Menu
Busca sexta, 22 de outubro de 2021
(67) 99647-9098
Gov 44 anos
Internacional

Talibãs adotam temporariamente Constituição de que concede direito de voto às mulheres

Tudo o que no texto for considerado em desacordo com a sharia não será aplicado

28 setembro 2021 - 13h30Da Redação, com Agência Brasil

Foi anunciado hoje pelos talibãs, que uma Constituição de 1964, que concedia o direito de voto às mulheres no Afeganistão, será adotada de forma temporária no país, excluindo os elementos desse texto contrários à sua interpretação da Sharia (lei islâmica). A lei fundamental de 1964, elaborada por iniciativa do rei Mohammed Zaher Shah um ano após a sua subida ao poder, consagrou uma monarquia constitucional até ele ser deposto, em 1973, e ajudou a promover a participação das mulheres na vida política.

"O Emirado Islâmico adotará a Constituição da época do antigo rei Mohammed Zaher Shah por um período temporário", anunciou em comunicado o ministro da Justiça talibã, Mawlavi Abdul Hakim Sharaee. Tudo o que no texto for considerado em desacordo com a sharia não será aplicado, acrescentou o ministro.

A adoção dessa Constituição pelos talibãs está causando surpresa, apesar dos limites que impõe. Sob o anterior regime, entre 1996 e 2001, as mulheres estavam totalmente excluídas da vida pública, não eram autorizadas a estudar, a trabalhar ou sequer a sair à rua sem um familiar masculino, mas desde o seu regresso ao poder no país, em meados de agosto, o grupo islâmico radical tem tentado tranquilizar a população afegã e a comunidade internacional, afirmando que se mostrará menos severo que no passado.

As suas promessas têm, contudo, causado ceticismo, tanto mais que o novo governo é composto por muitos caciques do seu regime fundamentalista dos anos 90 e não inclui mulher alguma, depois de terem se comprometido a formar um governo "inclusivo".

Depois da ocupação soviética nos anos 80, a guerra civil no início dos anos 90 e, em seguida, o violento reinado dos talibãs, o Afeganistão aprovou uma nova Constituição após a intervenção militar, em 2001, de uma coligação liderada pelos Estados Unidos para os expulsar do poder. Mas a opção foi por não restaurar a monarquia constitucional, e o novo texto, adotado em 2004, criou o cargo de presidente, reinstaurou o Parlamento e garantiu às mulheres a igualdade de direitos.

Unica - primavera

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Alec Baldwin dispara com arma cenográfica e mata diretora de fotografia
Internacional
Donald Trump anuncia lançamento de nova rede social
Internacional
Vídeo - 'Hoje o dia é quente': Jornal exibe filme pornô em vez de previsão do tempo
Internacional
Facebook quer mudar de nome em breve, diz portal
Internacional
Acidente entre carro e caminhão mata cinco pessoas na Rota Bioceânica
Internacional
Coreia do Norte dispara míssil balístico para o mar do Japão
Internacional
China analisa projeto que pune os pais por mau comportamento dos filhos
Internacional
Vídeo: Senador dos EUA acusa brasileiros ricos de imigrar para “tirar vantagem” do país
Internacional
Vaticano não pode ser processado em casos de abusos, decide Tribunal Europeu
Internacional
Seis suspeitos por chacina na fronteira são presos pela polícia

Mais Lidas

Polícia
Homem pula o muro e flagra a ex-mulher com outro e transtornado agride ela e tranca os dois
Brasil
Vídeo: Homem se desespera ao ver que racha com os amigos acabou em morte
Geral
Com oito filhos, mãe anuncia gravidez de gêmeos e dispara: 'queremos mais'
Geral
Pastor embolsa R$ 30 milhões da Igreja Universal e foge