Menu
Busca sexta, 25 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS setembro20
Justiça

MP acusa ex-presidente da Vale e outras 15 pessoas por 270 homicídios

Defesa de Fábio Schvartsman diz que denúncia é "injusta"

22 janeiro 2020 - 12h36Sarah Chaves, com informações do R7

O Ministério Público de Minas Gerais abriu uma denúncia na terça-feira (21), contra o ex-presidente da Vale Fábio Schvartsman, e outros dez funcionários da mineradora e cinco da empresa de consultoria alemã Tüv Süd que irão responder por homicídio duplamente qualificado.

A acusação é pela morte das 270 pessoas devido ao rompimento da barragem B1 em Brumadinho. A tragédia completa um ano no próximo sábado (25). 

A denúncia apresentada pelo Ministério Público de MG a partir do inquérito da Polícia Civil cita que uma "relação promíscua" entre a mineradora Vale e a Tüv Süd escondeu a falta de segurança da estrutura. 

Segundo a investigação, "ficou demonstrada a existência de uma promíscua relação entre as duas corporações no sentido de esconder do Poder Público, sociedade, acionistas e investidores a inaceitável situação de segurança de várias barragens mantidas pela Vale".

Em trecho da denúncia apresentada nesta terça-feira (21), o MP afirma que a Vale, com apoio da empresa de consultoria alemã Tüv Süd, "operava uma caixa preta com o objetivo de manter uma falsa imagem de segurança da empresa de mineração." 

As duas empresas e 16 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público sendo 11 funcionários ou ex-funcionários da Vale (entre elas o ex-presidente Fábio Schvartsman) e outros cinco, da Tüv Süd. Além disso, todos responderão pela prática de crimes contra a fauna, contra flora e crime de poluição. 

O MP encaminhou à Justiça pedido de prisão do gerente da Tüv Süd, Chris-Peter Meier, alegando que, apesar de sistematicamente procurado, não se dispôs a contribuir para as investigações e, ainda, que em razão de ter residência fixa em país diverso e distante do território nacional, há evidente risco de não aplicação da lei penal.

A defesa de Fabio Schvartsman classificou a denúncia do MP de "açodada" e "injusta", porque as investigações não estão finalizadas e porque desconsidera todos documentos apresentados às autoridades, que revelam a ausência de comunicação de quaisquer problemas em Brumadinho à Presidência da Vale", diz o texto.

 

Rota do Pantanal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
McDonalds indeniza cliente em R$ 10 mil por produto vencido
Justiça
"Houve uma conspiração", alega advogado de Flordelis
Justiça
Candidatos à eleição podem tirar certidões on-line pelo TJMS
Justiça
Espaço de eventos indenizará em R$ 20 mil casal por falta de água durante casamento
Justiça
Anhanguera deverá indenizar ex-aluna por cobrança indevida
Justiça
Ministério Público move ação contra contrato do Consórcio Guaicurus
Justiça
Mutirão DPVAT: 1.787 processos podem ser finalizados em 2020
Justiça
Judiciário retoma gradativamente as atividades presenciais nesta terça
Justiça
Juiz ouve testemunhas de acusação do assassinato de Carla nesta terça
Justiça
Justiça proíbe Globo de divulgar detalhes da investigação de Flávio Bolsonaro

Mais Lidas

Internacional
Vídeo - Laboratório da Huawei explode e fica em chamas na China
Saúde
Três UPA's atendem com 15 pediatras nesta manhã; confira a escala médica
Polícia
Rapaz tem sua 'primeira moto', roubada por bandidos armados no Aero Rancho
Clima
Com onda de calor no MS, temperatura máxima deve chegar a 39°C