Menu
Busca segunda, 28 de novembro de 2022
(67) 99647-9098
Justiça

Apple é multada em R$ 12 milhões e não poderá vender iPhone sem carregador

Decisão do Ministério Público também suspende as permissões de vendas do iPhone 12 e 13

06 setembro 2022 - 14h39Pedro Molina

O Ministério da Justiça publicou, no Diário Oficial da União desta terça-feira (6), uma decisão para que a Apple suspenda a venda de iPhone sem carregador, além de aplicar uma multa de R$ 12 milhões à empresa americana.

A decisão, tomada pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, classifica a venda dos celulares da empresa sem o carregador nas caixas como "prática discriminatória sobre os consumidores realizada de forma deliberada", e suspende imediatamente as permissões de venda dos modelos mais atuais de iPhone, o 12 e o 13.

No entanto, o Ministério da Justiça decidiu por não aplicar imediatamente uma multa diária caso a Apple não suspenda as vendas de seus celulares sem carregador imediatamente, com a pensa sendo aplicada posteriormente caso seja verificado que a empresa driblou a proibição.

Até o momento a Apple ainda não se pronunciou sobre a decisão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Novos ministros do STJ tomam posse em dezembro
Justiça
STF arquiva denuncia contra Aécio Neves e Marcelo Odebrecht
Justiça
Fachin determina que o STF adote medidas para proteção de indígenas
Justiça
MPF solicita afastamento imediato do diretor da PRF
Justiça
Bolsonaro nomeia Liana Chaib como a nova ministra do TST
Justiça
Bolsonaro nomeia dois novos ministros para o STJ
Justiça
TCU ordena que governo deixe de veicular propagandas em sites com conteúdo ilegal
Justiça
PL diz ao TSE que quer anulação somente do 2º turno
Justiça
Tiago Vargas sofre derrota no TJ
Justiça
Moraes concederá medalha de Ordem do Mérito a comandantes da PM

Mais Lidas

Brasil
Criança morre e outra fica ferida após brincadeira com fogos de artifício
Polícia
PM apreende mulher e jovem por tráfico de drogas
Brasil
Mulher relata assédio sofrido durante sessão de tatuagem
Internacional
Americana é proibida de assistir à execução de seu próprio pai