Menu
Busca domingo, 02 de outubro de 2022
(67) 99647-9098
Justiça

MP ignora resolução nacional e quer "inspeção veicular" em MS

Promotor Luiz Antônio de Almeida atropela Contran e competência da união, que suspendeu a prática em 2018

13 julho 2021 - 16h18Da redação

Apesar da resolução nº 170 de 05 de abril de 2018 do Contran, ter abolido a necessidade da chamada inspeção veicular, que mediria o dano ambiental causado pelas emissões de gazes poluentes de carros, e criaria uma fiscalização obrigatória para licenciar os veículos, o Ministério Público Estadual (MPMS) abriu uma nova demanda, para fazer algo que já não existe no país.E que, além disso, aumentaria a burocracia em Mato Grosso do Sul, e criaria uma nova despesa para o seu bolso.

Isso por que o Promotor de Justiça Luiz Antônio Freitas de Almeida quer que o estado implante o “Plano de Controle de Poluição Veicular”, aprovado pelo Instituto de Meio Ambiente de MS (Imasul) e pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente em 2011, que nunca saiu do papel. O plano imporia medidas que busquem o monitoramento da qualidade do ar e o controle da poluição veicular.

A medida era até vista como útil, mas há distantes dez anos atrás, e se tornou desnecessária pelo avanço dos carros, e por decisão do próprio Contran. A ação movida através 34ª Promotoria de Justiça “prensa” o Imasul e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MS), por não "atenderem ao que estabelece a legislação ambiental e não demonstrarem possuir uma rede de monitoramento da qualidade do ar ". 

A ação do promotor diz que a inspeção seria exigida pelo Código de Trânsito Brasileiro e deve ser anual. Só que não é mais, e faz três anos desde 2018. A exigência demandaria uma “inspeção ambiental veicular" que teria que ser feita antes do licenciamento anual do veículo, de modo que apenas os veículos aprovados nessa inspeção poderiam ter licenciamento anual expedido pelo Detran/MS.

Até onde apurado pela reportagem do JD1 não há nenhuma lei posterior à resolução nº 170 do Contran que estabeleça ou permita com que a inspeção veicular seja imposta novamente. E é de conhecimento geral que a responsabilidade de legislar sobre o trânsito é da União. O que, portanto tornaria a ação movida pelo MPMS nula, pois leis e portarias normativas de transito são de competência privativa da União, o que torna qualquer lei estadual inócua.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Responsável por tingir cachoeira de azul em MT será multado em R$ 10 mil
Justiça
MPT pede que ex-presidente da Caixa pague R$ 30,5 milhões por assédio
Justiça
TSE proíbe o transporte de armas e munições nas eleições
Justiça
TSE proíbe transporte de armas e munições nas eleições
Justiça
Anvisa proíbe uso de lotes de substância que contaminou petisco de cães
Justiça
Prazo para propaganda eleitoral gratuita, comícios e debates termina hoje
Justiça
Mato Grosso do Sul estabelece lei seca no dia das eleições
Justiça
TSE decide que mesários poderão usar camisas da seleção nas eleições
Justiça
Juiz manda dona silenciar cachorros e estabelece multa de R$ 10 mil por latido
Justiça
Homem recebe indenização após descobrir que foi trocado na maternidade

Mais Lidas

Política
Pesquisa mostra Contar e Riedel no segundo turno
Política
Pesquisa Ranking mostra André e Riedel na frente
Polícia
Carro com urna eletrônica é roubada na Capital
Política
IPEC: André lidera, Riedel em segundo com Marquinhos e Contar colados