Menu
Busca quinta, 06 de outubro de 2022
(67) 99647-9098
Justiça

Sargento que matou a esposa com 'mata-leão' vai a júri popular em outubro na Capital

Ela teria sido morta durante uma briga e o marido 'jogou' o corpo em um matagal

02 agosto 2022 - 18h24Brenda Assis

O ex-militar da Aeronáutica, Tamerson Ribeiro de Lima Souza, vai a júri popular no dia 5 de outubro de 2022, por matar a esposa, Natalin Nara Garcia de Freitas Maia, 22 anos, com um golpe de ‘mata-leão’, no mês de fevereiro, em Campo Grande.

A denúncia feita nesta terça-feira (2), apontou que pelo fato de a vítima ter sido morta após chegar em casa embriagada e ter xingado Tamerson, aplica-se o motivo torpe, mantendo as qualificadoras, como o feminicidio, uma vez que Natalin era esposa do acusado. Outro agravante citado na denúncia é de que o crime teria acontecido na frente da filha do casal, de 4 anos, que estaria acordada no momento em que tudo aconteceu. A ocultação do corpo da mulher também conta como agravante no caso.

É citado ainda que 15 pessoas foram ouvidas durante o período de investigação, entre amigos, familiares e até mesmo os agentes de segurança pública que trabalham no caso. Por conta de todos os indícios de que ele seria o autor do crime, conforme aponta as investigações, Tamerson será levado a julgamento.

“Por fim, designo o julgamento do referido acusado no plenário do júri para o dia 05 de outubro do fluente ano, as 08h, oportunidade em que os laudos requeridos pelo MP, com a ciência da defesa, deverão estar nos autos, devendo o cartório diligenciar neste sentido.”, finaliza a sentença.

Na Justiça, ele foi denunciado por homicídio triplamente qualificado pelo motivo torpe, asfixia e feminicídio, além da ocultação de cadáver.

Caso - Natallyn Nara Garcia de Freitas Maia, 22 anos, foi encontrada morta na tarde de domingo (6), com lesões pelo corpo e o pescoço quebrado, próximo a BR-060, em Campo Grande.

Após uma briga em casa e a jovem ter sido morta, Tamerson teria colocado corpo no porta-malas do carro, levado a filha até a escola e só depois jogou o corpo em meio a um matagal.

Antes de o corpo ser encontrado, ele chegou a dizer para a filha que a mãe havia morrido após passar mal no hospital. Mas como as histórias contadas por ele para amigos e familiares não batiam com a realidade, foi preso já no dia 7 de fevereiro.
 

JD1 No Celular

Tenha em seu celular o aplicativo do JD1 e acompanhe em tempo real todas as notícias. Para baixar no IOS, clique aqui. E aqui para Android.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
TJ é primeiro do país, a receber certificações ISO
Justiça
Ex-funcionária da Caixa diz ao MPF que jurídico do banco já sabia de abusos
Justiça
Ministro da Justiça pede a PF abertura de inquérito contra institutos de pesquisa
Justiça
STF decide que IR não pode ser cobrado em pensão alimentícia
Justiça
É lei: Pets shops e clínicas deverão divulgar canais de denúncia contra maus tratos
Justiça
Responsável por tingir cachoeira de azul em MT será multado em R$ 10 mil
Justiça
MPT pede que ex-presidente da Caixa pague R$ 30,5 milhões por assédio
Justiça
TSE proíbe o transporte de armas e munições nas eleições
Justiça
TSE proíbe transporte de armas e munições nas eleições
Justiça
Anvisa proíbe uso de lotes de substância que contaminou petisco de cães

Mais Lidas

Política
Marquinhos quer manter controle da prefeitura
Geral
Sai a lista sêxtupla da OAB
Polícia
JD1TV: Pedestre morre após ser atropelado por moto na Ceará
Polícia
Corpo de homem é encontrado queimado em rua do Nova Lima