Menu
Menu
Busca sábado, 20 de julho de 2024
Secovi - Julho24
Justiça

Por unanimidade, CNJ aprova auxílio-moradia para magistrados

O valor do auxílio será de até R$ 4.377,73, com cinco critérios a serem atendidos

18 dezembro 2018 - 16h34Da redação com informações da Agência Brasil    atualizado em 18/12/2018 às 17h32

Em sua última sessão do ano, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou nesta terça-feira (18), por unanimidade, numa votação de poucos segundos, a nova resolução para regulamentar o pagamento de auxílio-moradia aos magistrados brasileiros, no valor máximo de R$ 4.377,73.

A norma tem validade a partir de janeiro de 2019, mesmo mês em que os magistrados brasileiros devem receber o aumento de 16,38% nos salários, que acompanham o reajuste aprovado neste ano no Congresso para os vencimentos de ministros do Supremo.

Em 26 de novembro, o presidente Michel Temer sancionou o reajuste dos ministros do Supremo, após um acordo informal com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, e com o ministro Luiz Fux, relator no STF de ao menos seis ações que questionam o benefício.

Até o mês passado, todos os magistrados brasileiros poderiam receber o auxílio-moradia, independentemente de ter residência própria no local de trabalho, por força de uma liminar (decisão provisória) expedida por Fux em 2014.

No mesmo dia em que Temer sancionou o reajuste, Fux revogou a liminar, interrompendo o pagamento do benefício a partir de janeiro para todos os magistrados e membros do Ministério Público, entre outras carreiras jurídicas. Na decisão, porém, ele determinou que o CNJ regulamentasse o tema, abrindo caminho para o retorno do auxílio-moradia.

Critérios

A resolução aprovada nesta terça-feira (18) prevê cinco critérios que devem ser atendidos para que o magistrado, seja no âmbito federal ou estadual, possa ter direito ao auxílio-moradia. Segundo estimativa preliminar do CNJ, aproximadamente 180 juízes teriam direito ao benefício sob tais critérios, cerca de 1% da magistratura. 

Os critérios são: que não haja imóvel funcional disponível; que cônjuge ou qualquer pessoa que resida com o magistrado não ocupe imóvel funcional; que o magistrado ou cônjuge não possua imóvel próprio na comarca em que vá atuar; que o magistrado esteja exercendo suas funções em comarca diversa do que a sua original; que o dinheiro seja gasto exclusivamente com moradia.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Vereador Claudinho Serra
Justiça
Assessor de Claudinho Serra pede 'absolvição' em caso de corrupção em Sidrolândia
Conselheiro Ronaldo Chadid está afastado da função pelo STJ - Foto: Departamento de Comunicação do TCE MS
Justiça
Afastado e insatisfeito, Chadid processa TCE para recuperar salário de R$ 80 mil
Silas e Aysla foram mortos por engano
Justiça
Juiz mantém ação penal contra acusados de matar Aysla e Silas
TRE-MS moderniza processos eleitorais com ferramenta de IA
Justiça
TRE-MS moderniza processos eleitorais com ferramenta de IA
Hospital Regional de Mato Grosso do Sul
Saúde
MP quer pormenores sobre Hospital Regional
Fórum de Dourados ganhará reforma com investimento de R$ 2.2 milhões
Justiça
Fórum de Dourados ganhará reforma com investimento de R$ 2.2 milhões
MP reitera acusação de fraude contra Giroto e outros nas obras do Aquário do Pantanal
Justiça
MP reitera acusação de fraude contra Giroto e outros nas obras do Aquário do Pantanal
TJ absolve oficial da PMMS acusado de homofobia contra subordinado
Justiça
TJ absolve oficial da PMMS acusado de homofobia contra subordinado
Fórum de Dourados será reformado -
Interior
TJMS investe R$ 2,2 milhões em reforma do Fórum de Dourados
Michel Teló é produtor rural em Mato Grosso do Sul
Justiça
Acordo de R$ 35 mil 'acaba' com investigação na Fazenda da família de Michel Teló

Mais Lidas

Reprodução/Instagram
Esportes
Dispensado pelo Athletico, Bruninho Samudio assina com o Botafogo
A nova edição será neste sábado (20), em Campo Grande
Comportamento
'Desapega Campo Grande' vai reunir mais de 100 expositores com peças a partir de R$ 1
Copa do Brasil
Esportes
Oitavas de final da Copa do Brasil 2024: veja confrontos
Divulgação da nova loja na Capital
Comportamento
JD1TV: Nova loja de sex shop da Capital divide opiniões após divulgação inusitada