Menu
Busca quinta, 20 de fevereiro de 2020
(67) 99647-9098
tj ms topo
Justiça

MP acusa ex-presidente da Vale e outras 15 pessoas por 270 homicídios

Defesa de Fábio Schvartsman diz que denúncia é "injusta"

22 janeiro 2020 - 12h36Sarah Chaves, com informações do R7

O Ministério Público de Minas Gerais abriu uma denúncia na terça-feira (21), contra o ex-presidente da Vale Fábio Schvartsman, e outros dez funcionários da mineradora e cinco da empresa de consultoria alemã Tüv Süd que irão responder por homicídio duplamente qualificado.

A acusação é pela morte das 270 pessoas devido ao rompimento da barragem B1 em Brumadinho. A tragédia completa um ano no próximo sábado (25). 

A denúncia apresentada pelo Ministério Público de MG a partir do inquérito da Polícia Civil cita que uma "relação promíscua" entre a mineradora Vale e a Tüv Süd escondeu a falta de segurança da estrutura. 

Segundo a investigação, "ficou demonstrada a existência de uma promíscua relação entre as duas corporações no sentido de esconder do Poder Público, sociedade, acionistas e investidores a inaceitável situação de segurança de várias barragens mantidas pela Vale".

Em trecho da denúncia apresentada nesta terça-feira (21), o MP afirma que a Vale, com apoio da empresa de consultoria alemã Tüv Süd, "operava uma caixa preta com o objetivo de manter uma falsa imagem de segurança da empresa de mineração." 

As duas empresas e 16 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público sendo 11 funcionários ou ex-funcionários da Vale (entre elas o ex-presidente Fábio Schvartsman) e outros cinco, da Tüv Süd. Além disso, todos responderão pela prática de crimes contra a fauna, contra flora e crime de poluição. 

O MP encaminhou à Justiça pedido de prisão do gerente da Tüv Süd, Chris-Peter Meier, alegando que, apesar de sistematicamente procurado, não se dispôs a contribuir para as investigações e, ainda, que em razão de ter residência fixa em país diverso e distante do território nacional, há evidente risco de não aplicação da lei penal.

A defesa de Fabio Schvartsman classificou a denúncia do MP de "açodada" e "injusta", porque as investigações não estão finalizadas e porque desconsidera todos documentos apresentados às autoridades, que revelam a ausência de comunicação de quaisquer problemas em Brumadinho à Presidência da Vale", diz o texto.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
TJ-MS condena rapaz a 27 anos por morte e estupro em Unei
Justiça
Assassino de florista saiu da Santa Casa direto para a cadeia
Justiça
TJ-MS inocenta juiz Paulo Afonso
Justiça
Coffee Break coletará depoimentos de André, Olarte e vereadores
Justiça
Autor de atentado contra Bolsonaro poderá deixar presídio da capital
Justiça
TJ nega indenização a operadora de aeroporto
Justiça
Vítima de atentado hoje, Trutis tem trajetória de encrencas
Justiça
Testemunhas de ação trabalhista são presas após mentir em juízo
Justiça
Justiça nega indenização de mais de R$ 500 mil por suicídio de detento
Justiça
Em disputa por equiparação, CNJ dá vitória ao TJ

Mais Lidas

Cidade
Bairros da capital ficam sem energia devido às chuvas desta quinta; confira
Cidade
Vídeo - Chuva alaga diversos pontos na capital
Geral
Procon-CG descarta 101 kg de produtos em supermercado Novo Box
Brasil
Silvia Abravanel pede demissão ao pai depois de se envolver em polêmica