é um dos muitos países europeus que vêm aceitando imigrantes ucranianos fugindo da invasão russa.

Sebrae Materia

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Assaltantes roubam vibradores banhados a ouro avaliados em R$ 88 mil
Internacional
JD1TV: Terremoto de magnitude 7,8 destrói prédios na Síria
Internacional
Em meio a crise, Peru estabelece estado de emergência por 60 dias
Internacional
Vítimas pedem socorro sob escombros de terremoto na Turquia e Síria; assista
Internacional
Terremoto na Turquia e na Síria deixa mais de 1,5 mil mortos
Internacional
Chile declara situação de emergência após incêndios matarem 13 pessoas
Internacional
"Já é suficiente", diz homem que tem 12 mulheres e 102 filhos
Internacional
Homem perde guarda da filha após deixar Alexa de "babá" enquanto ia ao bar
Internacional
Adolescente precisa tomar um litro de laxante após bola ficar presa em seu ânus
Internacional
Brasileira é presa na Indônesia com três quilos de cocaína

Mais Lidas

Polícia
JD1TV: Corpo é queimado em meio ao lixo no Santa Emília
Polícia
Queimado no Santa Emília foi "embrulhado" em sofá para ser carbonizado
Polícia
Jovem é esfaqueado e tem vísceras expostas no Itamaracá
Polícia
Esfaqueamento no Jardim Itamaracá foi motivado por ventilador roubado